Na edição comemorativa dos 10 anos da revista National Geographic no Brasil, uma das matérias revela que Santarém, por conta dos sítios arqueológicos de Taperinha e Caverna da Pedra Pintada, com datas que chegam a 6 mi anos a.C, é considerada pelos arqueólogos a cidade brasileira mais antiga.

AQUI, no site da Agência Amazônia, mais informações.

A revista chega às bancas amanhã (28), com a reportagem de capa, sobre as civilizações pré-coloniais na Amazônia, assinada pelo professor Eduardo Neves, do Museu de Arqueologia e Etnologia da USP, que também coordenou as expedições a sítios da região amazônica com indícios dessas civilizações.

  • 23
    Shares

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

16 Comentários em: Santarém, a cidade mais antiga da Amazônia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Pinon Friaes disse:

    Aos neófitos de estudos históricos sobre a Amazônia, qualquer comentário bairrista, é válido. Quanto a história da hileia amazônica, esta começou verdadeiramente em 08 de dezembro de 1494, com a descoberta dos navegadores espanhois Vincente e Martins Alonso Yánez Pinzon, quando da denominação de Santa Maria del Mar Duce. Dando a continuidade da exploração do grande rio, em fevereiro de 1495, aportaram nas aproximidade do aldeamento dos gurupatubas. E desde então, o vale dos gurupatubas tornou-se o burgo e o ponto de reabastecimento dos navegadores espanhois. Concomitantemente, depois de Macapá, primeira fundação e primeiro empório da Amazônia, Monte Alegre, é sem dúvida, a mais velha das fundações interiorana da Amazônia. O reto é balela.

  • klycia cerqueira disse:

    Amei show de bola .

  • vicente nunes pessoa disse:

    gosto muito da reg.amaz.principalmente de santarem, o homem treabalha

  • Jeso,

    se isso for verdade, foram pra lata de lixo as pesquisas científicas da antropóloga Ana Roosevelt, no final dos anos 80, em Monte Alegre, que confirmaram estarem lá as marcas mais antigas da presença do homem na Amazônia? É dela a tese do “paleoíndio” amazônico, que lá deixaram marcas de mais de 11 mil anos atrás.

    Sou mocorongo, mas não se trata de disputa umbilical. Enquanto não se descartarem, do ponto de vista da ciência, os estudos da bisneta de Franklin Roosevelt, Monte Alegre continua sendo o berço das civilizações amazônicas.

    Também no período pós-cabralino, Monte Alegre foi fundada antes de Santarém. A cidade dos “pinta-cuia” é de 1639, quando o capitão português Pedro Teixeira lá aportou e criou o aldeamento de Gurupatuba, segundo o historiador Arthur Cezar Ferreira Reis. Santarém é posterior, segundo o mesmo autor, que seria fundada pelo jesuíta missionário João Felipe de Bettendorf.

    E os nossos historiadores, o que dizem? É bom que entrem nesse debate.
    José Maria Piteira

  • fernando medeiros disse:

    Parabens,mas tbm ‘e aki tem mas buracos do mundo!SANTAREM…O QUE ADIANTA TEUS ENCANTOS,SUAS LINDAS PRAIAS,MAS BURACOS P/ TDS OS CANTOS???

  • Arilson Brito disse:

    Jeso, tem cara que sabe apenas criticar, não leem, não estudam, não pensam, não possuem argumentos, só assistem novelas, big brother e vivem multiplicam as noticias da Globo divulga com suas politicas e visões. Esses caras têm pensar com o ´p´roprio cérebro.

    Caros pseudo-críticos (falso criticos) deem opiniões, sugestões, embasem seus pensamentos, argumentem com mais justificativas, um meio de comunicação/divulgação como este e tantos outros servem para construir, melhorar, informar, mas se querem apenas falar mal, liga pro programa “fala que eu te escuto”, talvez resolvam suas angústias ….. (absolutamente nada contra o programa da Igreja,muito pelo contrário, parabenizo)

    Arilson Brito

  • Francisca Barros disse:

    Deve ser por isso que está caindo de podre…

    1. Jeso Carneiro disse:

      Isso é o que chamo de sense of humor certeiro e inteligente. Parabéns, professora. Aliás, ex-professora, Francisca Barros!

      1. Francisca Barros disse:

        Jeso, quando você vai aparecer para o chá, café (ou qualquer outro líquido) da tarde?

        1. Jeso Carneiro disse:

          Qdo for devidamente convidado, ex-professora!

  • EVERALDO PORTELA disse:

    Sou nascido em Santarém-PA e desde que me entendi percebi a existência de uma significativa população tipicamente indígena, sobretudo na áreas ribeirinhas do município. Ou seja, não tinha dúvida de que os “caboclos” dessas comunidades tradicionais se constituiam os autênticos herdeiros dos primeiros habitantes da região e como tal, os verdadeiros proprietários de todas suas riquezas naturaIs: TERRA, ÁGUA, ANIMAIS, VEGETAIS, AS RIQUEZAS MINERAIS DO SUBSOLO e todas as demais riquezas imaterias que nesta terra existe.

    Para que nossa “civilização” se impusesse sobre as numerosas nações indígenas existentes na região os colonizadores utilizaram-se de diferentes recursos: a fé, a arma de fogo, a escravidão, as leis, os fortes, o controle dos portos, enfim, um conjunto de instrumentos aplicados de forma autoritária, violenta e covarde.

    Gradativamente os colonizadores foram massacrando, submetendo e destruindo, de um a um, os povos mais antigos da Amazônia.

    As tribos remasnescentes e as populações tradicionais da região só sobreviveraqm e preservaram sua linhagem indígena porque se retiraram do comércio com os poportugueses e se meteram pela terra a dentro procurando abrigarem-se o mais distante possível dos povoados ocupados pelos portugueses.

    Hoje, os descendentes dos primeiros habitantes estão sendo forçados a deixarem suas terras a fim de dar lugar a implantação de grandes empreendimentos capitalistas destinados a explorar os recursos naturais da região.

    Nós sempre vamos achar um motivo e encontrar um jeito de impor a Amazônia e seus povos o modelo de exploração colonial e predatória de suas riquezas.

    É porque aqui está o berço da civilização da Amazônia (e do Brasil!) que devemos defender os interesses a apoiar as lutas das populações indígenas e tradicionais da região nos seus enfrentamentos contra madeireiros, grileiros, sojeiros, mineradoras, empresas do setor elétrico enfim.

    Em primeiro lugar os herdeiros dos primeiros habitantes e todo o resto vem depois!

    É por isso que apoiei os índios e comunidades tradicionais do rio Arapiuns quando queimaram as toras de madeira nas balsas. É por isso que apoio a luta dos moradores do PAE Juruti Velho pelo reconhecimento dos seus direitos perante a atuação da Alcoa na mina de Juruti Velho. É por isso que apoio a luta dos índios do rio Xingu contra Belo Monte.

    OS POVOS INDÍGENAS E COMUNIDADES TRADICIONAIS SÃO OS VERDADEIROS DONOS DAS RIQUEZAS NATURAIS DA AMAZÔNIA e todos esses grandes empreendimentos, além de desprespeitarem esse direito, causam insegurança no presente (imposição de uma nova cultura!), destroem o passado e comprometem o futuro.

    Precisamos defender as nossas origens enquanto ainda é tempo! Defender os interesses das populações tradicionais da Amazônia é defender a preservação e permanência das riquezas naturais da região nas mãos de seus autênticos proprietários.

  • Papa Légua disse:

    Mocorongo, tu não sacou a onda? A praia mais bela, o maior arquifero, a cidade mais velha e a mais CULHUDA do mundo ora bolas… Rs!

    1. Arilson Brito disse:

      PAPA LÉGUAS, tu deve ser muito é v… e filho da p…. primeiro, tu nao se identifica, quer dizer és um GRANDE COVARDE e COVARDE não se impõe, se esconde, outra coisa, outra coisa, não tens argumentos, quer dizer és um burro, mas burro puxa carga e pára quando quer e nínguem consegue tirar do lugar o animal, e por último, por favor, covardinho, dê opinião de outros locais e compara a esta cidade a outras, fale , diga e argumente, não grite no ouvido dos outros seu alarde de ignorância absurda !!!!

      Quer meu telefome e email, fale com Jeso,ele tem….
      Quero ouvir seus argumentos de zé mané

      Arilson Brito – sociólogo

  • Rubem Chaves disse:

    Infelizmente Jeso, a cidade ainda vai sofrer para que as autoridades a vejam como a Pérola do Tapajós. É triste, mais é a realidade. Um amigo voltou recentemente de Santarém e confessou que se sentiu mal ao ver a cidade em estado de abandono.

  • mocorongo disse:

    Era só o que faltava. Já temos a praia mais bonita do mundo, o maior arquifero do mundo e agora a cidade mais antiga da Amazônia. E onde estão os órgãos competentes para explorar o TURISMO na nossa região. Ao invés disso temos sim turistas frustrados com a infraestrutura da cidade, com os mil buracos e lixo nas ruas. Não é culpa de um ou 2 prefeitos pois isso é uma herança antiga. Mas na verdade se Santarém fosse no estado vizinho (Amazonas) creio que seria bem diferente. Olha o exemplo do mega apoio que Parintins tem.O eco turismo no Amazonas dá um banho no Pará com dezenas de hotéis de selva e 98% das florestas preservadas. Enquanto isso nós em Santarém agonizamos com os buracos, com a atrofia do Sairé e Borari…

    1. Jeso Carneiro disse:

      Mocorongo, até hj a Secretaria de Turismo de Santarém, com a cumplicidade da Paratur, não tiraram qualquer “lasquinha” de marketing da reportagem do jornal inglês que considerou Alter do Chão a praia mais bonita do Brasil. Nada vezes nada.