Publicado em por em Direto da Alepa

A cada uma hora cerca de 2 casos de violência contra mulher são registrados na Grande Belém

Alepa vai debater na 2ª, em sessão especial, violência contra mulher no Pará, deputada Renilce Nicodemos
Renilce Nicodemos, deputada do Solidariedade

Diante do cenário local de violência contra a mulher no Pará e no Brasil, a deputada estadual Renilce Nicodemos, do Solidariedade,  vai realizar na próxima segunda-feira (6),  na Alepa (Assembleia Legislativa do Pará), sessão especial para debater a temática da violência contra a mulher.

“O enfoque será nas políticas públicas ligadas ao tema, visando, especialmente, que sejam apresentados e discutidos mapas de enfrentamento e o resultado de tais políticas públicas”, antecipa a parlamentar.

Os casos de feminicídio registrados em diversos estados brasileiros, e apresentados no mês de março de 2019, segundo Renilce, reforçam a importância da consolidação das políticas públicas de enfrentamento à violência contra a mulher.

Dados do mês de março deste ano indicam que a cada uma hora cerca de 2 casos de violência contra mulher são registrados na Grande Belém.

 

De acordo com a Polícia Civil, em 2018 foram mais de 14 mil relatos de agressão apenas na região metropolitana de Belém. Em todo o estado, no mesmo período, foram mais de 19 mil ocorrências, um aumento de 14% em relação a 2017.

Os casos de feminicídio cresceram 20%. O Pará é o 7º estado com mais mulheres vítimas de homicídios e 8º em número de feminicídios — segundo Monitor da Violência, do portal G1.

Dados do Pará revelam que a violência atinge mulheres de todas as classes sociais e níveis de escolaridade. A maioria das denúncias são de ameaças e de lesão corporal leve.

TREZE ANOS

A lei Maria da Penha, promulgada há 13 anos, é considerada o marco legal de enfrentamento à violência contra a mulher. Em 2015, a lei do feminicídio, que considera crimes cometidos motivados por questões de gênero, também reforça os instrumentos legais de proteção à mulher.

Na sessão especial, Renilce Nicodemos vai discutir juntos com as autoridades formas de  combater estes problemas que assombram as mulheres do Pará e no final será divulgada a carta “O Grito da Mulher Paraense”.

Com informações da assessoria da deputada Renilce Nicodemos

Leia também:
Facebook remove página do deputado federal Éder Mauro por conteúdo violento


Publicado por:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.