Um policial federal (Polícia Rodoviária Federal) matou com dois tiros, há cerca de 40 minutos, um vigilante no Mirante Tapajós, atrás do Colégio Frei Ambrósio.

Mais informações, em instante.

– – – – – – – – – – – – – – – – – – –

Atualizado às 11h38

A vítima dois disparos é David Martins, 38 anos, casado e residente no bairro do Santarezinho. Prestava serviço de vigilante para a Prefeitura de Santarém através de uma empresa terceirizada.

Carlos André Conceição Costa foi quem matou o vigilante. Ele é da Polícia Rodoviária Federal lotado em Campinas (SP). Está a passeio em Santarém.  Já se apresentou à Polícia Civil, onde presta depoimento neste instante.

— – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –  – – – –

Atualizado às 11h57

Em depoimento ao delegado Tiago Rabelo, na 16ª Seccional da Polícia Civil, o policial federal Carlos Costa afirmou que pensou que se tratava de um assalto, daí ter dado dois tiros no peito do vigilante. Carlos é instrutor de tiros.

Ele estava, segundo declarou à polícia, no Mirante do Tapajós tirando fotografias, quando presenciou uma abordagem feita pelo vigilante a alguns menores. David Martins estava com um revólver calibre 38.

Sem saber que se tratava de um policial, o vigilante teria levado a mão à cintura para sacar a arma, quando foi abatido a tiros por Carlos Costa.

Mirante do Tapajós - Santarém - Amazônia

Mirante do Tapajós. O crime ocorreu na casa ao alto, no fundo. Foto: Ronaldo Ferreira/arquivo Blog do Jeso

  • 13
    Shares

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

70 Comentários em: Assassinato no Mirante

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • eu disse:

    Esse pessoal não sabem nem a diferença entre Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal. Estão confundindo as instituições. A PF é Polícia Judiciária da União, a PRF é Polícia Ostensiva das Rodovias Federais, ou seja , o envolvido nesa situação é um PRF e não um PF.

  • Durval disse:

    Esse pessoal do PT e f…, querem colocar o fato ocorrido ontem na praça do mirante como um fato político. Nada a ver.
    Só porque o cara que morreu era ‘segurança’ da prefeita. Mas que segurança é essa que não sabe se portar como tal? não tem qualificação para tal? e ainda não tinha porte de arma e portava uma arma ilegal.
    Ah, ia esquecendo, queria se passar por polícia, abordando e revistando as pessoas. Taí, deu no que deu.
    Eu soube que ele era acostumado a tirar uma de polícia e andar armado, com arma ilegal.
    Agora esse pessoal de Osmando e Lucineide querem dizer que foi um caso político e que foi mandado. PQP, não lógica. O policial que matou nem daqui era.
    quem estava inflamando ontem lá na delegacia era o CALANGO, aquele limpeza que todos conhecem e que no início do governo Maria I, usava uma camisa com os dizeres SANTARÉM, CIDADE DA DENGUE, lembram? e que depois foi calada sua boca com um empreguinho na PMS dado pelo Osmando.
    Agora, quem invadiu a casa do PAC no uruará e intimidou a mulher que desmaiou e passou mal, foi a Maria do Carmo.
    Alguém é contra e contesta?

    1. anônimo disse:

      queria perguntar para o escrivão que acha que é correto ceifar uma vida devido os erros legais do segurança se fosse com alguém de sua família estariam fazendo esse mesmo comentário tão cheio de “IN” justiça…francamente se fosse alguem de sua família que estivesse morto vc não teria todo esse discurso….e aos políticos que estão pra se degladiar na reta final dessa eleição, por favor respeitem a dor alheia ao invés de tirarem proveito de tudo…bando de ururbus

  • Santareno - Com Você disse:

    Uma fatalidade o que aconteceu!!! A própria prefeitura já declarou que o contrato era para ser desarmado, por que então o vigia estava armado e por que com arma raspada???
    Quanto ao policial, todos sabemos que eles são treinados para isso, para este tipo de situação, atirou por que o vigia quis reagi. Se uma pessoa lhe aponta uma arma e lhe da voz de prisão VOCÊ REAGE??? Eu não???
    Agora quanto aos outros fatos que se seguem, de fato eu não entendo do procedimento, mas acho correto a atitude tomada pela policia, ficam agora criticando, bradando ao vento, mas é o dever da policia fazer isso, já fizeram aqui em outros lugares a mesma forma para criminosos de verdade com fins de resguardar a sua integridade.
    Deixemos de hipocrisia, de nos acharmos ofendidos, de “endeusarmos” as pessoas depois de sua morte. Volto a afirma todo policial, da espera que fosse, agiria desta forma.
    Meus sentimentos a familia, a dor é sempre grande nesta hora.

    1. Cidadão Luz disse:

      Conforme temos acompanhado na historia do Brasil, o PT sempre está de olhos fechados. Se esse rapaz estivesse trabalhando na legalidade não teria sido vitima de irresponsabilidade … O policial é preparado e não deve ter cumprido o seu dever.

  • Anonimo disse:

    Queridos leitores deste blog, quem matou o MILITANTE e VIGIA do PT foi um Policial Rodoviário Federal, portanto servidor da Presidenta Dilma tb do PT. O Jatene e o seu partido 45 não tem nada com essa história. Deixem de colocar chifre em cabeça de CAVALO!! Foi um fato triste e lamentável e tudo não passa de mera coincidência!! Que Deus conforte essa Família!

    1. Eleitor Cidadão disse:

      Anonimo, uma investigação paralela a polici do Jatene estaá em andamento, pois é muito suspeito a PM maloca o assassino e ajudar na fuga, sem que fosse concluida a investigação, se ele de fato for um PRF que não existe provas pois nimguem viu a matricula dele, porque carteira e sistintivo qualquer pode conseguir, fica ligado porque o caso não morreu, tem coelho nesta moita.

    2. anônimo disse:

      acho incrível! estamos falando d uma vida que teve seu fim tão brutalmente e que uns (escrivão e companhia) acham que foi correta a ação do PRF, outros tiram proveitos políticos….francamente sinto muito pela família que sofre essa dor….e o resto são todos urubus em cima de carniça

  • Anonimo disse:

    A População de Santarem (nem todos é claro) na sua grande maioria não deixam de serem um bando de abestados, adoram exaltar qualquer um que vem de fora, fazem seu pé de meia e depois sopram uma banana pros mocorongos, como é o caso de uns e outros quese fixzeram na política por exemplo, e ainda hoje ficam mandando e desmandando aqui na terrinha como é o caso do vice da Luluzinha. Gente tá na hora de dar um basta nessa gente, temos é que oportunizar a prata da casa, vê se um santareno vai botar banca em outro lugar se fosse o contrário, um santareno que fizesse o mesmo com um poilicial lá em sampa o caboco tava ferrado pro resto da vida. A população tem que se mancar criar vergonha na cara e dizer não pra essa gente que ninguem sabe de onde veio e nem pra onde vai. fui!!!!!!

  • Hitamar Santos disse:

    Jeso, sem entrar no mérito pela emoção, mas sim, pela razão e pela legalidade, emito o seguinte comentário.
    Para analisarmos qualquer caso ou situação, temos que observar pelos dois lados, com prós e contras:
    O rapaz que foi morto na praça do mirante, estava armado com um revólver calibre 38, municiado e numeração de série raspada. Ele não usava nenhum tipo de identificação que pudessem presumir ser ele um vigia ou vigilante do local. Ele não tinha permissão para portar arma de fogo. Ele não tinha atribuições de abordar quem quer que seja e/ou fazer revista pessoal ou exigir documento de ninguém. Ele estava fazendo uma abordagem com arma em punho à adolescentes no local, como se fosse um policial.
    O Policial Rodoviário Federal estava armado. Ele tem porte de arma de fogo. Ele foi treinado para portar arma de fogo e usá-la em sua defesa ou de terceiros. Ele tem o dever de agir contra o crime ou quem esteja cometendo (ao contrário do povo, que pode agir).
    O PRF, como todo policial, deve portar arma de fogo, porque ele tem o DEVER de agir a qualquer hora ou em qualquer lugar contra alguém que esteja praticando um crime.
    Em tese, o então vigia (sem qualquer identificação) da praça do mirante estava portando ilegalmente uma arma de fogo, porque não tinha porte, e a arma de fogo também era ilegal porque
    não tinha registro e nem poderia ter, visto que sua numeração de série, que identifica a arma, estava raspada, situações criminosas previstas na lei 10.826/03.
    Quando o PRF avistou aquela situação de abordagem com arma de fogo em punho contra alguns adolescentes, sem que a pessoa que estava abordando tivesse qualquer identificação, logo presumiu ser uma situação ilegal e criminosa, o que poderia ser um assalto, e ele, como policial, ficou em alerta, pois se aquela situação de assalto se estendesse até sua pessoa e o meliante descobrisse que a vítima era policial, este seria morto na hora (isso todos sabem e é realidade), então, quando o suspeito teria colocado a arma na cintura e continuava abordagem nos adolescentes, rapidamente o PRF teria sacado sua arma e se posicionado na posição 3º olho e teria anunciado que era polícia, quando teria havido a reação do suspeito, inclusive teria pegado um dos adolescentes e colocado à sua frente como escudo humano, e quando teria tentado sacar sua arma da cintura, foi alvejado duas vezes pelo PRF.
    Na situação acima descrita, eu, na qualidade de policial, teria agido da mesma forma. Ou se eu desse chance para o suspeito sacar sua arma e atirar primeiro, eu teria condições de reagir? Já alvejado e morto?
    Finalizando, que me perdoe os familiares, pois meu comentário é realista e sem demagogia, quem usa arma de fogo ilegal é criminoso, e a polícia tem o DEVER de combatê-lo, e de agir em sua defesa ou de terceiros.
    Agora, se alguma das pessoas não gostam ou antipatizam a polícia, paciência e que me perdoem, devem ter seus motivos, talvez não tiveram a oportunidade ou competência de ingressar ao quadro policial, pois todo policial é preparado para portar arma de fogo e para exercer a profissão legalmente.
    E se fosse ao contrário? no caso se o vigia tivesse atirado primeiro no PRF e este viesse a morrer com sua arma na mão? Isso sim, seria um despreparo total do policial, pois ele não foi treinado para deixar o agressor atirar primeiro e morrer com a arma na mão. Acho que fui bem claro.

    1. Claudia disse:

      Parabns policial, a versão realmente está certa. Estava na escola e o q presenciamos foi realmente isso mesmo. Que o povo pare de analisar as coisas de maneira barrista, sensacionalista.

    2. Polícia disse:

      é isso mesmo, explicou quase tudo e só não entende a ação do policial quem não conhece POLÍCIA & DIREITO PENAL. vão estudar direito. Já ouviram falar em legítima defesa real?

    3. Santareno - Com Você disse:

      Nobre policial, concordo contigo em tudo. Acho que nesta altura do campeonato querer inverte a situação é o mínimo esdruxula. Demagogia e hipocrisia não combinam com o que aconteceu.
      Não sou policial, mas conheço alguns e todos fariam a mesma coisa aqui em Santarém.

    4. X9 disse:

      O PRF se enquadro na legítima defesa real.
      Alguém do direito penal pode acrescentar o enquadramento ao fato concreto.

    5. João Silva - Santareno e Tapajônico disse:

      Caro policial, você só analisou com relação a um lado: do policial. Seu colega também policial subsundiu o Art. 121 do CP. Se foi legítima defesa própria, de terceiros ou putativa, não cabe análise no âmbito da polícia judiciária: Delegado de Polícia. Isso é tese de defesa e, portanto, é analisada na fase judicial, com o contraditório e ampla defesa. Como se trata de crime doloso contra a vida, é de competência do Tribunal do Júri Popular. Se o autor for encontrado nas circunstâncias previstas no Art. 302 do CPP (flagrante delito), deveria ele ter sido apresentado à autoridade policial e esta ter lavrado o respectivo auto de prisão em flagrante delito e comunicado imediatamente ao juiz de direito, que é autoridade competente para verificar se o policial poderia ter sido beneficiado pelo instituto da liberdade provisória ou outra medida cautelar prevista no Art. 319 do CPP, ou, em ultima ratio, ser convertida em prisão preventiva.

      O absurdo é que a Polícia Militar do Estado deu suporte para o PRF, inclusive transgredindo disciplinarmente a legislação militar ao fornecer fardamento ao policial rodoviário para sair da cidade (distrito da culpa).

      Perdoe-me, mas se fosse você, que disse proceder da mesma forma, que matasse um vigilante ou qualquer outra pessoa em São Paulo, duvido, e muito, que você recebesse o mesmo tratamento dispensado ao seu colega de polícia. Certamente você estaria preso e com pouca comunicação com seus familiares em Santarém. Ficaria lá por muito tempo. Seu cargo em risco de ser perdido por demissão junto à sua corregedoria. Além de responsabildiade civil de ressarcimento aos familiares da vítima.

      Esse policial matou um santareno. Deveria ele permanecer nesta cidade para responder pelo crime. Deveria a situação dele ser analisada por um juiz de direito. Não é atribuição das polícias civil, militar e rodoviária federal, decidir sobre o destino de seus membros.

      1. thelma disse:

        Foi flagrante delito? Foi o próprio PRF quem ligou para a PM e o SAMU.
        Ele deveria permanecer na cidade para responder pelo crime? Tão senhor da lei e faz uma afirmação desta. Porquê? O PRF se identificou, prestou depoimento, não fugiu do local. Fez tudo o que esteve a seu alcance. Está à disposição da justiça.
        Fatos expostos pela polícia investigativa até agora e publicados na mídia:
        O vigilante estava com arma raspada – infelizmente era um criminoso.
        O vigilante não tinha porte, não deveria estar com uma arma de fogo – infelizmente era um criminoso.
        O vigilante estava abordando pessoas e revistando. Um vigilante não tem o poder de polícia -infelizmente era um criminoso.

        Quem é o criminoso?

        1. thelma disse:

          O principal não coloquei:

          O vigilante, pelo menos, estava identificado com fardamento?
          Não.
          Policial ou agente de segurança não trabalha sem se identificar, na grande maioria das vezes o policial está fardado, principalmente em seu horário de trabalho.

          O que um policial ou agente de segurança deve fazer diante de uma abordagem em que ele será o fiscalizado? Se identificar, não realizar movimentos bruscos, aguardar o comando do agente fiscalizador. Inclusive informar que está com arma e informar onde a mesma está. Reforçando, deve aguardar o comando de quem o está fiscalizando.

          Como dizem, o vigilante era um pai de família, era sim.
          Era amado por muitos, com certeza.
          Mas, infelizmente, estava cometendo atos criminosos que culminaram nesta tragédia.

    6. PRF disse:

      é bom conversar com quem entende, pelo menos o básico, de direito penal.
      Parabéns ao Hitamar pela colocação, sem demagogias.

      1. Admiradora da Justiça disse:

        certíssimo PRF, discutir com quem não entende do assunto é complicado. Há que diga que o andré não deveria estar armado pois estava de férias. ABSURDO!!!!
        1º Ele é um PRF e tem porte de arma…pode usá-la fardado ou não em situações
        2º não estava de férias e nem está.

    7. Anônimo disse:

      Mais a policia só foi preparada para matar, atirar no peito…….

    8. ACRP disse:

      Fiquei sabendo do fato ocorrido ontem, por mera coincidência. Sou advogada e o conheço. O Sr. Hitamar Santos, explanou muito bem os fatos e pontos jurídicos.
      Posso falar pelo conhecimento da índole dele, pessoa maravilhosa e que age sempre dentro da lei, mas não vamos falar do lado emocional.
      Uma pessoa fica restrita a sua saída da cidade quando mostra perigo a Ordem Publica, como também não colabora com a investigação. Como relatado, ele não fugiu, chamou a policia, SAMU, recolheu a arma para pericia, prestou depoimento, ou seja, não há necessidade de ficar impossibilitado de sua sair da cidade. É um fato lamentável, pois trata-se da vida de uma pessoa, ou melhor, de duas pessoas e seus familiares: A dor da perda e a dor de carregar a morte nas costas. Como também já dito em outros comentários, se o vigilante era treinado, por que não agiu da forma do seu treinamento? Se o PFR ficasse parado e levasse o tiro, qual o comentário seria agora: Morreu por que não agiu conforme seu treinamento. Gente, é triste para ambas as partes, é muito fácil julgar. Difícil é pra que está na situação.

  • A. ROCHA disse:

    Que fato lamentável! O policial rodoviário esqueceu-se que não estava na região de Campinas – moro em Jundiaí, ao lado de Campinas e trabalho em Campinas e sei a paranóia que é a questão da violência por aqui – e foi logo atirando. Certamente, em STM até os episódios de violência devem ocorrer numa gradação bem inferior ao que se vivencia por aqui. Contudo, investigações à parte, o homicida deverá tem de responder pelo seu juízo de valor equivocado, ou pelo excesso. Lamentável!

  • Raimundo Castro disse:

    Esse filho de uma égua deve ter feito treinamento na asfarc, taliban ou sei lá aonde. mas que preparado mesmo ele não está.

  • Augusto César (Guto) disse:

    E desespero e desespero e desespero e desepero……

  • Julinho disse:

    Bonito o papel da PM do Jatene !!! Eles mataram o vigia pela segunda vez, dando cobertura para a fuga do assassino sorridente.

    JATENE 45, NÃO E NÃO !!! FORA DE SANTARÉM DO TAPAJÓS !!!

  • verdade disse:

    Inicialmente temos que diferenciar Vigia e Vigilante, mas isso faz alguma diferença? faz toda. Vigilante passa por cursos regulamentados pela Polícia Federal e trabalha em um empresa fiscalizada pela mesma, usa uniforme característico da empresa bem como somente pode porta arma no seu posto de serviço, mas não possui poder de polícia. Já o vigia, que era o caso do rapaz que infelizmente morreu, em hipótese alguma pode portar arma de fogo e também não tem poder de polícia, ficando somente em seu local de trabalho observando e caso presencie algo estranho aciona os órgãos competentes. No caso em questão conforme relatos das testemunhas o vigia abordou com arma em punho dois garotos que estariam usando drogas, usurpando o papel da polícia. Então o policial rodoviário, acreditando que os menores estavam sendo vítima de roubo mediante grave ameaça, o vigia estava com arma irregularmente e tampouco usava qualquer identificação que viesse deixar claro que era agente público em serviço, o policial usando o instituto da excludente de ilicitude, legítima defesa de outrem, usou sua arma de forma putativa acreditando que estaria ocorrendo ali um crime.

    1. Anônimo disse:

      putitanga!!!

  • MARINA PIRES disse:

    triste acontecimento pior coisa um trabalhador sair da sua casa e sua familia tem a certeza da sua vo

  • Lamento sinceramente pelo brutal assassinato e perda da vida de um pai de família.

    Salvador

  • Observador disse:

    Prisão pra esse assassino travestido de policial. Matou meu primo, um mem trabalhador, que lutava diariamente para sustentar sua familia! Cadeia pra esse assassino!!!

  • Profissional disse:

    o vigilante estava uniformizado? isso é importante também. é hora de investigação minuciosa.

  • CLEITON disse:

    ESSE QUE FOI ASSACINADO É O CHEFE DE SEGURANÇA DA CANDIDATA LUCINEIDE PINHEIRO. VERIFIQUEM SE O 45 NÃO TEM NADA HAVER COM ISSO AI??????????????????????????. EU OUVI HISTÓRIA DE QUE ONTEM A VITIMA TINHA DITO A PESSOAS PROXIMAS QUE ESTAVA SENDO SEGUIDO E AMEAÇADO

  • Anônimo disse:

    Esses caras são uns bandos de arrogantes e despreparados. Ficam intimidando motoristas…se acham melhores que os simples mortais.

  • Curica disse:

    LEGÍTIMA DEFESA PUTATIVA !

    A legítima defesa putativa se constitui na conduta do agente, que ao se imaginar em situação de legítima defesa, reage a esta suposta agressão injusta.

    São relevantes ao estudo da legítima defesa putativa os pressupostos da legítima defesa, quais sejam os elementos objetivos (existência de agressão injusta, atual ou iminente, moderação no uso dos meios necessários); e o elemento subjetivo (vontade do agente em se defender).

    A legítima defesa putativa está inserida entre as descriminantes putativas, previstas no artigo 20, §1º, do Código Penal.

    As descriminantes putativas são divididas, doutrinariamente, entre as que ocorrem em relação a pressuposto fático de uma excludente de ilicitude, e, quando relacionadas ao limite ou a existência de uma causa de justificação.

    1. Francisca Barros disse:

      Ou seja, qualquer advogado o o livrará facilmente de uma condenação…

      Somente…

  • Paulo disse:

    Jeso!!

    Fiz uma viagem agora pelo Brasil, Rodei de carro por mais de 8.000km nas estradas brasileiras, a maioria Federal. por incrível que pareça, não fui abordado em nenhum posto da PRF, se quer tinha patrulheiros na frente do posto. È uma vergonha isso, é o tipo de classe que se acabarem não vai fazer falta para quem viaja. e esse despreparado vem lá de SP matar um trabalhador aqui na nossa pacata cidade. é um despreparado vou mandar um vídeo que tenho do treinamento desse PRFs. Despreparo total!!!

  • suely fernandes disse:

    Tá pensando que Santarém é terra violenta, policia imbecil???É lamentável que um cara trabalhador como o Davi, tenha tido um fim tão trágico, nosso repúdio a esse assassino, tem que fazer justiça!!!
    Esses policias federais são muito abusados mesmo, cansam de cometer desmandos pela nossa cidade.

  • Anônimo disse:

    Vê-se que andar armado virou status. O policial está na cidade à passeio e anda em pontos turísticos armado. Atira a queima roupa, no peito, em um vigilante de uma escola, também armado à luz do dia. Por que ambos portavam armas? É a pergunta que me faço.

  • Anônimo disse:

    Instrutor de tiro que atira de forma letal ao invez de atirar para imobilizar. Sabe-se lá se ao menos se identificou.
    Uma fatalidade para a familia do vigilante.

  • Caboco besta disse:

    Jeso, ouvi falar que a vitima era coordenador de segurança da candidata Lucineide e que ontem ele teria falado que estava sendo seguido por que não permitia bandeira amarelas no mirante, tu tens como averiguar isto se tem alguma coisa haver, alho com bugalho.?

  • Anônimo disse:

    Um rapaz foi vitíma de homicídio hoje pela manhã e seu assassino estranhamente, de forma suspeita está neste momento no aeroporto saindo de Santarém escoltado pela polícia militar. Se ele não deve, porque fugir? Tem motivação politica nisso ou não?É o 45 mandando ele ir embora.

  • Antenor disse:

    Um desses policiais rodoviários instrutores de tiro, há alguns anos, matou um aluno também policial rodoviário em Brasília. Definitivamente, esses patrulheiros rodoviários não estão preparados para portar uma arma.

    Que tipo de treinamento vêm recebendo?? É normal um policial viajar de avião ou fazer turismo portando um “trabuco” atemorizando(ou matando) as pessoas?

  • João disse:

    Quanto despreparo deste imbecil. Que apodreça na cadeia.

  • Gracilene Amorim disse:

    A história desse policial não me convence, está muito estranha. Quer dizer então que eu suspeito de alguém e já vou atirando sem que de fato haja um risco iminente? Parece um assassinato, e somente a investigação policial irá esclarecer esse crime. Meus pêsames à família desse trabalhador!

    1. Luciano disse:

      o cara estava com uma arma de calibre 38 e raspada! o que acha?

  • gesiney de melo vieira disse:

    O ministério público deve tratar , com bastante rigor da justiça , o patrulheiro Carlos André , que assassinou o jovem trabalhador Davi, esses patrulheiros são autoritários e ninguém fiscalizam os mesmos , não são devidamente formados , pois , se fossem , não confudiam pessoa de bem com bandido , o Cláudio , dono da estância união , também foi vitima com um tiro na boca em funçao do despreparo destes que se acham os todos poderosos por usarem armas . Alguém da justiça tem tomar providência contra estes autoritários.

  • Anônimo disse:

    Esse cara que matou o vigilante é um criminoso como outro qualquer, com a agravante de ser um policial de outro Estado e estar armado, mesmo sendo policial federal. Pela lei, policial só pode andar armado em outro Estado se tiver em serviço e se isso for informado ao governo do Estado receptor. O que parece não ser o caso, porque o PRF paulista estava passeando. Passeando armado na terra alheia?

  • Percival Dias disse:

    Um crime bárbaro porque o vigilante morreu “de graça” , Estava apenas cumprindo o seu papel que é ser vigilante da praça do Mirante.
    Mas, é bom que se diga que não existe ligação com a política como ja tem algumas pessoas falando.

  • PENADINHO disse:

    Essa história dele está muito mal contada. Matou um pai de família em seu ambiente de trabalho. E agora? vão deixar ele sair impune?

  • Vanessa disse:

    Minhas condolências a esta familia que perde um ente querido por despreparo por parte de quem atirou.
    Lamentável.

  • Bruno disse:

    Um policial de férias usando arma, isso é permitido?

    1. João disse:

      Se a arma for própria não vejo problema…

  • Junior disse:

    E que a Justiça seja feita…

  • Paulo Victor disse:

    Não sei como os fatos ocorreram, mas não pude deixar de notar que o vigilante estava em serviço, porém, SEM NENHUM TIPO DE IDENTIFICAÇÃO, como farda ou coisa parecida. Concordo que o policial federal agiu com extremo excesso, porém há de salientar que ele viu uma pessoa comum com uma arma na cintura. O poder deve ser penalizado, juntamente com a empresa terceirizada, por ter exposto um prestador de serviços à risco de vida fora dos padrões aceitáveis. Se o vigilante estivesse trajando um uniforme, creio que muito mais difícil uma situação como esta ocorrer.

  • Jorge Luiz disse:

    Como já foi notificado esse elemento é policial federal rodoviário, que estava passando férias em Santarém. Será que não ensinaram lá pelos lados de São Paulo que só pode usar arma de fogo os agentes no desenpenho de suas funções, isto quer dizer “EM SERVIÇO”. Parece que não era este o caso. qunto ao Davi segundo informações ele era Prestador de serviço da Prefeitura, participante da equipe que fazia a vigilancia da praça, portanto credenciado para coibir abusos de comportamento que por lá existisse. Estranho esse policial esta armado na praça. Acho que é preciso investigar, e punir com rigor esse senhor que tirou a vida de um cidadão santareno, afinal não é porque ele vem de uma cidade mais desenvolvida, que pode ir fazendo abuso de poder e ficar por assim mesmo, precisamos fazer faler a Lei de igualdade para todos. santarém pode ficar em um local menos desenvolvido do Brasil, no entanto somos brasileiros também com direitos e deveres regulamentados pela Contituição Federal do Brasil.

  • João Renato Aires De Mendonça disse:

    Só quem pode prestar os devidos esclarecimentos são os garotos que estavam no local. Mas, pela ostensividade da situação (um policial rodoviário, de férias, armado, talvez sob o efeito de álcool…) deva ter havido excesso de autoridade. Espero que nossa polícia civil não permita que o PRF faça a evasão da cidade sem que haja as devidas conclusões do ocorrido.

    1. Claudia disse:

      Sou da escola. A versão q andam contando é inescrupulosa. Nossos colegas contam q estavam no mirante, o policial já se encontrava, quando o vigilante chegou com a arma apontando pra cabeça deles. O policial, q estava no chão com a namorada/ou esposa usando o notebook, reagiu imediatamente mandando ele largar a arma. O segurança não obedeceu e se jogou pra cima dos meninos, na terceira ordem, o q fez o policial pensar q ia os fazer de refém (e acho q ia mesmo). Então o pior aconteceu, mas o policial agiu certo sim,me desculpem, quem tava errado foi o segurança.

  • Alberto disse:

    Caro Jeso Carneiro, esse crime não pode ficar impunhe, esse assassino pode ser até do inferno, mais ele tem q pagar pelo q fez, ele ´pe um instrutor de despreparo isso sim, tirou a vida de um cidadão, a polícia tem q considerar q foi preso em flagrante e colocar no cucurunã, se não aqui em Santarém ainda vai virar casa de Irene, todos vem pracá, fazem o q bem querem e nada acontece, cadeia pra esse dispreparado, penitenciária pra ele!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Greg de Matos disse:

    O Policial desprepardo, mas o que um vigilante faz armado, principalmente sem fardamento! Dois erros uma morte, resta saber quem autorizou esse vigilante a andar armado em local público??

  • Anônimo disse:

    Infelizmente morre mais um trabalhor, por culpa do despreparo desse PRF.

  • Mateus. disse:

    Jeso, isso é inadimisevel, o vigilante executando o seu trabalho que e zelar pelo patrimonio publico pelo qual e pago para vigiar. E morto trabalhando por um individuo que se diz ser policial( DONO DO MUNDO QUE ANDA ARMADO) e ainda mas a PASSEIO, sera se esse rapaz tem que ser chamado de policial?? que eu saiba o policial msmo que a paisana tem que observar os fatos pra depois tentar agiar e nem isso ele fez, num ato de imprudencia tirou a vida desse cidadão que nao estava passendo e nem tirando fotos e sim trabalhando !!!!! espero que a policia de santarem nao deixe logo mas esse individuo pegar um avião e ir pra sua cidade tranquilo como se nada tivesse feito! isso e um absurdo fica aqui minha indignaçao !

  • Tom disse:

    Meu caro Jeso, que policial federal é esse despreparado, que sai por ai atirando a toa em tudo que é pessoa, não procura saber o que está acontecendo naquele momento, ” pensei que fosse um assalto” custava o policial (elemento) dar voz de prisão para a outra pessoa ainda com a arma na cintura, desde que o PF se identificasse para tomar devida providência. Velho esse rapaz pensa que ele está em SP devido ao alto índice de criminalidade no seu Estado (SP).

    1. Realista disse:

      É verdade meu caro mas a realidade no outro extremo de nosso País é bastante diferente da nossa, pois pra nós o rapaz andar com revolver na cintura é normal mas vai vc fazer isso em São Paulo, Rio, é querer morrer ou ser preso. Acho que a atitulde do policial condiz com a atual situação existente no resto do nosso pais. Infelizmente não era o que o policial pensava. Na minha visão foi uma fatalidade desencontro de REALIDADES…..

    2. PC disse:

      Tom, o assassino não é Policial Federal, e sim Rodoviário Federal, não confunda as instituiições.

  • Santarem disse:

    Carlos André Conceição Costa é totalmente despreparado e desequilibrado para portar armas. 12 anos de prisão. Lamentável.

    1. De olho disse:

      Quem disse que ele vai ficar preso? quer apostar? pelo que eu conheço, o delegado vai colocá-lo em liberdade de imediato, não tem aquilo roxo para lavrar o APF, e mandar o PRF despreparado em cana, quem se ferrou foi o vigilante e sua família, o PRF vai sair contando que é o cara, porquê matou um trabalhabor em pleno trabalho!

  • prf disse:

    Assassino de farda, que mancha a imagem dessa bela instituição. Despreparado deve ter problemas de saúde, psicologicos e veio tirar o stress aki.

    1. Anônimo disse:

      E se fosse o contrário o que dirias?

    2. Junior Chaves disse:

      Jeso,
      Na Bahia, uns dois anos atrás um delegado de polícia foi assassinado no momento em que estava em seu carro, ao lado de sua esposa, concedendo uma entrevista, por telefone, a uma rádio. (confira aqui: https://veja.abril.com.br/020610/assassinato-ao-vivo-p-084.shtml )

      Dia 30 de agosto último, um delegado da delegacia de homicídios de SP morreu após ser baleado (confira aqui: https://www.rondoniavip.com.br/noticia/zona-leste-de-sp-delegado-do-departamento-de-homicidios-e-assassinado-a-tiros-fotos,policia,11013.html )

      No RJ são diversos casos iguais e assim pelo Brasil todo.

      Tenho curiosidade em saber: será que, no caso de hoje, fosse um delegado de polícia local ou um policial militar lotado em Santarém, seriam taxados como “imbecil” ou “despreparado” por terem sacado sua arma na tentativa de sobrevivência, diante de um desconhecido armado com um revolver calibre 38?

      Se as testemunhas do caso confirmarem a versão do policial, a ótica a ser analisada é outra. Afinal, o simples fato do vigia (diferente de vigilante, que possui curso e trabalha para empresas especializadas) estar armado, já cria uma dificuldade imensa, pois constitui crime e o policial, ainda que PRF, é obrigado, por força da Lei, a agir diante de um crime ou ameaça de um crime. E de acordo com a versão, o vigia teria sacado a arma. Outro ponto: ele era vigia da escola ou da praça? Vigias têm autoridade legal para abordar cidadão e exigir identificação?

      É uma situação muito difícil, que certamente trouxe dor aos familiares e amigos pela perda do ente querido, mas cabe à Polícia apurar os fatos, à imprensa divulgar tais fatos para conhecimento da sociedade e por fim, à Justiça, julgar o homicídio, baseada nos autos do processo.

      Cautela em tratar de forma tão áspera o policial, é no mínimo, necessária. O clamor popular deve aspirar por uma apuração justa, e deve evitar condenar uma pessoa sem dar a ela o amplo direito à defesa. Há testemunhas que estavam no local. Seu depoimento será de enorme valia nesse caso.

      Sinceros sentimentos à família pela perda sofrida.

      1. Eduardo disse:

        Ótimo…primeiro q houve um assalto e ningm fala nisso, os 3 moleqs tentavam assaltar o neto do mesched e o segurança foi interceptar…na confusão os assaltantes at foram soltos e ningm falou nada…vimos um pouco da escola,o policial talvez poderia não ter atirado,mas o q ouvíamos ele contar imediatamente após o crime,qdo ainda ningm tinha chegado, é o q o NOtapajós relata. A verdade é q todo dia há assaltos no mirante e ao redor, as zeladoras do FA são assaltadas toda semana ao chegarem 6h30 pra trabalhar, o FA nao tem vigia pq o governo não coloca. Enfim,foi uma fatalidade, mas a culpa é a falta d segurança pública naquele local. Fato! E os ladrões?….rssss