Indígenas da etnia Kaxuyana, de Oriximiná, protestam contra demissão de enfermeiro

Publicado em por em Oriximiná, povos indígenas

Indígenas da etnia Kaxuyana, de Oriximiná, protestam contra demissão de enfermeiro
Indígenas Wai Wai, de Oriximiná. Foto: CPISP

Lideranças indígenas da etnia Kaxuyana, do rio Cachorro, protestaram semana passada contra o gestor da Casai (Casa de Saúde Indígena), polo de Oriximiná (PA), pela demissão de um enfermeiro que atendia as comunidades indígenas isoladas. Christiano Adson Barbosa, também enfermeiro, é o responsável técnico dessa Casai. Ele é que comanda a Atenção à Saúde Indígena no município, com atendimento a 30 aldeias localizadas ao longo dos rios Trombetas, Cachorro e Mapuera.

— CONFIRA: Médico e ex-servidor da Semsa são condenados à prisão por fraude ao SUS em Santarém.

Metade das aldeias estão no rio Mapuera, onde se localiza a maior das aldeias com o mesmo nome do rio. É o lugar onde vive o cacique geral da etnia Wai Wai, embora exista um cacique em cada aldeia. Todas as tribos estão localizadas acima da Cachoeira Porteira, onde os 3 rios se encontram.

O demitido enfermeiro Thiago Gemaque atendia todas as 8 aldeias existentes ao longo do rio Cachorro. Na última segunda (29), Adson Barbosa se encontrava em Belém, quando a demissão de Gemaque foi anunciada, aparentemente sem justificativa.

O episódio é a ponta do iceberg das transformações políticas que vive Oriximiná. No mundo das comunidades indígenas, o cacique geral deixa o posto depois de 18 anos à frente de seu povo. As queixas administrativas sobre o trabalho de Adson Barbosa aumentam na mesma proporção em que ele perde aliados, entre eles o quase ex-cacique geral.

— LEIA: Indígenas denunciam Bolsonaro de genocídio no Tribunal de Haia.

As mudanças no comando da associação que representa os indígenas, a mudança no comando da diretoria da Educação Indígena, na secretaria municipal de Educação, fragilizam a posição de Christiano Barbosa, que neste momento está sob a mira da maioria das lideranças indígenas, insatisfeitas com os excessos gerenciais dele.

Enfermeiro Christiano Barbosa, nº 1 da Casai/Oriximiná. Foto: Reprodução

Apenas os que vivem na maior dentre todas as 30 aldeias, ou seja, a aldeia Mapuera, comparecem às urnas. Isso representa um pouco mais de 1.200 votos. Nas eleições de 2022, duas novas seções eleitorais vão garantir um aumento no direito à cidadania, por meio do voto, entre os indígenas. Eles historicamente representaram uma vantagem estratégica nas eleições protagonizadas pelo ex-prefeito de Oriximiná Gonzaga Viana.

Com Gonzaga fora de cena política, pois teve os seus direitos políticos cassados, as lideranças buscam a construção de um diálogo mais republicano com a classe política do mundo dos brancos. Na pauta, saúde, educação e melhoria da qualidade de vida das comunidades indígenas intensificam o apelo por mais direitos, mais representatividade, mais atenção e, sobretudo, por mais respeito.


Publicado por:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.