Do leitor que se assina Fábio Pontes:

Jeso,

Quero aproveitar esse espaço para denunciar que fui ASSALTADO em Alter do chão hoje à tarde. E não foi com arma ou coisa assim, foi com uma caneta e um bloquinho de papel. Estou com minha família, sou paulista, mas moro em Manaus e vim conhecer Alter do Chão, pois já conhecia Santarém.

Pedi almoço em uma barraca na ilha, não sei o nome, e deliciamos uma banda de tambaqui, um tucunaré médio e um pequeno, alguns refrigerantes e 8 cervejas, e para meu espanto na hora de pagar a conta… 300,00 (TREZENTOS REAIS).

Achei que estava errada, quando fui conferir. Uma banda de tambaqui 70,00 (SETENTA REAIS) , o Tucunaré médio 60,00 (SESSENTA REAIS). A comida estava muito boa, mas sinceramente nem o serviço, tampouco a estrutura justificam tamanho absurdo.

Só para comparar, a melhor churrascaria de São Paulo, servindo carnes maravilhosas e um buffet que vai de saladas a salmão sai por 120,00 (CENTO E VINTE) per capita, e além da ótima comida, ofereçe ambiente climatizado, manobrista, cadeiras confortáveis, pessoal super qualificado, enfim.

E mais: sabe quanto custou cada passagem no trecho Manaus-STM-Manaus: R$ 278,00, menos do que a nossa conta. É um desabafo, mas também uma crítica construtiva pra que não tenhamos essa imagem da bela Alter do Chão. O turismo deve ser explorado, não o turista.

Perguntei por lá e me disseram que a COMUNIDADE é assim mesmo. Correm o risco de sair em um jornal de grande circulação com o título: “A mais bela e mais cara praia do Brasil”. Fica aqui meu registro e minha contribuição.

Como vc é um grande formador de opinião, espero que divulgue esse registro, para que autoridades e a “COMUNIDADE” não deixem isso se repetir.

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

62 Comentários em: Mais bela e mais cara do país

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • SoaresNT disse:

    O Tambaqui está barato!!!
    Em 2009 paguei R$80,00 lá na Raiana, no calor e sem a paisagem do Tapajós para contemplar.

  • jorge moraes disse:

    as dez piores coisas para se fazer no mundo : 1. Fazer turismo em alter do chão. 2. Passar três dias vendo a pantomina do boi em parintins ! Argh!!!!! 3. viajar nos esquifes aquaticos de Várzea City para Má naus 4. morar junto com a sogra 5. Ser eleitor do PT 6. Cursar sociologia na estácio de sá 7. Discutir política com sociólogo de várzea 8. Ser amigo de gaúcho 9. Tomar banho de praia em Ponta Negra em Má Naus 10. Morar em Má naus e passar férias na várzea City !

    1. china disse:

      Uma coisa para nao se fazer. Ir liso para alter do chao.

  • conceição disse:

    Ah e o galetinho do mutunuy?

    Também não é um assalto 1 franguinho por 12,50?

    1. Larissa Almeida disse:

      C/ certeza sim!

    2. anonimo disse:

      Esse estar se achandokkkkkkkkkkkkkkknão é o da Lia que deve

  • conceição disse:

    Acho que tá na hora do procon, da vigilância sanitária, ministério do trabalho,dos bombeiros, da semma……passerem por Alter e fazer uma fiscalização de pelo menos 1 semana…..

    Além de caro tudo o que se come na ilha….o que eles alegam pra esses altos preços? Pelo que eu saiba não pagam energia pois não tem, não pagam a cosampa por que não tem água encanada, não tem banheiros, não tem funcionários registrados em carteira, não tem segurança…..será que têm extintores de incêndio?…bom quanto ao atendimento…essse nem vou falar…….

    Fica o pedido e apelo, cadê as fiscalizações?

    1. china disse:

      So falta vc querer comer de graça, ou incluir em sua lista o vento, o sol, a areia…
      Vai passar um dia inteiro na beira do fogo, andando de um lado para o outro atendendo as pessoas, e isso na areia. vai encaraaaaaaaa a tarefa???

  • CLARA disse:

    Fabio na cidade de Manaus onde voce mora e onde tambem morei,com esses R$ 300,00 voce teria QUE OPTAR EM COMER O TAMBAQUI E BEBER OU COMER OS DOIS TUCUNARES E BEBER, comparemos com Manaus, na Amazonia como Alter, onde esse valor voce gasta em uma saidinha basica a qualquer churrascaria ou restaurante, sem direito a banhar no Tapajos.
    Sao Paulo e bem distante e rede de Rodizio e outra coisa, se compararmos o rodizio entre Sao Paulo e Manaus tambem veremos uma ENORME diferença.
    Tambem acho caro mas vamos contextualizar pois esse periodo de cheia tudo e mais dificil para quem vive da renda das barracas na praia de Alter pois ha uma alternancia entre quem vai comercializar em dia tal, o que faz, creio eu, com que o barraqueiros aproveitem para lavar a burra. Nao concordo com a pratica mas acerte o preço antes ou opte pela praia da Lua, em sua Manaus.

    1. china disse:

      Putz!! rsrsrsrsr ou voltar para sampa e curtir o tietê, a favela do boréu…
      …As vezes eu fico pensando q pago mais caro, um calor dos diabos, mais cara, eu acho isso bom!!! eu quero é ficar aqui, eu quero ficar aqui… ja dizia meu amigo Nicolas jr rsrsrsr

  • argetino cabreiro disse:

    és una playa muy hermosa pero ordinária !!!! no me gusta la explotacion de los bugres mocongos!!!!

    1. china disse:

      Argentino cabron, upz é cabreiro, perdon.

  • jorge moraes disse:

    eu não disse que essa história da praia mais ” linda” do brasil era só para inglês abestado ver ???

    1. selma gama disse:

      Meu Deus, esse rapaz que detesta Santarém ainda não se mudou para os USA? Só cidades como as daquele país servem para abrigar uma pessoa de tão alto padrão……..Mas vá cheio do dólar……lá vc paga até o ar que respira…….KKKKKKKK

  • jorge moraes disse:

    sou mais a praia do outeiro que com 300 paus a cara come um mês do bom e do melhor !!! com toda essa avacalhação ainda querem se tornar “estado!” !!!!

    1. Sara disse:

      Outeiro, hahahaha. Nao esquece de levar a galinha e a farofa, rss.

  • jorge moraes disse:

    uma combinação infernal e explosiva ! serviços de biafra com preços da suiça!!! e com essa avacalhação toda ainda querem se tornar “estado” !!!! arre !!! sou mais a praia do outeiro que com 3oo paus a cara passa 30 dias comendo do bom e do melhor!!!!

  • mrp disse:

    Sò falta o nosso ilustre TURISTA reclamar do serviço de bordo da tam ou da gol! como sò um sanduiche ou uma torradinha com pollenguinho?O taxi do aeroporto sai quase mais caro que a do avião,em belem ou manaus onde o coletivo passa quase na frente do terminal de embarque .a sim aqui passa também só que não no ou próximo do horário de partida ou chegada dos vôôs … A mais Bela e Democrática praia do Brasil.

    O paraíso (Alter) permite que se opte. Você pode se deliciar à beira da praia de peixes nobres, camarões e comidas deliciosas e terá que pagar por isso, e os preços não são exagerados.

    Você poderá comer “charutinho frito” (uma delícia) e pagar por isso.

    Você poderá levar carne com farinha puba e não terá que pagar por isso.

    A mais bela e domocrática praia de Brasil. PARAÍSO.
    concordo com esse comentàrio .sò falta sim que nossos borari recebam o apoio de pelo menos da funai (jà que não temos de fato uma pessoa formada em turismo( temos faculdade para isso) na frente da secretaria de cabide ou aliás de turismo)para fazer a socialização (eles sâo brutos)temos sim que cobrar pelo atrativo turistico (ou a natureza sò tem valor em toras ou vagôes de trem) aliàs estamos no capitalismo.

  • ei FÁBIO PONTES,
    teu comentário pode ser analisado da seguinte maneira = estavas empolgado, passastes a pedir todas e, para tua surpresa não tinhas o suficiente para suprir o teu exagero. e agora vens falar em assalto, essa não cola, essa desculpa é do tempo da caronchinha, ou melhor lá na mariazinha..

  • Maralice disse:

    Sendo assim, vou mudar a rota para Presidente Figueiredo, as cachoeiras por lá estão lindas!!!!!!!(rsrsrsrsrr)

  • elyne disse:

    Indignada
    Solidarizo-me com o turista explorado. Em um fim de semana em Alter pedi uma porção de 07 charutinhos a R$12,00 para minha surpresa uma inovação do cardápio cheirando a golpe: eles vieram cortados que juntando não dava 04 inteiros. Indignada não paguei o cobrado…
    É necessário reagir de alguma forma diante dessas “espertezas”…

  • Anônimo disse:

    Desculpa Santarenos
    Santarém não tem água tratada, não tem sistema de esgoto,certa ocasião ao lado do maior supermercado da Cidade notei que a” água” corria em meio a rua,parei o carro para fotografar a “água”que corria era esgoto desviado pelos moradores locais para,segundo eles, abrandar a poeira.

    ALTER É O PARAISO

    Quando tenho que ir a Santarém fico hospedado em Alter, os Hotéis praticam os mesmos preços da Santarém,vou a Santarém apenas para cumpri compromissos de trabalho e para ir a algum de seus bons restaurantes.A cidade principalmente no centro cheira a esgoto.

    Alter é o PARAISO
    O PARAISO é mau cuidado Santarem é PIOR!

  • RS disse:

    Quem não pode como o pote não segura a rodilha…………

  • Antenor Pereira Giovannini disse:

    Caro Jeso –
    Permita opinar nesse assunto.
    1) Sou paulista como o sr Fábio Pontes e sei que lugares turísticos sempre terão alguma exploração. Pode ser pequena, média ou grande mas sempre irá existir sob o foco de ser um lugar turítico, Não deveria ser assim, mas sabe-se que sempre existe, Exatamente por isso entende-se que a prudência nos mostra que uma consultada antes concederia uma idéia mais clara quanto iria gastar antes de fazer os seus pedidos. Da mesma forma, sei que não posso ir ao Fasano na av Paulista porque não tenho bolso suficiente para pagar a conta, ou ainda se fôr no Filet do Morais sei antes de entrar que meu prato não irá sair por menos de R$ 60,00 sem bebidas e couvert, como também se fôr ao Fogo de Chão o rodizio não irá sair por menos de R$ 120,00 por cabeça. Por isso, creio que faltou um bom senso antes de pedir e se assustar com os preços.
    2) Porém, isso não exime de que Alter do Chão de há muito deixou de ser algo atrativo não somente aos turistas mas para os que aqui vivem e desejam passar algumas horas em seu reduto. Sujeira em vários lugares, sem qualquer preocupação da necessidade de limpeza geral, locais de refeições na Vila são de uma precariedade extrema desde o alimento em sí, o atendimento, e as instalações. Banheiros são algo indescritivel, pelo mau cheiro e condições.
    Os preços realmente deixam qualquer visitante perplexo mesmo aceitando que se tem um visual com uma beleza extraórdinaria mas que não justifica a cobrança de preços extorsivos.
    Nota-se que não há por parte dos dirigente administrativos qualquer preocupação em padronizar dentro de uma viabilidade, para que exatamente se conceda oportunidade que mais frequentadores a visitem. A famosa lei de oferta e procura. Certamente com preços cobrados, afora os demais problemas , afugenta, como se pode observar nos próprios comentários dos seus leitores. Tal qual muitos opinaram meu consumo é bem pequeno em relação ao que poderia ser.
    Sobre as barracas trata-se de um caso à parte onde estranhamente não se observa
    nenhuma ação e principalmente exiigência da mesma fiscalizaçao sanitária que vem aqui na loja e me exige que nos banheiros dos funcionários eu tenha toalha de papel e sabonete líquido, sendo que na ilha não existe nada que possua um pingo de higiene e o que é pior, servido para as pessoas se alimentarem. Dois pesos e duas medidas sendo que a abragência é a mesma uma vez que o balneário pertencer a Santarém. Essa mesma fiscalização serviria para os restaurantes da ilha .
    Talvez com essa quantidade de comentários e abrangência do blog alguma autoridade se conscientize que do jeito que está não pode ficar e muita coisa precisa mudar e com urgência.

    Forte abraço

    Antenor Pereira Giovannini

  • Francisca disse:

    Eu já fui enxovalhada publicamente neste blog por falar mal de alter-do-chão… To meio dramática hoje, rsrsrsrsr…

    Mas quando eu leio relatos assim, vejo que eu tenho razão!! Desde quando uma banda de tambaqui custa 70,00 reais? Só no inferno!!!! Esse tambaqui veio de onde, da Nova Zelândia???

    Sabem o que eu faria, numa situação dessas? Simplesmente não pagaria. Ficaria lá, pagaria hotel mais caro ainda, mas esperaria um agente sanitarista para averiguar a água, a higiene; agentes do procon, da polícia, do diabo a quatro, mas não pagava…

    Os donos daquelas barraquihas imundas é que teriam de me pagar por terem colocado minha vida em risco com tanta imundície. Exposição a risco.

    Alguém já viu como é feito um peixe naquelas barracas? Sem romantismo, queridos!!!!!

    “Minha terra tão querida, meu encanto, minha vida???”, aquilo ali é o paraíso das bactérias, dos fungos e dos micróbios de toda sorte.

    Deveria haver um tabelamento mínimo. Isto ocorre quando o cliente não pergunta o preço antes. isto é fraude, golpe. simplesmente…

    Aquele povo das barracas acha que os clientes são mais idiotas do eles.

    1. kdu disse:

      Como se 100% de santarém não o fosse. Os micróbios não escolhem ricos nem pores aqui.

      1. Francisca disse:

        Kdu,

        Éfren Galvão, em texto publicado no site NOTAPAJOS.COM, conseguiu explicar de modo extremamente simples porque 100% dos santarenos seriam idiotas (opinião sua). Só quero lembrar a todos que eu sou maranhense… Prossigamos…

        Segundo Galvão, não é que os santarenos sejam preguiçosos, o sol é que tá demais.

        E já aumentando como é do meu costume, até que os santarenos têm alguma vontade de sair, reivindicar alguma coisa, fazer algum protesto, sei lá… O problema é que o pessoal já acorda tarde e já às 8h tá um solzão infernal na moleira, que realmente, não tem condições…

        Depois do almoço, então, só suicida que sai nas ruas. À tardinha tem as novelas e aí já era.

        E assim a vida prossegue, meu caro…

  • O Skrotinho disse:

    Estão matando a galinha dos ovos de ouro do turismo em santarém. vila imunda, comida sem paladar, agua suja, sem banheiro, eu só vou em alter para olhar a paisagem, no máximo como uns docinhos na barraca da Jô, e almoço na casa do João alho que é 0800…rs…

  • João Tapajós disse:

    Caro Pontes,
    sua grita tem sentido, vamos aos fatos em numeros:
    > O kilo do tambaqui esta entre 10 e 12 reais (preço do mercadão 2000) o que é vendido em alter esta mais pra boco (pra quem nã sabe tabaqui pequeno) logo uma banda deste teve um custo aproximado de R$ 22,00 (se o boco tiver 4 kg) portanto o arroz, a farofa, o vinagrete e o serviço ficou por 48 reais,
    > o tucunaré medio de aproximadamente 2 kg sendo o Kg a 10 reais fica por 20 reais o custo do peixe portanto 40 os demais guarniições e serviço.
    o preço de cada serviço esta saindo mais caro que a hora/aula de um professor com doutorado,
    se compararmos desta maneira esta caro, mas a outras considerações…
    o barraqueiro não pode incluir no preço a beleza do local porque ele é gratis é uma dádiva deDeus que está em processo de destruição.
    Mas se este barraqueiro destinasse parte deste faturamento para manutenção, como, limpesa, construção de uma infra coletiva como banheiro publucos de boa qualidade era justificavel este preço, mas o fato é que esta caro mesmo;

  • Seiichi Okada Pereira disse:

    Uma coisa eu tenho que concordar a estrutura e a qualidade (seja do atendimento, seja da higiene do local) deixam muito a desejar. Algo que não custa nada e que faz a total diferença para visitantes como no caso do Fábio que veio prestigiar nossa praia e que com certeza pagaria satisfeito por esse pedido se tivesse tido um atendimento de qualidade e usufruísse de uma boa estrutura.

    Precisamos mostrar aos comunitários que uma qualidade no atendimento não é somente bom pro turista é bom pros próprios bolsos deles. Quantos turistas já não tiveram a mesma impressão que o Fábio teve e não se manifestaram? Quantos já não devem ter feito propaganda boca a boca negativa da nossa praia? Enquanto não houver consciência dos trabalhadores locais, nossa alter do chão nunca vai se tornar em um verdadeiro ponto turístico da Amazônia.

    1. kdu disse:

      aí sim é verdade

  • M.M disse:

    Ha tempos que alter do chao virou patrimônio nacional, e como tal nao deve fica a mercê de meia dúzia de boraris, nao faz pouco tempo, lembram do Sairé quando ficou nas maos dos nativos e no que deu?? todos sabem…
    Ta na hora dos orgaos de proteção do consumidor e a vigilância sanitária fazerem uma visita ao balneário para tomar as medidas legais…

  • Felipe Mello disse:

    tA NA HORA DE ALGUÉM FAZER ALGUMA FISCALIZAÇÃO NESTES PONTOS

  • Marco disse:

    Como no primeiro semestre dá pouco turista querem descontar agora.
    No Rio de Janeiro existe três preços para se alugar cadeiras um para o carioca, outro para o turista brasileiro e outro para o turista internacional.
    É difícil ser otimista quando Sarney ” o pai do atraso” nomeia um senhor de mais de 80 anos para ser ministro do turismo, que até agora só serviu para mandar recursos para o Maranhão.
    Vejam o site da rádio cbn na coluna do Arnaldo Jabour.
    Abs e dias melhores para o turismo brasileiro.

  • Gripe Suína disse:

    Não é o caribe brasileiro? vdd isso é um assalto mesmo.

  • David Campos disse:

    A verdade é que já faz tempo que os barraqueiros de alter praticam preços abusivos na venda de seus produtos, isso é fato, cadê o poder público? Ali existe cartel de preços dúvido alguém aqui colocar uma barraca por lá sem sofre represalias, sem contar que quando aparece gringo tem barraca que cobra preço ainda maior em dolar, isso também é crime.

  • Anônimo disse:

    A mais Bela e Democrática praia do Brasil.

    O paraíso (Alter) permite que se opte. Você pode se deliciar à beira da praia de peixes nobres, camarões e comidas deliciosas e terá que pagar por isso, e os preços não são exagerados.

    Você poderá comer “charutinho frito” (uma delícia) e pagar por isso.

    Você poderá levar carne com farinha puba e não terá que pagar por isso.

    A mais bela e domocrática praia de Brasil. PARAÍSO.

  • Anônimo disse:

    Quando vou a Alter (o Paraíso) com a minha família, levo em uma caixa térmica a comida e a bebida, utilizo a estrutura de mesa, cadeiras e guarda-sol de uma das várias barracas existentes sem gastar nada. Sei me situar.

    Alter, PARAÍSO DEMOCRÁTICO.

  • Francinei Almeida disse:

    Quando em 2009 Alter do Chão foi eleita a “praia mais bonita do Brasil”, por correspondentes do jornal inglês The Guardian, acredito que o foi não por sua estrutura (que está aquém de sua beleza natural), mas por aquilo que lá existe desde a criação do planeta Terra! Com certeza se fossem levados em consideração aspectos como atendimento, higiene, infraestrutura, custo, etc. a praia não ficaria além do décimo lugar.
    Quando um visitante critica a estrutura da praia, isso deve ser levado em consideração para resultar em aprimoramento dos serviços, um alerta de quem conseguiu enxergar mais que apenas beleza natural.

  • João Alho disse:

    Os comerciantes das barracas da praia de Alter são campeões de criar problemas na hora de pagar a conta, seja pelo preço abusivo ou por “enganos” em alguns itens não pedidos.
    O comércio lá é medieval. A excetuar os hotéis e a mercearia do Mingote, acredito que nenhum estabelecimento aceite Cartão de Crédito ou qualquer outra forma de pagamento. Os comerciantes acham que estão fazendo um favor para o consumidor, quando na verdade é o inverso que acontece.

  • Tiberio Alloggio disse:

    Toda minha solidariedade para você Fábio Pontes.

    É por isso que Alter do Chão, faz tempo, está fora das minhas rotas e opções de lazer.

    Lá não se explora o turismo, mas sim o turista

    Lá eu não gasto um tusta, pois é um erro persistir em encher o bolso de assaltantes.

    Há muita opções “Paradisíacas” na nossa região, bem mais em conta

    Tiberio Alloggio

  • Anônimo disse:

    Saiu barao, esqueceram de cobrar mais R$ 50,00 correspondente aos coliformes fecais que vem incluso no prato

  • CARLOS LIPPI disse:

    Só quem não teve oportunidade de sair de Santarém e conhecer outros lugares pra não notar a diferença nos quesitos qualidade dos produtos, qualificação pessoal, higiene no preparo, comodidade etc. a maioria desses serviços prestados aqui, se fossem prestados na maioria das cidades brasileiras onde sua população não é acomodada, é exigente e conhecedora dos seus direitos como cidadão e consumidor, a empresa ou o serviço nem chegaria a ser aberta ou executado. Falta ao santareno cobrança eficaz a administração pública, que diga-se de passagem e particularmente, nem sem se existe em santarém.

  • espoca bode disse:

    Caro FÁBIO PONTES,
    Lendo seu comentário postado acima, exclareço que, como vc menciona ser paulista e mora atualmente em Manaus, deveria ser experiente, porém, exagerou em muito, pois quando chegamos em qualquer lugar procuramos nos situar das suas principais peculiaridades , mas pelo que li vc não se preocupou com isso, bancou o coronel timoteo, eis a realidade.

    1. Observador disse:

      espoca bode,

      Interessante como vc coloca as coisas. Nosso turista de vítima passou a vilão. Não é ele o culpado pelos absurdos que ocorrem na Bela e insana Alter do Chão. Não incentive o xenofobismo.
      A verdade é que há muito tempo os preços em Alter do Chão deixaram de ser exorbitantes para serem no mínimo imorais.

      1. ei observador de 24/06/2011 às 10:54,
        como está em moda a palavra xenofobismo, vc à aplica em qualquer sentido.

  • Joseester disse:

    Ei, vamos acabar com isso de que Alter é um paraíso. Já foi!! Lugar nenhum no mundo vive só de beleza (e diga-se de passagem já desgastada). Sem infraestrutura, fica difícil o turista voltar. A desculpa de que querem preservar o lugar “rústico” faz com que Alter seja o que é atualmente. Os tempos são outros. O progresso chegou, e é hora de mudar.

  • Anônimo disse:

    Ei, vamos acabar com isso de que Alter é um paraíso. Já foi!! Lugar nenhum no mundo vive só de beleza (e diga-se de passagem já desgastada). Sem infraestrutura, fica difícil o turista voltar. A desculpa de que querem preservar o lugar “rústico” faz com que Alter seja o que é atualmente. Os tempos são outros. O progresso chegou, e é hora de mudar.

  • Santareno adotivo disse:

    Faltam algumas verdades nessa denuncia!!
    Que tamanho era o Tambaqui, o Tucunaré ¨médiö ¨ e o ¨pequeno ¨?
    Quantas pessoas realmente comeram? Esse papo de alguns refrigerantes e 08 cervejas está meio furado.
    Nesse grupo não tinha menos de 10 pessoas adultas e mais as crianças, pode ter certeza. Liberam total, as crianças se entupiram de refrigerantes, alguns docinhos e na hora da conta vem o choro.
    Essa gente pensa que aqui as pessoas têm de trabalhar de graça. Que venham os turistas, mas que paguem as contas.
    Denuncia sem dar nomes aos bois fica meio covarde, a outra parte precisa se defender e dar sua versão.
    ET. onde mora junior Chaves? Em que mercado, ele compra tambaqui por esse preço? Para não passar por leviano, tem que informar aqui onde ele compra. Hoje pretendo almoçar peixe, ainda dar tempo de comprar.

    1. Observador disse:

      Santareno Adotivo,

      Eu sou santareno oficial, e conheço muito bem os preços abusivos praticados em Alter do Chão.

      De beleza natural Alter do Chão hoje não é nem a sombra do que já foi em outros é pocas, e se continuar do jeito que está, não vai sobrar nem isso, mas tão somente um bando de salteadores, exploradorando-se a si mesmos, pois já terão espantados todos, como já acontece com a população local que já procuran outros balneários, pois ninguém aguenta ser explorado todo final de semana.

      Interessante que apesar do serviço deficiente e dos altos preços praticados, eles acreditam que estão fazendo um belo serviço. Temos que deixar de ser amadores em matéria de turismo. A verdade é que somos AMADORES, aceitem e melhorem seus serviços e preços.

  • Anônimo disse:

    Não é de hoje que os preços cobrados em Alter são abusivos. O lugar infelizmente não tem mais quase nada a oferecer e está abandonado e sujo. Barracas infestam as praças e a sujeira e a desorganização é alarmante.
    O Sairódromo está repleto de restos de carros alegóricos e nada justifica os preços abusivos cobrados em nossa Alter, tanto nos restaurantes quanto nos hotéis locais.
    Infelizmente isso reflete no turismo como um todo e Santarém paga o preço disso.
    A distância já atrapalha e os turistas são tratados com descaso. Alguém mais vê isso?

  • Maria Lurdes Santos disse:

    Jeso, aproveitando o assunto, tão importante quanto a questão dos preços (de tudo) em Alter-do-Chão, a infra-estrutura da vila é lastimável, completamente abondanada, a visão é de causar vergonha, o mato e os buracos das ruas nos deixam sem opção de desvios, não tem banheiro público, sistema de esgoto, enfim… Não acredito q somente o cidadão comum veja isso, e as autoridades competentes não. Bela, somente a imagem aérea engana!

    1. indignado disse:

      cadê esse tal secretário de turismo que é formado em matemetica. Grande secretario que não sabe nada de turismo. nada

  • Junior chaves disse:

    Mais uma boa demonstração de que nossa Santarém não tem preparo nem cultura para ser cidade turística, pois a exploração do turismo deveria ocorrer apenas no sentido conotativo de “viver de”.
    Não se justifica, prezado anônimo, o fato de Alter ser um paraíso (agora com muito esgoto) e se cobrar 70,00 por uma banda de tambaqui. Em Manaus ou mesmo em Santarém se compra pelo menos 9 kg de Tambaqui com esse valor e uma banda não atinge 2 kg.
    Todavia, o crime realmente existiu, mas no fato de não se ter a exposição da Tabela de Preços conforme determina a Lei do Consumidor.
    Outra coisa: qual o quisito para se calcular o peso, pois é irregular e ilegal vender comida por tamanho pequeno, média ou grande. Pois o pequeno pode vir a ser pequeno demais e o mėdio também, pode vir a ser pequeno demais…
    Abraço!
    J.C.

    1. Anônimo disse:

      Junior
      Desta maneira um hamburguer no MacDonald considerando o preco da carne a quantidade dela no hamburguer, de maneira simplista deveria custar poucos centavos.

      Alter é um PARAISO,mal cuidado sem duvida,mas um PARAISO o preco de comer um Tambaqui no PARAISO(sendo servido na praia ao lado do lago) é uma escolha consiente, voce podera levar um frango com farofa e comer em uma mesa das varias barracas sem custo.

      O PARAISO é democratico!

      1. Observador disse:

        Por pessoas que pensam como vc é que Alter está cada vez pior.

        Vc deveria pensar que Alter do Chão precisa de ajuda e que todos devemos lutar para tornar um lugar mais democrático, pois essa sua visão de democracia é totalmente deturpada, está mais para ditadura, ditadura de preços abusivos, ditadura de quem for forte que aguente e quem for fraco que se quebre e se lasque.

        Quantas pessoas mais humildes estão excluídas de aproveitar as belezas de nossa bela, mas destruída praia? Mas pelo que percebi vc não tá muito preocupado com seu semelhante, assim como a nossa Administração também não está.

        Essa é a sua democracia?

  • Fábio, estive também ontem em Alter do Chão, e pedi uma banda pequena de Tambaqui, que custou R$ 50,00, realmente é muito caro, mais paguei consciente. Acredito que o que faltou foi você conferir os preços no cardápio. Aí você consome se quiser, se não quiser, levanta e vai embora. Essa é a melhor forma de protestar. Depois que comeu e bebeu, só resta pagar.
    Quanto a São Paulo, depende de onde você faz refeição, pois dependendo do restaurante, pode ter certeza que não vai pagar menos do que isso. Digo por experiência própria. Em Porto de Galinha, no Recife, uma refeição por pessoa, em restaurante na beira da praia, não sai por menos de R$ 60,00 reais por pessoa.

  • Anônimo disse:

    70,00 (SETENTA REAIS) , o Tucunaré médio 60,00 (SESSENTA REAIS) 130,00(cento e trinta reais).
    170,00 (cento e setenta) de “birita”……………… despois arrependimento .

    1. Tatiana Vieira disse:

      Apesar de concordar com todos os protestos contra o preço abusivo das barracas da ilha e em alguns estabelecimentos na vila, acho que faltou bom senso do nosso turista em negociar o preço dos produtos consumidos. Faço coro a falta de infraestrutura e higiene, e por isso mesmo quando vamos a Alter comemos numa peixaria de um amigo que fica na vila, local gostoso, comida boa e preço justo. Às vezes comemos na praia, nesse caso negociamos preço e escolhemos o peixe, quando achamos um bom negocio ficamos.
      Ao ler os valores da comida também pensei Anônimo R$ de 170 de bebida? Cobrando uma cerveja a 5 reais daria 40, e o restante 130 reais só de refrigerante. É tem algo que não bate nessa conta.
      Uma vez vimos uma situação dessa de perto, casal de turista escolheu o peixe, bebeu e depois chegou a conta. Foi um escandalo.
      Lembro que tais preços são cobrados quase que unanimes pelas barracas das outras praias que se destacam em Santarém, um outro exemplo é Ponta de pedra que também tem preço salgado, pra piorar no dia que formos por lá a água estava suja e não tive coragem de tomar banho, assim como a água da ilha de Alter do chão pra onde vai o esgoto da vila. Infelizmente, isso nao são apenas características de Santarém, conheço algumas praias do litoral brasileiro e o perfil é o mesmo.

  • Anônimo disse:

    Farofeiro no Paraiso
    Uma banda de Tambaqui e um Tucunaré médio é comida para seis a oito pessoas o que com a bebida inclusa, na pior hipótese, da 50,00 reais por pessoa. No Paraíso que é Alter está razoável. O lugar é único no Mundo e tem opções também para “farofeiros” só tem que saber se situar.

    1. Observador disse:

      Temos que ser explorados mesmo, pois apesar de explorados ainda defendem os exploradores.

    2. sampaio disse:

      Anônimo Borari,
      Você só esqueceu-se de citar coma a vila vai ser sustentada se continuarem a receber turistas dessa forma.