Justiça condena 3 em Rurópolis; 2 com prisão de 20 anos por crime de latrocínio

Três homens foram condenados pela Justiça em Rurópolis, oeste do Pará. 2 deles por latrocínio – roubo seguido de morte – ocorrido em junho do ano passado, crime que causou enorme repercussão no município. Dois dos réus pegaram pena de prisão de 20 anos, em regime fechado.

A denúncia foi oferecida pelo Ministério Público do Pará, acatada pela Justiça e sentenciada na quinta-feira (10) pelo juiz Odinandro Garcia Cunha. Cabe recurso.

 

“Os réus praticaram fato típico, ilícito e culpável, portanto punível”, destacou o magistrado em sua sentença, de 18 páginas.

Os condenados são:

Weldson Jesus dos Santos, o Marcos, condenado a 21 anos de prisão, em regime inicial fechado, por latrocínio.

Lucas de Oliveira Silva, condenado a 20 anos de prisão, em regime inicial fechado, por latrocínio.

Ednelson Silva de Almeida, o Bi, condenado a 6 anos e 8 meses de reclusão por tentava de roubo qualificado pelo emprego de arma de fogo. Cumprirá a pena em regime inicial semiaberto.

Os 3 estão presos desde o dia 28 de junho do ano passado. Odinandro Cunha os manteve na prisão, pois, segundo o juiz, não há “razão jurídica e fática” que justifique a soltura dos réus, para que respondam o processo em liberdade.

O crime e a condenação da Justiça

o crime ocorreu no dia 26 de junho de 2019, por volta das 19h30, na residência das vítimas – João Batista de Aguiar e Antônia Lima de Oliveira Aguiar – localizada na BR-230 (Transamazônica), Km 67, trecho Itaituba-Rurópolis.

Weldson Santos, o Marcos, e Lucas Silva, ”mediante violência e grave ameaça, exercida com emprego de arma de fogo”, tentaram invadir a residência do casal com intenção de roubo. Porém, “por razões alheias as suas vontades”, não tiveram êxito.

 

Fugiram do local após de assassinarem Antônia Aguiar. Consta, ainda, que os dois executores do crime tiveram a colaboração Edinelson Almeida, que era funcionário do casal e teria repassado “informações cruciais os outros réus, indicando inclusive o horário e local para prática” do crime.

“Julgo parcialmente procedente a denúncia para condenar os réus Weldson Santos e Lucas Silva, pela prática do crime previsto no art. 157, §3º, inciso II, do Código Penal; e condenar o réu Edinelson Almeida, pela prática do crime previsto no art. 157, §2º, inciso II, e §2º-A, inciso I, c/c art. 14, II, todos do Código Penal”, sentenciou o juiz.

LEIA também: Ministério Público pede a prisão de Sandro Carvalho, autor do tiro que matou Apolinário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *