Vigilância Sanitária de Óbidos emite alerta sobre consumo de peixe: urina preta
Área central de Óbidos, às margens do rio Amazonas. Foto: Élison Araújo

A Prefeitura de Óbidos (PA), por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e Departamento de Vigilância em Saúde (Divisa), emitiu nesta quarta-feira (8) um alerta epidemiológico em virtude do registro de um caso suspeito por Doença de Haff, conhecida popularmente como “urina presta”, no município de Santarém.

Segundo o alerta, profissionais de saúde e a população em geral devem estar atentos para sintomas como fraqueza, dor muscular, dor de cabeça, dormência, urina escura iniciados a partir das duas horas após o consumo dos peixes, tais como pirapitinga (Pearactus brachipomus), tambaqui (Colossoma macropomum) e pacu (Piaractus mesopotamicus).

Outra orientação importante repassada pela Vigilância Sanitária foi no sentido de, em caso de sintomas, a população busque imediatamente uma unidade de saúde da rede pública ou privada. A orientação leva como base o estudo realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) que também associa a toxina a crustáceos como o camarão.

Óbidos e Santarém ficam a 234 km de distância, por via fluvial. A viagem de barco entre os dois municípios dura cerca de 4 horas, pelo rio Amazonas. Em relação a Parintins (AM), a distância é de 508 km, também por via fluvial. Em agosto, a cidade amazonense registrou 2 casos de rabdomiólise (urina preta). O estado enfrenta um surto da doença.

Com informações da PMO e redação do BJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *