Em Santarém

Foto: Eduardo Dourado
7 de Setembro em Santarém. Foto: Eduardo Dourado

 

Em Belém

Foto: Antônio Silva
Sete de Semtembro em Belém: Foto:Antônio Silva

 

Em Brasília

Foto: Neco Ney
Sete de Setembro em Brasília. Foto: Neco Ney

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

2 Comentários em: 7 de Setembro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Curupira disse:

    CARTA ABERTA À COMUNIDADE ESCOLAR

    “A educação que, para ser verdadeiramente humanista, tem que ser libertadora.” (Paulo Freire)
    Diante da realidade da nossa educação queremos dialogar com a comunidade escolar (profissionais, pais e estudantes) que, tem sua parcela de contribuição de moldar a sociedade com valores inegavelmente positivos, mas também com atitudes negativas e contraditórias.

    Destacamos dois fatos espantosos: o primeiro é o método da “distribuição” de conceito pela participação de estudantes em atividades mecânicas como dançar em quermesse, limpar escola, capinar, pintar, etc.; o segundo é a insistência em participar do chamado “desfile do 7 de setembro”.

    Não aprendeu nada, mas ganha 30 pontos!

    Quanto à “distribuição” de pontos entendemos que essa atitude é uma forma de alienar intelectualmente os estudantes, visto que os estudantes devem, sobretudo, serem avaliados quanto a sua capacidade intelectual, não a de memorização, mas a de compreensão. É contraditório o professor reclamar do estudante por vários motivos, mas enganá-lo com pontos extras. Assim, o estudante, que assume a culpa por aceitar, já notou que pode compensar notas baixas com qualquer atividade braçal, pois o mesmo receberá 10, 20, 30 ou mais pontos.

    Acreditamos que trabalhar pela valorização da escola, enquanto patrimônio público, enquanto espaço social proporciona ao estudante e ao professor identificarem-se com a instituição, levando a uma participação na vida escolar voluntária e conscientemente, sem esperar troca de favores, nem compra de aprovação no pacto da mediocridade do “eu finjo que te ensino” e “tu finges que aprende”.

    “Marcha soldado, cabeça de papel”!

    Quanto ao “desfile do 7 de setembro” temos a compreensão de que o desfile em si é um processo alienador, porque não proporciona a formação do intelecto; é uma atividade imposta, pois tanto o professor quanto o estudante têm o direito de não participar invocando o direito de convicção filosófica ou política, bem como por somente ser obrigado de fazer algo em virtude de lei; é mentiroso, porque tratam como ato de cidadania, cívico e patriótico que são termos totalmente distante do seu real sentido aplicado ao caso; é militarizado, quando percebemos estudantes marchando como militares, influenciando-os a ser um deles; é subserviente, visto que a comunidade escolar que reclama da péssima realidade educacional, são os mesmos que desfilam para os seus algozes (prefeitos, governadores, presidente e demais políticos responsáveis pela situação caótica da educação); pois desfilar conota de que está tudo bem, pois as escolas foram fazer o que eles queriam: marchar como soldados “cabeça de papel”.

    Posto isto, concluímos que se formou um ciclo vicioso, o ciclo da não-educação. É o estudante sendo educado a ser um indivíduo aquém do esperado ou um desses políticos que perpetuarão a crise educacional. Ou seja, criam seus próprios inimigos e suas próprias dores.

    Portanto, funcionários, pais, estudantes e moradores, almejamos que a educação não seja um processo alienador, obrigatório e antidemocrático, mas um ato libertário, politizador e essencialmente educacional.
    Santarém – PA (Amazônia), 30 de agosto de 2011.

    FRENTE EM DEFESA DA AMAZÔNIA

    Fonte: https://portalfda.blogspot.com/2011/09/carta-curupira-nao-marcha-nem-desfila.html

  • Alberta Riker disse:

    As imagens são boas:
    a) O futuro do nosso Estado do Tapajós, são as crianças de hj. Todos nós temos q/ encaminhá-las p/ um mundo melhor. (essa criança de “oclinhos” está uma gracinha séria , robusta, patriota , fofinha) ;
    b) Todo Estado p/ ter e manter sua soberania tem q/ estar preparado , com policiamento, animais (cães, cavalos etc) e arsenal atualizados preparados. Os estados federados tem q/ investir na qualificação da corporação p/ manter a ordem e paz pública , proteger seu povo ;
    c) Em Brasília-DF, o desfile de 7 de setembro é um espetáculo do poder do Estado brasileiro.

    Fotos reveladoras.