Terra Santa, oeste do Pará
Terra Santa, no oeste do Pará
natanael oliveira
Natanael Oliveira *

Podemos considerar que a Educação do município de Terra Santa, oeste do Pará, tem conseguido melhorias significativas se compararmos o cenários nacional, estadual e, principalmente, regional.

Isso se deve aos incentivos proporcionados tanto pela gestão do ex-prefeito Marcílio Picanço como pela atual gestão do prefeito Doca Albuquerque.

Em março de 2017, a Agência Municipal de Desenvolvimento do Empreendedor – Sebrae, realizou um diagnóstico buscando identificar o nível de escolaridade do terrasantense para que fossem direcionadas as ações de capacitação da mão de obra, visando a colocação no mercado de trabalho local e regional.

Foram utilizadas as informações com base nos dados e estatísticas do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) de março de 2017, onde foi possível identificar o grau de instrução do eleitorado do município, levando em consideração que o eleitor está apto a votar a partir desde os 16 anos de idade até pelo menos aos 75 anos. Com esses dados, foi possível a seguinte avaliação:

Dos 12.725 eleitores de Terra Santa:
— 621 são analfabetos (quem não consegue ler palavras e frases);

— 2.419 são analfabetos funcionais, ou seja, esse grupo tem muita dificuldade de entender e se expressar por meio de letras e números em situações cotidianas;

— 4.272 possuem ensino fundamental incompleto;

— 2.985 possuem ensino médio incompleto.

Diante desse cenário foi diagnosticado que dos 12.725 eleitores de Terra Santa, 10.297 estão em um nível de escolaridade que não atende as exigências de qualificação para uma vaga no mercado de trabalho, ou seja, 80% do eleitorado terrasantense tem dificuldade do preenchimento das vagas ofertadas pelas empresas que buscam contratar profissionais qualificados, com exigência de escolaridade mínima de nível médio.

Outro fator é estarem aptos a prestar concursos públicos para o preenchimento da demanda que o município oferece, consequentemente dando oportunidades aos profissionais vindo de outros lugares.

Em função desse resultado, buscamos algumas alternativas para ajudar na mudança desse cenário.

Com o apoio do gestor Doca Albuquerque, apresentamos o projeto de Elevação de Escolaridade EJA Sesi EAD Ensino Médio Profissionalizante. Uma parceria da Prefeitura de Terra Santa, por intermédio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), com o Sesi, Senai, Sebrae e Mineração Rio do Norte, tendo seu início em abril de 2018, atendendo 296 alunos com idade entre 19 e 59 anos, com término previsto para junho de 2019.

Em abril de 2018, o prefeito Doca Albuquerque firmou convênio com o IFPA – Instituto Federal Paraense, para a realização do Curso Técnico de Informática para Internet, também nível médio, que atende 31 estudantes do município de Terra Santa.

Em maio de 2017, a gestão do prefeito Doca Albuquerque, apoiou a iniciativa da implantação do Polo da Faculdade Educacional da Lapa – Fael, atendendo atualmente 126 alunos, que cursam graduação e pós-graduação em diversas áreas da educação superior, sem ser preciso mais o estudante sair de Terra Santa para outros municípios, que além de reduzir os custos ainda permanecem próximos aos seus familiares.

A partir de outubro de 2017, mais um apoio foi dado pelo prefeito Doca Albuquerque: a implantação da modalidade EAD Interativa Cursos Profissionalizantes, que atende atualmente 200 alunos que participam dos cursos nas áreas de Tecnologia, Negócios, Saúde e Empreendedorismo por intermédio do Instituto N e Polo Faculdade Fael Terra Santa.

Segundo dados oficiais do TSE, divulgados no último dia 1º de agosto, o município de Terra Santa tem atualmente 13.206 eleitores aptos a votar no próximo dia 7 de outubro de 2018.

Dos 12.725 eleitores de Terra Santa em 2017, passamos para 13.206 eleitores. Um aumento de 3% do eleitorado. Por sua vez, a população terrasantense também aumentou.

De acordo com a última estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), esta seria de 18.257 habitantes. Neste caso, o eleitorado representa mais de 72% da população.

Ao fazermos um comparativo com os dados do eleitorado de Terra Santa entre março de 2017 a agosto de 2018, teremos os seguintes cenários:

— Dos 621 eleitores analfabetos (quem não consegue ler palavras e frases) do ano de 2017, se compararmos com os 638 eleitores analfabetos do ano de 2018, iremos observar um aumento de 3% nesse eleitorado;

— Dos 2.419 eleitores analfabetos funcionais de março de 2017, comparados com os 2.090 eleitores de agosto de 2018, iremos observar uma redução de 13,6% que melhoraram seu nível de escolaridade.

— Dos 4.272 eleitores com ensino fundamental incompleto de março de 2017, comparados com os 3.708 eleitores de agosto de 2018, houve também uma redução significativa de 13% no eleitorado que apresenta esse nível de escolaridade.

— Dos 2.985 eleitores com nível médio incompleto de março de 2017, comparamos com os 2.820 eleitores nesse nível de escolaridade de agosto de 2018. O resultado foi uma redução 5,5%.

No que diz respeito à educação de nível superior completo e nível superior incompleto, os dados são significativos. Pois o nível de escolaridade dos eleitores de nível superior completo aumentou 211% enquanto que os de nível superior incompleto, o aumento foi de 209%.

Muitos foram os fatores que contribuíram com as melhorias correspondente a 10% no nível de escolaridade dos eleitores do município de Terra Santa, em um ano e meio de gestão do prefeito Doca Albuquerque.

Diante disso, não podemos deixar de finalizar este diagnostico, chamando a atenção para outros aspectos que não é peculiaridade apenas no município de Terra Santa, e sim de um sistema nacional, mas que não nos impede de juntos trabalharmos esse processo de melhorias em nosso município.

Se temos uma população com 18.257 habitantes e o eleitorado corresponde a 72% da população, podemos afirmar que somados os eleitores analfabetos, aos analfabetos funcionais, junto aos de nível fundamental incompleto e finalizarmos com os de ensino médio incompleto, teremos 9.256 eleitores que correspondem a 70% do eleitorado do município de Terra Santa.

Isso sinaliza para uma situação que deverá ser trabalhada não somente pelo poder público municipal, mas também por todas as entidades e instituições, uma vez que podemos observar que temos uma população de eleitores aptos a votar, mas que não estão aptos ao mercado de trabalho, devido as exigências de qualificação tanto pessoal como profissional por parte das empresas, que quando precisam contratar mão de obra sempre exigem tal qualificação.

Assim como por parte do poder público quando trata-se do processo seletivo para o preenchimento das vagas ofertadas.

Diante do que foi exposto neste diagnóstico, iremos propor aos parceiros envolvidos nos projetos já em andamento, a realização da I Jornada Pedagógica – Discutindo a Qualificação Profissional no Município de Terra Santa.

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

É administrador de empresas e dirige a Agência Municipal do Desenvolvimento do Empreendedor de Terra Santa.

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

2 Comentários em: Avanços e desafios na educação e qualificação em Terra Santa, por Natanael Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • joao disse:

    Essa comparacão não tem nada haver….sinceramente.

    1. João Arthur disse:

      João. Qual a sua contribuição além da discordância? Sou professor da rede municipal em Terra Santa e sei que esses dados são reais. Muito importante esse estudo sim. Vou mais além. Tire um pouco do seu tempo e veja os mesmos dados no seu município. Principalmente de você for de Terra Santa. Depois de ter feito isso, compare com os dados do Brasil. Não fique só na discordância. Contribua também. João Arthur