TJ do Pará emite nota de pesar por morte de servidora e juíza
Sede do TJ do Pará, em Belém: nota de pesar. Foto: Reprodução

O TJ (Tribunal de Justiça) do Pará emitiu nota de pesar pela morte de uma juíza e uma servidora da corte, ocorridas neste final de semana.

A nota é assinada pelo presidente do TJPA, desembargadora Célia Pinheiro.

” O Poder Judiciário do Estado do Pará se solidariza com os familiares e os amigos pelas perdas da magistrada Bárbara Moreira e da servidora Maria Nídia Domingues e roga a Deus conforto e resignação aos enlutados”, escreveu a magistrada.

 

Eis a íntegra:

“A presidente do Tribunal de Justiça do Pará (TJPA), desembargadora Célia Regina de Lima Pinheiro, informa com profundo pesar o falecimento da Excelentíssima Senhora Bárbara Oliveira Moreira, juíza de Direito do Poder Judiciário do Pará.

A magistrada ingressou no Judiciário paraense em 2006 como juíza substituta e desenvolveu a atividade na magistratura em diversas Comarcas do Estado do Pará.

Em 2021, a juíza foi removida para atuar na 1ª Vara Cível e Empresarial da Comarca de Santa Izabel do Pará. O velório ocorre neste sábado, dia 31 de junho, na capela do Recanto da Saudade, situada à rua Domingos Marreiros, nº. 1.536, no bairro do Umarizal, [em Belém]. O sepultamento será às 14h, no cemitério Recanto da Saudade, em Ananindeua.

— LEIA AINDA: Juiz dá 30 dias para prefeito melhorar estrutura de abrigo de crianças em Prainha

Ainda com profundo pesar, o TJPA lamenta comunicar o falecimento da servidora Maria Nídia Gomes Domingues, lotada na Coordenadoria de Administração de Pessoal e Pagamento da Secretaria de Gestão de Pessoas. 

O velório ocorre a partir de 18h de sábado, 31, na capela do Recanto da Saudade, no Umarizal. O cortejo fúnebre sairá às 15h de domingo, 1º de agosto, para o crematório do Parque das Palmeiras, em Marituba. 

O Poder Judiciário do Estado do Pará se solidariza com os familiares e os amigos pelas perdas da magistrada Bárbara Moreira e da servidora Maria Nídia Domingues e roga a Deus conforto e resignação aos enlutados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *