Pará classificado como

O governo federal apresentou resultado pior que 20 estados e o Distrito Federal em ranking que mede a transparência dos gastos durante a pandemia da covid-19.

Os dados da Transparência Internacional foram divulgados nesta 3ª feira (1º) e mostram que a União só está melhor classificada que Santa Catarina, Sergipe, Rio de Janeiro, Piauí e Acre.

 

O Pará obteve 72 na pontuação geral, classificado como “bom”, 1 ponto acima do governo federal.

Ranking de Transparência no Combate à Covid-19 avalia a transparência das informações fornecidas por 26 estados brasileiros e suas capitais, além do Distrito Federal e do governo federal.

Nesta edição, a 4ª da série, o órgão avaliou também o nível de transparência dos programas de estímulo econômico, das doações recebidas e das medidas de proteção social adotadas pelas administrações públicas.

A pesquisa classifica os entes federativos com pontuação que vai de 0 a 100. Também atribui 5 níveis, baseados na pontuação obtida: péssimo (0-19), ruim (20-39), regular (40-59), bom (60-79) e ótimo (80-100). O governo federal somou 71 pontos, sendo classificado como “bom”. Assim, está empatado com Roraima, na 22ª posição.

Pontuação do Pará: 72

Segundo nota da Transparência Internacional, o resultado “evidencia graves deficiências”. 

A organização destaca problemas na “divulgação de documentos básicos para que se monitorem as contratações, como os termos de referência, contratos e notas de empenho, e à publicação de informações sistematizadas e agregadas sobre os impactos das medidas bilionárias adotadas para estimular a economia brasileira e fornecer proteção social a quem mais precisa”.

De acordo com o ranking, 19 estados tiveram a transparência dos dados classificada como “ótima”. Alagoas, Ceará, Espírito Santo e Rondônia atingiram a pontuação máxima (100) no quesito.

Com pior desempenho estão: Acre, com 38 e classificação “ruim”; e Piauí, com 49 pontos e classificado como “regular”.

 

Guilherme France, coordenador de pesquisa da Transparência Internacional Brasil, diz que “as novas fases de enfrentamento à pandemia exigirão contínua atenção do poder público para garantir a transparência de suas ações, agora em outras frentes”.

“O início do período eleitoral é motivo para aumentar a transparência; não desculpa para eliminá-la”, avalia France.

Com informações do Poder360

LEIA também: Alenquer contrata advogada sem licitação, e gastos com advocacia chegam a R$ 1 milhão

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

Um comentário em: Pará classificado como “bom” no ranking da transparência com covid-19

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *