-1
Enriquecimento ilícito em Faro lesou Banpará em quase R$ 750 mil, revela juiz
Jade Abreu, do MDB, ao lado do ex-nº 1 da CPH Alexandre Von, de Santarém. Foto: arquivo BJ

O Banpará (Banco do Estado do Pará) sofreu prejuízo de quase R$ 750 mil em Faro (PA), nos anos de 2016 e 2017, quando a ex-prefeita e a atual ocupante do cargo deixaram de repassar os valores descontados dos servidores municipais, a título de empréstimos consignados, para o banco.

O montante (exatos R$ 749.314,69) foi informado ao juiz Flávio Oliveira Lauande pelo Banpará e consta na sentença de 17 páginas em que ele condenou Marinete Machado (2013-2016) e Jade Abreu (MDB) à pena de inelegibilidade de 3 anos, entre outras penalidades.

 

“Ambas, dolosamente, praticaram omissão visando fim proibido em lei, especialmente ao praticar o ato ilícito decorrente de descumprimento contratual [firmado com o Banpará], e ainda, a provável infração penal de apropriação indébita”, relatou o magistrado em sua decisão, assinada há 10 dias.

“Ademais, com as respectivas omissões, Marinete Costa Machado e Jardiane Viana Pinto [Jade Abreu] deixaram de praticar, indevidamente, ato de ofício, qual seja, o repasse dos valores descontados”.

A ação civil pública por ato de improbidade administrativa (enriquecimento ilícito) foi ajuizada pelo MPPA (Ministério Público do Pará).

Leia a íntegra da sentença do juiz Flávio Lauande.

LEIA também sobre esse caso: Justiça condena prefeita de Faro por enriquecimento ilícito e a deixa inelegível 3 anos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *