Giovanni Queiroz

Os deputados federais Lira Maia (DEM) e Giovanni Queiroz (PDT), que defendem a criação dos estados do Tapajós e Carajás, a partir do desmembramento do Pará, foram vaiados e hostilizados por estudantes durante debate realizado em Belém, na manhã de ontem (6) na UFPA (Universidade Federal do Pará).

O auditório da universidade estava com cerca de 300 pessoas.

Giovanni Queiroz e Lira Maia tentaram apresentar argumentos a favor do “sim” no plebiscito marcado para 11 de dezembro deste ano, mas foram interrompidos e criticados pelos estudantes.

“Vocês já vieram com uma ideia pré-concebida. Vamos aumentar a gestão nos locais onde o Estado não chega”, defendeu Queiroz, sob vaias.

Leia mais em ‘Separatistas’ são vaiados em debate sobre divisão do Pará.

Leia também:
O modelo administrativo (falido) do Pará.

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

61 Comentários em: Deputados do "sim" são vaiados em Belém

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • EDEVALDO LOPES FRANÇA disse:

    VOCÊS DE BELÉM CONHECEM TRAIRÃO, JACAREACANGA, ITAITUBA, NOVO PROGRESSO E AVEIRO PARA SABER O QUE PRECISAMOS NESTA REGIÃO TÃO ESQUECIDA DO PODER PUBLICO? É A HORA DO POVO DE BELÉM VOTAR NO 77 PARA ESTAS REGIÕES TEREM MAIS DESENVOLVIMENTO.

  • Fernando disse:

    A EMANCIPAÇÃO DO ESTADO DO TAPAJÓS E CARAJÁS SERÁ O MAIOR INVESTIMENTO NA AMAZÔNIA.

    No dia 11 de dezembro o Brasil verá, pela primeira vez, o povo se manifestando num plebiscito sobre a reorganização territorial e criação de novos Estados. Todos os demais Estados criados após a Independência foram resultado de decisões autoritárias. O Tocantins seria a exceção, mas neste caso quem se manifestou foi o Congresso constituinte e não o povo.

    Mato Grosso foi dividido por uma canetada do general-presidente Figueiredo. Amapá, Acre, Rondônia e Roraima foram decisões do ditador Getúlio Vargas que os fez Territórios Federais depois transformados em Estados pelos constituintes de 1988. Muito antes, dom Pedro II criou Paraná e Amazonas. A própria capital federal, Brasília, cujo território foi retirado de Goiás, foi decisão solitária de Juscelino Kubistchek, projeto que enterrou o país na onda inflacionária que até hoje nos atemoriza.

    O plebiscito pelo Tapajós e Carajás é, portanto, uma experiência sócio-política inédita e por isso o Brasil deveria prestar mais atenção, ao invés de as elites nacionais, especialmente a “grande” imprensa, ficarem desdenhando e externando o seu conhecido preconceito a respeito de tudo que se faz e tenta fazer na Amazônia. Seu preconceito só não se manifesta em relação ao saque dos recursos naturais daqui para lá.

    Os que se opõem usam os mesmos surrados argumentos do passado, de que uma nova unidade autônoma sairia muito caro. Caro ao país é o projetado “trem-bala” Rio-S.Paulo, bilhões que poderiam ser empregados na construção de rodovias e ferrovias decentes por todo o país.

    Caro aos milhões de amazônidas são os mega-projetos de gigantescas hidrelétricas e de mineração que carregam as riquezas da região para fora, muito pouco ou nada deixando aos brasileiros da Amazônia, tão brasileiros quanto os demais. Caro, caríssimo ao Brasil é a percepção de governos tanto ditatoriais como democráticos que continuam a encarar a região como colônia do Brasil e do grande capital, nacional e estrangeiro.

    Bilhões estão sendo gastos para despoluir o rio Tietê, em São Paulo, bilhões estão sendo gastos para o Rodoanel, em São Paulo, bilhões serão gastos para o trem bala em São Paulo, bilhões estão sendo gastos em reforma de aeroporto em São Paulo, e o povo do Pará pensam que estão pendindo demais ao governo federal duas novas capitais, Santarém e Marabá.

    São Paulo tem 70 deputados federais , o Estado do Tapajós terá 8 e Carajás 8.
    Estão reclamando do que ?
    Como o Pará pensa pequeno !
    São Paulo não é grande, mas é maior que o Pará.

    SIM AO NOVO PARÁ.
    SIM AO DESENVOLVIMENTO

    1. olho-vivo disse:

      Se sustentar político fosse “investimento”, Brasília seria o maior polo tecnológico e turístico do país.

    2. rONALDO MARTINS disse:

      se tamanho fosse problema ALAGOAS E SERGIPE seriam de primeiro mundo. Não seja ingênuo temos que mudar é o carater desses políticos aqui do Pará.

    3. thadeu disse:

      tais maluco ou tens algum parente político? vc sabia que com a criação de Estado novo ele fica 20 ANOS SEM CONCURSO PÚBLICO E AI QUEM NOMEIA SÃO OS POLÍTICOS? Se vc for um deles tudo bem.

  • Alberto Lima disse:

    Esses debates nao passam de demagogia pois sabemos que dificilmente as opinioes em ambos os lados irao mudar!
    Tudo perda de tempo…!

    O negocio eh ir pro plesbiscito!

    A proposito, sou a favor da criacao do tapajos por motivos historicos que, claramente, estancou o desenvolvimento da regiao ha mais de 100 anos. Mas, quanto a carajas, nem pensar em dividir!

  • Alberto Lima disse:

    Ae!!
    Que dividir o estado, ficar com a parte mais rica, com a menor populacao e nao quer levar uma vaia?? Hahaha! Fala serio!!!

    Nao e nao!! 55 Neles! Pelo estado mais unido!

    Afinal, o projeto desses senhores eh de PODER e nao de desenvolvimento.

    1. Anônimo disse:

      Alberto, fica com a parte mais rica, temos competência para administrar tua parte mais pobre.

    2. joão disse:

      Alberto, fica com a parte mais rica, temos competência para administrar tua parte mais pobre.
      “o”

      1. Alberto Lima disse:

        Tem nada!! os caras dessas regiões não conseguem administrar um minicípio quanto mais um estado!!

        Baixa a tua bola que é melhor!!

        1. joão disse:

          Toma conta da tua casa tenha competência, deixa a casa do visinho em paz, porque tu sabes deu mole o bicho pega.
          Interceda por nós senhora de Nazaré nos livre de pensamentos maldosos
          Belém 09-10-2011.

          1. Alberto Lima disse:

            Não dá pra tomar conta só de casa! Pois, tenho medo que o burro do vizinho, por incompetência, faça a casa dele cair sobre a minha!!!..rsrsr!

            Logo, tenho que ficar de olha das mazelas dele!! …sacou???

          2. joão disse:

            Acredito que esse medo do visinho virou neura do Ricardo…

    3. marciocoleman disse:

      OS IGNORANTES QUE NÃO CONHECEM A FUNDO A REALIDADE DIFICIL DOS RINCÕES DESTE ESTADO E QUE MORAM CONFORTAVELMENTE NA CAPITAL,ONDE TUDOÉ “MAIS FÁCIL” DEVERIAM SE INFORMAR MAIS A FUNDO SOBRE A PROPOSTA DE DIVISÃO DO ESTADO
      SIM A DIVISÃO.
      O BAIXO AMAZONAS MERECE RESPEITO.

      1. Renan disse:

        VOCÊ SIM QUE DEVIA SE INFORMAR DIZER QUE EM BELÉM VIVEMOS NO PRIMEIRO MUNDO É BURRICE!!!

        1. antonia de nazaré dos santos disse:

          todos sabemos que os prefeitos que elegemos são para ser obraço do governo nos municipios o que a conteceu com alguns prefeitos do baixo amazonas que não fazem nada em seus municipios e joga a cul pa noestado, dificuldades todos passamos alguns mais outros menos só não podemos compaquetuar com uma divisão ridicula que sinceramente. na qual os grande empresarios os politicos estão querendo estrasalhar o estado numa divisão duvidosa.

        2. marciocoleman disse:

          vai estudar!!!!

  • Cristiano Santa Cruz disse:

    Universidade não ganha eleição! Sim 77

  • Claudio disse:

    Por zeck formadores de opinião e brincadeira, isso sir chama falta de argumento, falta de preparo baderneiro não tem conduta ética muito menos profissionais, você estão preocupados com nós porque só agora…..

    zeck faz um favor pra nós vote 77 e depois confirme SIM faz muito tempo que nós do oeste não suportamos você ai do Pará.

  • joão disse:

    Acredito que uma boa resposta para turma do “não” seria fazer um movimento para boicotar toda e qualquer forma de exploração regional mineradoras, madeireiras, usinas hidroelétricas outras.
    ONGs não faltariam para encabeçar esse movimento.
    Aguardem…
    Isso vai acontecer

    1. Alberto Lima disse:

      Sei….

      E papai noel exister neh?

  • Anônimo disse:

    INFELIZMENTE NOSSOS ESTUDANTES DE HOJE NÃO TEM ARGUMENTOS, TANTO FAZ OS DO “SIM”, COMO OS DO “NÃO”. O QUE MAIS SE VE SÃO ESTUDANTES TOTALMENTE DESPREPARADOS PARA O DEBATE DA REDIVISÃO TERRITORIAL, E AS SUA MAIORES ARMAS CONTINUAM SENDO AS VAIAS. PODEM TER CERTEZA QUE SE HOUVER DEBATE AQUI COM A PRESENÇA DOS ADEPTOS DO “NÃO”, ELES TANBÉM SERÃO VAIADOS PELOS NOSSOS ESTUDANTES. INFELIZMENTE!!!!!!!!!!!!!!

  • Adinor disse:

    A campanha do SIM deveria ser mais inteligente e buscar pessoas mais qualificadas e honestas para carregar esta bandeira. Como não queriam ser vaiados com os “representantes” que lá estavam? Queriam que na Universidade aplaudissem o deputado federal mais processado do país e um conhecido envolvido em crimes contra trabalhadores no campo? Ou será que a ida destes senhores foi propositado para criar este clima de “separatismo”? Parece que deste jeito, só se reforçam os argumentos de que uma elite parasita quer se apropriar dos novos estados e o que é pior, não conquistam os votos essenciais de Belém, que farão toda a diferença na hora do SIM e do NÃO. Isso é o que chamo de tiro no pé…

    1. Giovanna Queiroz disse:

      Caro senhor Adinor,

      O deputado Federal GIOVANNI QUEIROZ é homem público com mais de 30 anos de carreira política. E, em nenhum momento, repito, NENHUM MOMENTO, esteve envolvido em crimes contra trabalhadores no campo ou em qualquer outro crime que seja.

      Portanto, senhor Adinor, ou o senhor prova o que está afirmando ou se retrate publicamente. Pois o senhor será devidamente processado na esfera penal por crime de calúnia ( imputar fato considerado crime a alguém) e , na esfera cível por danos morais.

      Ser contra a divisão é um direito do senhor. Mas, defenda suas idéias com argumentos REAIS. Não envolva com inverdades outras pessoas.

      Aguardo sua retratação ou a prova dos “supostos” crimes.

      Atenciosamente,
      Giovanna Queiroz

      1. Anônimo disse:

        Adinor, infelizmente o STE definiu os políticos como os únicos habilitados à representarem as campanhas. Não se preocupe pq do lado do não teremos gente do kilate de Jader Barbalho e toda a corja responsável pelo desvio de verbas na ALEPA.

      2. Anônimo disse:

        Giovanna é nome de gata, e essa parece braba. calma gatinha não leve a sério pq ele não sabe o que diz

      3. gelbes costa disse:

        sou contra À divisão do meu pará por que não tentas dividir seu estado de origem hein…………………no nosso estado ninguem mete a mão 55 duas vezes………..

    2. Anônimo disse:

      Porque você não foi lá, Adnior? Acha que não seria vaiado? A verdade é que o Pará mostra porque tem sido historicamente vítima de políticos ladrões: o verdadeiro analfabetismo social que domina a corrente do “não”. Ninguém questiona nada. A resposta é não, porque não! Os paraenses, infelizmente, continuarão enriquecendo os barbalhos da vida, preferindo continuar na miséria a se dar a chance de melhorar de vida. Estão dizendo não a si mesmos, a um futuro melhor para seus p´roprios filhos, e ainda se orgulham de tamanha imbecilidade.

    3. jronaldo disse:

      Elite parasita…
      Quanta asneira!

      1. GIovanna Queiroz disse:

        Senhor jronaldo,

        Respeite para ser respeitado.

        Traga à público argumentos que nos convençam que não devemos nos emancipar. Não nos venha com ofensas despropositadas, pois isto não surtirá efeito.

        Muitos de nós realmente não nasceram no Pará, mas optaram por esta terra para viver. No meu caso, vim para Conceição do Araguaia aos 3 meses de idade e nas terras do sul do Pará cresci até que, por ausência de boas escolas, tive que me mudar para centros urbanos mais desenvolvidos, sacrificando, assim, o convívio diário com minha família.

        Quando a região do sul do Pará foi habitada por incentivo do governo federal, na década de 70, muitos BRASILEIROS TRABALHADORES, migraram para a mencionada região. Foram estes brasileiros que alavancaram o pouco de desenvolvimento que hoje temos.

        Importante ressaltar, que os belenenses não se dispuseram a sair de suas “zonas de conforto” para habitarem a região em voga. Os bravos desbravadores daquela época enfretaram doenças sérias e mortais. E, agora, superada tantas dificuldades, vem o senhor e nos chama de PARASITAS ????? E os belenenses daquela época, como deveríamos chamá-los??????? Sugiro preguiçosos ou covardes, qual denominação o senhor prefere ?????

  • zeck disse:

    Não há viabilidade economica nem social no Tapajós
    O cara vai com papo furado por não ter argumento plausível pra debater com universitários e formadores de opinião. Tu queres o que??? aplausos??? Impossível

    1. joão disse:

      Zeck, Essa tua de ficar jogando de um lado p/ outro não cola, não te esquece que um Davi já venceu um dia Golias.

    2. Anônimo disse:

      Universitários do tipo que iam ao “show do milhão” do Silvio Santos. Visite o site do IDESPES e conheça mais sobre viabilidade do Tapajós. Aliás, como o Pará como um todo, grande como vocês querem manter, tem sido nada mais que um gigante perpetuador da miséria e da pobreza, que tal voltarmos à formação do Império, com o Estado do Grão Pará, reenglobando todas as unidades do Norte. Assim, pela sua tese, seria melhor para todos. Agora, claro que a capital seria Manaus, uma vez que os políticos de lá são um pouco mais competentes.

  • Andresa Cardoso disse:

    A UFPA não é mais a mesma, não é atoa que existe hoje: FORRÓ UNIVERSTÁRIO, PAGODE UNIVERSITÁRIO, BALADA UNIVERSITÁRIA ATE P. UNIVERSITÁRIA. “Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las”. (VOLTAIRE

  • Claudio disse:

    E por situações sim que cada vez mais só TAPAJÓS a muito tempo que nós somos hostilizados pelo povo da região metropolitana pra eles o Pará sempre foi a região metropolitana nós somos penas uma colônia que somos lembras só em época de eleições.
    TAPAJÓS 77 SIM
    CARAJÁS 77 SIM
    Alertamos ao nosso representante que nas universidades aqui de Santarém tem professores vindo lá do Pará tentando influência os acadêmicos VAMOS FICAR DE OLHO.
    Thiago faz um favor pra nós vote 77 e depois confirme SIM faz muito tempo que nós do oeste não suportamos você….

  • Juscelino Ferreira disse:

    Infelizmente o espaço democrático virou terreno daqueles que nos oprimem ao longo de séculos. Lá estão os “bem nascidos “, filhos duma elite que se apropriou do Pará e que nunca pensou o estado além da região metropolitana de Belém. São coutos, vinagres, coutinhos, barbalhos, jatenes, sabinos, maioranas, andrades, salames, morgados, novelinos, nunes e etc…

  • Jeso creio que a campanha do SIM está em local errado, não é na elite que os separatistas irão conseguir mudar a opinião dos CONTRAS, essa será uma eleição que vai ser decidida pelo povão, por aqueles menos esclarecidos e que muitos nem sabem o que é ‘plebiscito’. Por isso meu caro, se tiver que fazer campanha com resposta favorável na capital o caminho é entrar na periferia, nas associações de bairros, ações comunitárias, e lá uma coisa é certa, com certeza os nossos representantes não serão vaiados, pois são pessoas humildes mas educadas.
    Fica a sugestão

    1. Alberto Lima disse:

      Queres dizer que com os ignorantes dessas regioes esta funcionando?

      Nossa!! Mas que cara-de-pau falar isso!!!

      Assim fica claro que os divisionista so querem eh se darem bem!

      1. anônimo disse:

        Cara de pau é vc cara pálida, pois queres entender somente pelo teu ponto de vista. Não foi isso que o Genivaldo quiz dizer, mas assim como os tais “universitários” vc tb deve ser um deles. São escravisados e dominados pelos rômulos maioranas e não se dão conta disso.
        Quanta burrice. Manda as tuas contas pros diretores da tv liberal pagar. Garanto que eles ainda vão te mandar uma cesta básica.

        1. Alberto Lima disse:

          Eu??? Defender pelo meu pnto de vista?? e tu bonitinho?? Tá falando pela coletividade?? Um verdadeira Revolucionário, um visionista pronto para salver o mundo!!…

          …hahaha!!

          Te enxerga cara!!..Eu não sou um dos ignorantes do teu projeto de governo!!…kakakaka!!

          Acorda Alice!!

  • Joao Sorrisão disse:

    Não sei porque o espanto, da nossa região em relação a isso, sabemos que eles não querem a redivisão, pelo fato de não terem conhecimento do que a nossa região é capaz, com isso gera-se medo, aos leigos UNIVERSIOTÁRIO, que ao invés de debater, possuem apenas um argumento, a hostilização.
    Ei “gentinha da UNIVERCIDADE”, aprendam a ouvir e a debater, não é preciso aceitar, mas tenham argumentos suficiente para que não escambe uma importante discussão, para um ambito de selvageria, isso aqui não é FUTEBOL e o futuro de nossas regiões

  • Solano Lira disse:

    Não me assusta! Há muito tempo essa situação se revelou de formas bem diferentes: o “interior” do Pará (já utilizado em sentido bem negativo!)sempre foi excluído das decisões, sempre foi silenciado, sempre não foi ouvido. O que assusta e se torna lamentável é que essa demonstração de arrogância e tirania se mostre num espaço onde deveriam ser discutidas as ideias mais libertárias possíveis: a Universidade.

  • thiago disse:

    Engraçado que quando alguns cantores paraenses,deputados a favor do nao e etc…foram em santarém ou para se apresentar ou quaisquer outras coisas, vcs iam fazer manifestaçao,vaiar,xingar e tudo +…agora quando os deputados a favor da divisao sao vaiados nao pode! é porque todo povo da capital nao presta! a academia idem!

    Nao concordo com as vaias,porque acredito que um debate nao se realiza dessa maneira, mais antes de criticar a capital, ou os defensores do nao,olhem para si proprios primeiro e observem quem de fato é mais intolerante com os argumentos contrarios aos seus…

    1. thiago, você pode até ter razão. Porém, o debate foi no auditório da UFPA, e não numa festa de aparelhagem. É esperado que numa instituição de ensino que tem um processo seletivo com uma peneira forte como de fato é existam pessoas civilizadas.

  • Borarí disse:

    … O interior do Estado do Pará, sempre foi descriminado. O povo de Belém sempre descriminou a população do Oeste do Pará, mais ainda os de Santarém, sempre desfazendo e colocando o povo do interior como uma população inferior. Com isso, eu não entendo…!! Se eles descriminam e não gostam do povo daqui, porque não querem largar nós.

    1. Alberto Lima disse:

      Deixa de papo furado. Pois nunca houve discriminação alguma da parte de Belém contra qualquer cidadão paraense , em qualquer região. Bem diferente da população paraense que mora e trabalha em Manaus, mas que , mesmo assim engole a seco as baboseiras que dizem por lá?
      A propósito, vc’s aí de Santarém estão ficando igualzinho os Amazonenses.
      Cheios de recalques e imaginando motivos pra hostilizar as pessoas!!

      Égua!! …sei lá!!…Deve ser a água daí!!

      Que merda é essa?? Isso nunca existiu antes!!

      Vão crescer que é melhor !! e ajudem o estado do Pará ase desenvolver!!… Comecem escolhendo gente que presta pra representar vc’s!

  • Prof. Paulo Moreira Costa disse:

    Não devemos tirar a importância dos políticos do processo de emancipação, só que quando se trata de defesa da causa principalmente para estudantes à classe política é a menos indicada. Se caso o debate tivesse a presença de Manuel Dutra e outros, duvido que tenha a mesma reação.

  • Aritana Aguiar disse:

    Como eles não tem argumento para defesa, a única coisa que sabem fazer é vaiar.

    SIM AO TAPAJÓS, 77

    1. Alberto Lima disse:

      Errado!! vaiaram exatamente por não concordar com o argumento impostos pelos divisionistas!
      e vai daí pra pior! pode escrever isso!

  • J. W disse:

    Quem teve a brilhante idéia de colocar Lira Maia para representar uma bandeira política em auditório de Universidade Pública ????

    1. suely fernandes disse:

      Quem sabe até não foi esse o motivo da vaia, pois é nacionalmente publicado que esse cidadão Lira maia é o maior ficha suja do pais e em seguida vai pra frente representar uma bandeira política, se fosse outras pessoas menos sujnhas, quem sabe seriam melhores recebidos…

  • O próprio slogan usado pela publicidade dos “malvados”do Não já reflete a população que o adotou: “NÃO E NÃO”. O radicalismo se aflora e pinta em cores vivas uma massa – do analfabeto ao morador da Braz de Aguiar – que não tem argumentos, crítica social e nem mentalidade para um debate ou uma reflexão. Há apenas orgulho e falta de educação.

  • Michele Canto disse:

    Penso que a abordagem para convencimento na região de Belém e área metropolitana deve se dar inicilamente através da mídia mostrano as vantagens sobre a divisão do estado, inclusive trazendo talvés pessoas que se envoveram diretamente na luta para criação do estado do Tocantins por exemplo falando sobre o crescimento desta região após a divisão de Góias. É comum o posicionamento radical da população da área metropolitana em não aceitar a divisão, me parece em alguns momentos que estão tendo uma lavagem cerebral principalmente os acadêmicos através de seus professores.

  • jronaldo disse:

    Ignorância na academia!!!

    1. Jeso Carneiro disse:

      Eu diria, JRonaldo: a academia zenaldou!

      1. Anônimo disse:

        Jeso e Ronaldo,

        O Manuel Dutra já havia me falado da dificuldade de defender o “Sim”, em qualquer espaço público de Belém.

        Para além das “claques” de ocasião, é inconcebível que a universidade (qualquer delas, a UFPa, por exemplo) se preste a esse papelão. Ali deveria valer o debate livre, franco, civilizado e democrático. Sem isso, como pensar em construir conhecimento…

        Saludos, manos.

        Samuca

      2. olho-vivo disse:

        pois saiba que o Zenaldo tem muito mais estudo que a grande maioria dos “políticos” do Velho Oeste.

  • Gripe Suína disse:

    O Dep. Lira Maia já fez muita muita coisa na divisão do Pará, acho que quem tem q agir agora em Belém são os publicitários.

  • José Sousa disse:

    É essa a educação que dão para os estudantes da c? nao sabem discutir idéias? só sabem vaiar?

  • joshua disse:

    Depois dos escândalos na ALEPA, deputado acusado de pedofilia ser inocentado. Vaiar é o único argumento da torcida contrária…
    SIM..77…

    1. Alberto Lima disse:

      O que tem a ver isso com a vaia??

      Por acaso foi a platéia quem o inocentou!!.. No escândalo da ALEPA não tinha políticos daí?? (risos!)

      Putz!! Quanta besteira!!