MP cruza dados e identifica doação de R$ 5 mil a prefeito por beneficiária de auxílio emergencial
Delegado Fonseca, prefeito recém-empossado de Oriximiná. Foto: Divulgação/PMO

O MP (Ministério Público) Eleitoral cruzou dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e governo federal, e conseguiu identificar um caso de potencial crime eleitoral praticado pelo Delegado Fonseca (PRTB), prefeito recém-empossado de Oriximiná (PA), região da Calha Norte, na disputa em 2020.

Uma beneficiária de auxílio emergencial, que foi pago pela União a famílias carentes em todo país na pandemia do novo coronavírus, doou R$ 5 mil para campanha do policial civil.

 

A doação, segundo a promotora eleitoral Ione Nakamura, “indica falta de capacidade econômica do doador”.

Confirmada a ilegalidade, o prefeito Delegado Fonseca poderá ter seu mandato questionado na Justiça Eleitoral.

Os R$ 5 mil doados por Caroline Dias Oliveira corresponde a quase 7% do total de R$ 71.940,25 arrecadado em campanha pelo prefeito recém-empossado no cargo. Ele foi eleito com 48,29% dos votos; o segundo colocando, Ângelo Ferrari (PTB), teve 47,92 – diferença de apenas 102 votos.

— LEIA também: MP pede cassação de senador do Pará por desvio de R$ 2,3 milhões da cota de gênero

Por conta dos fortes indícios de crime eleitoral, o MPE pediu à Justiça Eleitoral em Oriximiná que o Cartório Eleitoral seja acionado para “que proceda a análise técnica da situação, intimando-se o candidato [José William Siqueira da Fonseca] para que se manifeste sobre as supostas irregularidades no prazo de 3 dias”.

O pedido foi protocolado no dia 13 deste mês.


📹 Assine o canal do Blog do Jeso no Youtube, e assista a dezenas e dezenas de vídeos.

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

Um comentário em: MP identifica doação de R$ 5 mil a prefeito feita por beneficiária de auxílio emergencial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Manuel disse:

    Justiça eleitoral com base no fato já pode cassar o mandato do prefeito, e a PF prender essa 171 que deu golpe no dinheiro público.