Justiça. Juiz Thiago Tapajós

O juiz de Monte Alegre, Thiago Tapajós Gonçalves [foto], negou, em decisão final, pedido de mandado de segurança impetrado pelo vereador Jean Vasconcelos (PR), no mês passado, para suspender da eleição indireta de prefeito e vice-prefeito do município. A informação é do Blog do Piteira.

A sentença foi lavrada ontem, 26.

Leia também – Vereador do PMDB é o novo prefeito de Monte Alegre; vice é do PTdoB.

O magistrado já havia negado pedido de liminar, garantindo a realização da eleição. A chapa Arinos Brito, do PMDB, e Leonardo Albarado, do PTdoB, foi a vitoriosa.

Com a decisão de mérito, o juiz Thiago Tapajós declarou extinto o processo.

Na ação, Jean Vasconcelos declarou terem sido ilegais a licença do vereador Leonardo Albarado, então presidente em exercício do Legislativo municipal, e os atos de Catarina Magalhães, que assumiu a presidência, também interinamente.

Thiago Gonçalves rechaçou esse argumento.

“Não há qualquer direito líquido e certo do impetrante ou abuso de poder e ilegalidade praticado pelos impetrados, pois a licença do Vereador Leonardo Albarado foi válida, bem como os atos praticados pela Vereadora Catarina Magalhães na condução do processo eleitoral impugnado, que na condição de 1ª Secretaria seria a substituta natural do Vice- Presidente da Mesa da Câmara Municipal de Monte Alegre, conforme previsão do art. 13, § 2º, do Regimento Interno e do art. 37 da Lei Orgânica do Município de Monte Alegre”, escreveu na sentença.

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

Um comentário em: Justiça mantém resultado da eleição indireta para prefeito em Monte Alegre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Cleo Meireles disse:

    Ainda não acabou essa novela. Todos ávidos pelo poder, enquanto isso a cidade amarga com a eterna falta de água, um aeroporto que não tem vôo direto, pra chegar lá só via balsa e ônibus, barco ou lancha, uma eterna não de obra. A orla da cidade toda esculhambada e desorganizada, fora outras mazelas.