Polícia conclui que assessor de Bolsonaro fez gesto de conotação racista no Senado
Felipe Martins e o gesto que ele fez em audiência no Senado em março deste ano. Ele foi indiciado pela Polícia do Senado. Foto: Reprodução/Vídeo Agência Senado

O Ministério Público Federal recebeu o relatório final da investigação envolvendo o assessor para assuntos internacionais da Presidência, Filipe Martins. Informa a Folha de S. Paulo nesta tarde de terça (4).

Segundo o jornal, o auxiliar do governo Jair Bolsonaro foi indiciado pela Polícia do Senado e, agora, o MPF terá que decidir se denuncia Martins ou se opina pelo arquivamento.

 

A apuração concluiu que os gestos feitos às costas do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), em 24 de março, tinham conotação racista.

Martins foi indiciado com base no artigo 20 da lei 7.716/1989, que fala em pena de reclusão de uma a três anos e multa para quem “praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.”

— LEIA também: Jornalista bolsonarista vai estrear na mais esquerdista das rádios de Santarém


Assine e participe, comente no canal do Blog do Jeso no Telegram

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

2 Comentários em: Polícia conclui que assessor de Bolsonaro fez gesto de conotação racista no Senado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *