3 comentários a propósito da nota Leitora denuncia poluição sonora:

De Eduardo:
Caros, até na Mendonça Furtado dá pra escutar essa loucura. Liguem para o plantão da viatura da PM rota do bairro da Prainha que, segundo o comando da PM, deve atender bem depressa. O número é 91596411. Ah. se fosse na Cidade Velha, em Belém, essa frescura de colocar música avacalhada altas horas da noite acabava em 1 dia.

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

De Samuel Lima:
Jeso, o que a profa. Sarah Teixeira denuncia é caso de polícia, em qualquer cidade do Brasil. Infelizmente, aqui em Santa Catarina também acontece esse tipo de crime (está tipificado: perturbação da ordem pública, tem horário previsto, quantidade de decíbeis etc., na lei). Não tem nada a ver, a meu juízo, com SEMA ou qualquer ente da prefeitura. Neste caso, há uma vergonhosa omissão da polícia de Santarém.
Nas cidades do litoral norte de SC, como Balneário Camboriú e Itapema, há leis municipais rigorosas em vigor (com multas até três salários mínimos) contra esses boys criados sem limite. Ademais, o carro fica retido por algum tempo na primeira infração. As punições são gradativas e tem sido eficazes para segurar os “piti boys”.
Com a palavra, o comando da polícia militar da cidade. É simples, basta cumprir a lei e parar com a omissão e jogo de “empurra”.

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

De Chico Corrêa:
É lamentável! Quando essa parte da orla ficou pronta e bonita, um morador desse perímetro me disse que não iam deixar fazer do local o mesmo que faziam ou fazem na anterior. Há algum tempo vejo que o sonho do meu caro morador “foi-se” (rsrsrs). Essa questão de poluição sonora é caso sério, não vou perguntar a quem reclamar, mas convidar: vamos fazer alguma coisa.

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

3 Comentários em: Som alto na orla é caso de polícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • elyne figueira disse:

    Polícia???
    Já liguei e a resposta foi: ñ adianta, a gente vai lá eles desligam e qdo saímos ligam novamente e ñ temos como permanecer no local…valha-nos quem????

  • Justo disse:

    Em Alter tambem esta horrivel.

  • Reinaldo Ferreira disse:

    Eu vejo neste caso é o descredito das autoridades, a falta de respeito, a falta da educação familiar desses indivíduos, além do crédito na impunidade. Eles sempre fazem isso e nada acontece, então seguem fazendo!
    Acredito que todos deveriam ser enquadrados na Lei de Contavençoes Penais no “Art. 42 – Perturbar alguém, o trabalho ou o sossego alheios”.
    Pena: de 15 dias a 3 meses de reclusão ou multas.
    Cadê as autoridades?