Loteamento Buriti, na avenida Fernando Guilhon. Foto: Celivaldo CarneiroLoteamento Buriti, na avenida Fernando Guilhon. Foto/arquivo: Celivaldo Carneiro

No ar, na coluna à direita, a nova enquete semanal do blog.

Ela faz o seguinte questionamento: “Qual o melhor destino a ser dado à área da Buriti/Fernando Guilhon em Santarém?”.

O local está interditado há cerca de 1 ano, por decisão da Justiça.

Há 4 soluções propostas para resolver esse caso. Escolha uma. Ou, na caixinha de comentários deste post, aponte outra.

Participe!

Leia também:
Programa Cheque Moradia vira lei.

  • 1
    Share

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

22 Comentários em: Nova enquete: o que fazer com a área da Buriti

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Sisi disse:

    Enquanto a buriti não retoma o projeto habitacional, esta área deveria ser usada pelo VON e seus secretário para fazerem o cooper matinal….quem sabe assim não deixariam a preguiça de lado e começariam a trabalhar!!!!!!

  • David Marinho disse:

    Bem, pelo que vejo o estrago já está feito, e tudo na cara de todo mundo, pois isso não foi feito da noite para o dia, levou tempo. Então, todos são culpados.
    Uma forma de minimizar esse dano, seria unir o útil ao agradável e necessário. A justiça liberaria o loteamento já implantado, mas apenas com a metade da quantidade de lotes hoje demarcados, e o restante da área, a Buriti deveria por força da lei, arborizar com espécies nativas das proximidades, pelo fato do terreno ser arenoso e apenas essas espécies sobvreviverá.
    E essa área a ser reflorestada seria principalmente nas proximidades do Lago Juá, para proteção contra erosões e carreamento de materiais evitando o assoreamento do lago, e uma faixa paralela ao asfalto da Rodovia Fernado Guilhon.

  • José Carlos disse:

    Esse debate nos obriga a pensar no PLANO DIRETOR DO MUNICÍPIO…

    As margens do Tapajós devem ser destinadas a preservaçao e ao lazer, e ao uso coletivo…

  • Seu Ricardo disse:

    Só não pode ser doado pros falsos ambientalistas e pros invasores deixarem virar uma grande favela. O correto seria Liberar para a Buriti construir com responsabilidade social e compromisso com o meio ambiente, construindo e reflorestando a area pois eles tem condição de fazer uma bela cidade jardim. Por isso existe os TAC;

  • Moacyr Mondardo Junior disse:

    Sou pela Ufopa mais o Centro de Convenções nesta área. Com essa área sob administração da Ufopa, que vai tratar de recuperar as áreas mais sensíveis, como as áreas próximas ao rio e ao lago para voltarem a ter cobertura vegetal.

  • Dárlison Andrade disse:

    Prezados,

    Quem conhece Santarém e já visitou o Lago do Juá, sabe que aquela área é de especial importância ambiental.
    Os moradores dos Bairros do Santarenzinho, Maracanã, Conquista, Amparo e Alvorada precisam de uma área verde similar a área do nosso ÚNICO Parque Municipal da cidade, por isso não há melhor uso para aquela área senão a criação de nosso segundo Parque Municipal.
    Preciso citar também que criticar quem defende a questão ambiental usando o termo “ambientalista” de forma pejorativa é de uma ignorância absurda que revela uma entendimento destorcido sobre “desenvolvimento” e uma falta de visão de futuro para a cidade que se continuar crescendo de forma desordenada modificará a cotidiano dos Santarenos para um cenário negativo com muito transito, calor, rios poluídos, sistema de saúde precário e infraestrutura insuficiente, ou seja, um caos!Então, defender a temática ambiental em Santarém é um raro ato de sanidade mental!

  • José Carlos disse:

    Faço minhas as palavras do nobre Dr Manuel Dutra que fala do alto da sua vivência, experiência, percepção da realidade e perspectiva de futuro…

    Ou o poder público toma conta dessa faixa, ou a elite se apropria de tudo!…

    Ao povo só resta invadir…

    Entao, nem um, nem outro, o melhor é a preservação por interesse coletivo…

    Tenho certeza que é nesse rumo que pensa a populaçao e essa enquete vai revelar isso. A maioria quer a desapropriaçao da área!

  • Jesica Silva disse:

    Esses ambientalistas só sabem reclamar! cadê que algum desses hipocritas apareceram lá pra plantar ao menos uma muda de jacarandá se quer!? essa area lembro bem nunca foi de mata virgem, ali a vegetação era tipo rasteira e com pequernas arvores! a ciade tem que crecer e nós santarenos temos que acordar pra isso, claro com todo respeito a natureza!

  • Fernando Lima disse:

    tomara que o projeto cidade jardim da buruti saia logo do papel pois estou maluco para comprar meu lote! e os ambientalista que vão morar no meio do mato!

  • Fabio Souza disse:

    será que esses ambientalistas idiotas querem que façam casa emcima das arvores? só pode pois onde já se viu expandir a cidade sem haver desmatamento?

  • Anonimo disse:

    Interditar depois de costruido e piada ou tentativa de corrupçao ou inviabilizaçao politica.Qualquer uma e piada.Santarem precisa crescer e esta e uma forma mais racional pois ja estara asfaltado e com urbanizaçao bem melhor que o NOSSA CASA MEU CUBICULO construido defronte.

  • Manuel Dutra disse:

    A cidade do Rio de Janeiro, no que é hoje a parte histórica, foi arborizada nos anos 1820, já caminhando para 200 anos. Belém, foi arborizada do final do século 19 para o século 20. E hoje, no século 21, ainda nos debatemos sobre essas coisas? Será que ainda estamos pensando que o “pogreço” é só cimento e asfalto? Será que não percebemos que as melhores cidades do mundo são aquelas que harmonizam a ação humana com a natureza?

  • Eriberto Santos Junior disse:

    Novo zoológico de Santarém, é só colocar aí, os que fizeram esse vandalismo e os que autorizaram que isso acontecesse! Daria pra cobrar o ingresso e mostrar para as novas gerações como se trancafia um animal irracional

    1. Carlos disse:

      Eriberto Santos Junior,
      Existe casas em toda orla do rio tapajós de pseudos ambientalista e tu não fala nada,
      essa região próximo ao lago do juá nunca foi uma área de floresta como os pseudos querem colocar e só tu da uma olhada no Google Earth que tu vai ver o capoeirão a imagem antiga não foi atualizada.
      Sou a favor do empreendimento mais tudo dentro das leis ambientais que por sinal poderiam obrigar arborizar cem vezes mais que a vegetação original

  • Adriano Tapajós disse:

    Na verdade a coluna está a direita. Mas vamos lá. O crescimento das cidades é um processo irrefreável e, muito provavelmente, será irreversível. Não existe crescimento urbano, sem que não haja derrubadas de florestas. A construção do espaço urbano exige grandes intervenções na paisagem e altera bruscamente grande parte de seus componentes bióticos e abióticos. É por isso que o loteamento particular, é a minha alternativa.

    1. Jeso Carneiro disse:

      É verdade, Adriano. Erro devidamente corrigido.

    2. José Carlos disse:

      Temos tantas áreas na direçao das quais pode se dar um processo de ocupaçao ordenada que daria muito bem para garantirmos uma faixa de floresta na beira do tapajós até alter do chao, emendando com a FLONA. Preservaria as margens do rio e dos igarapés, conforme a legislaçao preconiza, destinando uma margens maior de floresta nas margens do tapajós.

      É melhor mantermos essa faixa de floresta que margea o tapajós sob formas de ocupaçao coletiva para evitarmos a privatizaçao do acesso livre as nossas praias.

      Destinaria o interior para a ocupaçao, como está o minha casa minha vida, no outro lado da Fernando Guilhon.

      Tenho certeza de que nao vai ser por falta de terra que a classe média e a elite vai deixar de morar!

  • ANDERSON DEZINCOURT disse:

    Até hoje não entendo porque a UFOPA não adquiriu esta área e fica comprando pedaços aqui e ali, criando um bicho de 7 cabeças. Ainda há tempo do Governo Federal desapropriar a área para construir uma só UFOPA, inclusive com acesso ao rio, ou será que interesses “obtusos” não querem que isto aconteça? Outra enquete: A Buriti é do Lulinha mesmo? rsrs

    1. Angelo disse:

      Por que?
      porque seu antigo gestor era do governo do não!
      Não e não!!!!!!!!!!!!!!
      Aldão $$$$$$$$

  • José Carlos disse:

    Santarém precisa de áreas verdes preservadas, articuladas com a dinamica da vida urbana. Nao podemos deixar que nossa cidade, em plena floresta amazonica, seja pior que Belém que ainda conserva algumas áreas verdes nos centro da cidade, seja como parques, seja como praças, seja como bosque enfim.

    Dentre as opcoes apresentadas, defendo a desapropriaçao para criaçao de um bosque da biodiversidade com centro de convençoes e ecoturismo.

    Devemos sonhar e lutar para que Santarém seja um exemplo de cidade verde da Amazônia. O contrário será muito ruim pra nós que só temos a perder com a perda de nossas florestas e a poluiçao de nossos rios.

    Vamos fazer a diferença e manifestar nosso opiniao e nossa posiçao contra a especulaçao imobiliária descomprometida com o futuro sustentável da regiao.

    Vamos com o nosso voto mostrar o que queremos para a ÁREA DO JUÁ!

  • MARINHO disse:

    A política que existe por traz de tudo isso todos nos sabemos! $$$$$$$$$$$$$$$$$
    Existem em todo lugar do mundo condomínio na beira da praia (Mar), porém as leis com relação aos empreendimentos são severas.
    Qual e o problema de termos também essa opção?
    Ou será que o setor imobiliário ainda pretende com sua dominância continuar vendendo suas propriedades por valores absurdos?
    Ate aquele animal de quatro patas sabe se o governo desapropriar pagando um valor absurdo, mesmo assim vai virar um favelão ou campanha para 2014. Não e não leãoooooooo$$$$$$$$$$$$$$$?
    Já o diga o governo do Não!

  • Soraya disse:

    Ali já é um CÚ, falta apenas caga ou já é merda, falta um padrinho: um CÚ. Onde atirar vai dar na mesma coisa. Como um circulo, e isso lembra a? CÚ!