BNDES abrirá linha de crédito para microempreendedores e microempresas, bndes

Sede do BNDES

O BNDES abrirá, em parceria com o Sebrae, uma linha de crédito de R$ 6 bilhões para empresas enquadradas nas categorias de menor faturamento previstas por lei. A informação é do jornal Folha de S. Paulo.

Serão contemplados os MEIs (microempreendedores individuais), as microempresas e as de pequeno porte.

O banco aumentou, em 2017, a porcentagem de crédito aos negócios menores.

O Sebrae, no entanto, considera que o BNDES não alcançava sociedades que realmente precisam, diz Guilherme Afif Domingos, presidente do serviço de apoio.

“Eles tinham um critério que enquadrava as que faturavam até R$ 80 milhões por ano como pequenas, que é diferente do nosso parâmetro.”

O plano é fazer 280 mil empréstimos -mais da metade (150 mil) aos MEIs, que têm a menor receita máxima entre todas as empresas.

FUNDO DO TRABALHADOR

O Sebrae contratará uma fintech (prestadora de serviços financeiros) para avaliar o risco das operações.

“Para o sistema de bancos, o custo dessas análises é o mesmo de um grande empréstimo, e esses clientes ficam abandonados.”

A entidade também vai dar aval financeiro para que as operações possam ser fechadas, segundo Afif.

O dinheiro é do Fundo de Amparo ao Trabalhador.

A assessoria de imprensa do BNDES informou que as condições e as taxas de juros dessa linha serão divulgadas na quarta-feira (17), na assinatura do convênio.

Leia também:
Pará alcança o 2º lugar em saldo positivo da balança comercial do Brasil

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

Um comentário em: BNDES abrirá linha de crédito para microempreendedores e microempresas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • indiretasjá disse:

    ahahahhahahaha depois que as grandes empresas deram golpe neles… agora eles precisam do dinheiro do micro para se reerguer. ahahahahah