Contas de candidato a prefeito recebeu doação até de quem recebeu auxílio covid
Rosinaldo Cardoso, ex-vereador e candidato a prefeito derrotado em 2021: alvo da Justiça Eleitoral. Imagem: Arquivo BJ

Em pente fino na prestação de contas de campanha dos candidatos a prefeito de Óbidos (PA), a Justiça Eleitoral encontrou em pelo menos uma delas doação de pessoas físicas inscrita em programas sociais do governo federal.

Por isso, o ex-vereador Rosinaldo Cardoso (Podemos) foi notificado semana passada para se explicar sobre esse e outros tantos indícios de irregularidades pulverizados em toda a sua prestação de contas do 2020.

— LEIA AINDA: Candidata a prefeita nº 1 em arrecadação é intimada pela Justiça Eleitoral

 

Rosinaldo foi o terceiro mais votado (4,8% dos votos) na disputa que teve como vencedor o emedebista Jaime Silva (41%). Recebeu em doações R$ 50,6 mil, das quais a mais graúda foi de R$ 35 mil, canalizada pelo Podemos do Pará.

A Justiça Eleitoral encontrou doação de ao menos 3 pessoas físicas inscritas em programas sociais do governo federal, e que receberam no ano passado auxílio emergencial em decorrência da pandemia da covid-19.

“Foi identificado o recebimento DIRETO de doação financeira realizada por pessoa física inscrita em programas sociais do governo, o que pode indicar ausência de capacidade econômica para fazer a doação”, destaca o relatório preliminar da Justiça Eleitoral em Óbidos sobre as contas de Rosinaldo Cardoso.

O dublê de cantor de boleros tem 3 dias para, a partir da intimação, apresentar esclarecimentos à Justiça sobre as falhas encontradas na sua prestação de contas, protocoladas em dezembro do ano passado (dia 15).

O vice na chapa do Podemos foi o sindicalista Derinaldo Biá, do PMN. Que comandou por muitos anos o sindicato que reúne os servidores públicos municipais de Óbidos.

“Foram declaradas doações recebidas de outros candidatos ou partidos políticos, mas não registradas pelos doadores em suas prestações de contas à Justiça Eleitoral, revelando indícios de recebimento de recursos de origem não identificada”, ressaltou a Justiça Eleitoral no relatório preliminar cuja cópia o portal BJ teve acesso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *