No sábado (10), às 9h, no Clíper Santo Antônio, em Oriximiná, será realizada a audiência pública que vai apresentar à sociedade o projeto de substituição da matriz energética da Mineração Rio do Norte (MRN).

A reunião vai discutir os detalhes do projeto de implantação da linha de transmissão Oriximiná-Mineração Rio do Norte, em tensão de 230 mil Volts, que prevê também a construção de duas subestações para interligar a empresa ao Sistema Nacional de Energia Elétrica (SIN).

A vantagem do projeto para a mineradora será comprar uma energia mais barata e mais limpa, com menos emissão de gases de efeito estufa e que também poderá garantir a ela maior competitividade no mercado mineral nos próximos anos.

Para as comunidades de Terra Santa e Faro, o projeto também traz benefícios.

O empreendimento da mineradora deixará mais próximo destes municípios a possibilidade de ter energia firme. É que na construção de uma das subestações, a MRN deixará uma saída de energia que poderá ser utilizada pelo governo para interligar Terra Santa, Faro, Nhamundá e outros ao sistema nacional.

A cidade de Oriximiná já será beneficiada pela saída de energia que o próprio governo deixará com a construção a subestação que atenderá a linha de transmissão de 500 mil Volts na sede do município.

A possibilidade de mudança do atual sistema de geração de energia da mineradora chega num momento propício em que o governo trabalha na construção da linha de 500 mil Volts que vai interligar Tucuruí a Macapá e Manaus, passando por 12 municípios, entre eles, Oriximiná, Terra Santa e Faro. Mas, para utilizar e comprar essa energia futuramente, a MRN terá que investir no rebaixamento da tensão de 500 mil Volts para 230 mil Volts, construindo uma nova estrutura de linha de transmissão, torres e subestações.

Se o projeto for aprovado, em três anos, as operações da empresa no distrito industrial de Porto Trombetas serão abastecidas por uma matriz energética renovável.

Meio ambiente

Os Estudos de Impacto Ambiental e o Relatório de Impacto Ambiental (EIA/RIMA) já estão disponíveis para consulta pública tanto em Oriximiná, quanto em Porto Trombetas. As comunidades envolvidas no processo também já receberam informações sobre o projeto e cópias dos estudos ambientais, assim como foram convidadas para participar da audiência neste sábado.

Fonte: MRN

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

5 Comentários em: Audiência debate nova matriz energética da MRN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Diocles Soares disse:

    O que vamos discutir não são os impactos ambientais inerente ao megaprojeto energetico da MRN, mas a legalidade desta ação… Como pode uma empresa CONSUMIDORA pode “acessar” eletricidade, direto de um Linhão de Energia Pública, sem a figura de uma empresa CONCESSIONÁRIA? … A Aneel, o MME vão consentir uma “Aberração” comparada com os “Gatos” de ambientes onde as CONCESSIONARIAS não conseguem levar energia.. será a primeira vez que este tipo de “Ligação perigosa” ao Sistema Nacional de Energia será para beneficiar “um Rico” isso era comum para os “Pobres” os “Favelados” os “Suburbanos”… Agora inverteu tudo. No Plano original preve-se uma SUBESTAÇÃO de 138KV que dá e sobra energia pra todos aqui. mas a PODEROSA MRN por ter dinheiro quer “Acessar diretamente” vamos deixar? essa é a pergunta que não quer calar… Diocles Soares Lider Sindical questiona….Se tal projeto for “Aceito” pela sociedade, se os “Politiqueiros” ficarem calados, se as lideranças se deixarem convencer. A EQUATORIAL em futuro proximo vai alegar que não fará investimentos na SUBESTAÇÃO de 138 KV haja vista “Oriximiná não ter Demanda/Consumo” que justifique tal empreendimento.. A MRN é ou não CONSUMO/DEMANDA DO MUNICIPIO DE ORIXIMINÁ? Deve ou não como os demais CONSUMIDORES Fisicos e Juridicos comprar a energia de uma CONCESSIONÁRIA? Com a palavra todos nós, com velas na mão… Agora é REZAR, ORAR e que Deus tenha compaixão de nós, se ele não nos achar “um Bando de abestados” …

  • Francisco Almeida disse:

    Por que Oriximiná é tratada como cidade e Faro e Terra Santa como comunidades?

  • Francisco Almeida disse:

    Redator, por favor seja mais profissional. Terra Santa não é comunidade como você escreveu, com conotação pejorativa e depreciativa.

    1. Jeso Carneiro disse:

      Francisco, o texto tem assinatura própria: a própria MRN, através de sua assessoria de imprensa.

      1. Anônimo disse:

        vc poderia me dizer quanto ira ganhar os proprietarios de terrenos onde essas novas torrer irão passar?