Polícia Civil do Pará faz busca e apreensão na residência de 2 blogueiros

Dois blogueiros foram alvos nesta quarta-feira (28) de mandato judicial de busca e apreensão cumpridos pela Polícia Civil do Pará por determinação do juiz Heyder Tavares da Silva Ferreira.

A apreensão de, principalmente, objetos eletrônicos, como computadores e celulares, foi realizada nas residências de Diógenes Brandão, do blog As Falas da Pólis e Amazon Live, além de Eduardo Cunha, do Pará Web News. Todos de Belém.

Os policiais também estiveram na casa de Jhonathan Sousa da Silva, que trabalha com Diógenes Brandão nas plataformas virtuais do irmão.

 

Nenhum dos 3 foi preso pelos policiais da Divisão de Prevenção e Repressão a Crimes Tecnológicos (DPRCT) que participaram da operação. Os blogueiros são acusados de propagarem fake news (notícias falsas).

Diógenes, Jhonathan e Eduardo negam a acusação. Alegam que são alvos de perseguição política.


Busca e apreensão contra Diógenes


O mandato judicial está relacionado, conforme o Blog do Jeso apurou, a 4 representações feitas pela defesa do governador Helder Barbalho (MDB). Que estaria sendo alvo de calúnia e difamação pelos acusados em redes sociais. Acionado a se manifestar sobre o caso, o MPPA (Ministério Público do Pará) teria concordado com a busca e apreensão.

Segundo a polícia, em nota ao blog, as investigações continuam e o material coletado será analisado e periciado.

 

“De acordo com as investigações realizadas pelas equipes do Núcleo de Inteligência Policial (NIP), [os blogueiros] estariam divulgando notícias falsas em redes sociais e portais jornalísticos”, diz a nota.

“Durante a operação, realizada em Belém e Região Metropolitana, foram apreendidos diversos dispositivos informáticos, celulares, documentos e cadernos de anotações”.

Gastos com propaganda

Para Diógenes Brandão, a busca e apreensão causou-lhe surpresa.

“Não esperava. Fui chamado à delegacia há um mês e meio e prestei os esclarecimentos sobre uma matéria cujo título era Helder supera Jatene em gastos com propaganda e RBA fica com a maior parte“, disse ao Blog do Jeso.

Sobre a acusação de propagar fake news, através de suas plataformas digitais, o blogueiro reitera a negativa da prática.

“Em nenhum momento me foi dito isso na busca e apreensão, mas se for pela suspeita de fake news, eu faço questão que a verdade venha à tona, pois meu trabalho não será jogado na lata do lixo como a família dos poderosos querem”, explicou.

“Entreguei à polícia, mesmo não sendo obrigado, todas minhas senhas de acesso aos computadores e celulares para que eles analisem e cheguem à conclusão de que estiveram na casa de um cidadão e não de um bandido”.

Pirotecnia e truculência

Segundo o blogueiro, a operação operação policial contra ele foi “recheada de pirotecnia e truculência”. Contou com 3 viaturas e 9 policiais, que fecharam a rua onde ele mora “e reviraram toda minha casa”.

“Levaram até a fonte do modem de internet, me prejudicando no meu exercício profissional. Não recebo auxílio do governo. Como vou trabalhar, se todos os meus equipamentos foram levados, até mesmo aqueles que não possuem qualquer relação com a produção de conteúdo, servem apenas para me manter conectado?”, criticou.

“Essa arbitrariedade já está sendo contestada pelo advogado Sábato Rosseti”.

LEIA também: Por favor, mais compaixão, pede Alberto Beltrame, titular da Sespa, em artigo

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

6 Comentários em: Polícia Civil do Pará faz busca e apreensão na residência de blogueiros

  • A Polícia Judiciária (Civil e Federal) devem atuar severamente em relação as fake news. Ninguém está acima da Lei. Se comprovado o crime, os autores devem ser punidos exemplarmente.

  • Jeso falastes que o Jonathan foi preso e logo depois afirmas que nenhum foi “preso”!

  • Jeso vc deveria ter publicado a versão deles também é não apenas do Governador

  • Há 20 anos passados, a Polícia prendia pra depois investigar. Hoje investiga, faz busca e apreensão pra confirmar, depois prende, se confirmar o crime.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *