Jovem preso por tráfico de drogas sintéticas faz faculdade à noite em Santarém

Publicado em por em Educação, Justiça, Segurança Pública

Jovem preso por tráfico de drogas sintéticas faz curso de engenharia civil
William Guilherme: aluno do curso de engenharia civil. Foto: Arquivo JC

Preso na tarde desta quinta-feira (16) em Santarém (PA) por tráfico de drogas sintéticas (ecstasy), o jovem William Guilherme Gomes Santos, 26 anos, é aluno do curso de engenharia civil de uma faculdade particular na cidade.

Nascido em Manaus (AM), o acusado estava com 149 comprimidos, nas cores laranja e branca, da droga – consumida bastante em festas e eventos. É mais conhecida como bala entre usuários e traficantes. Cada comprimido custa, segundo um policial, cerca de 30 reais.

A prisão preventiva do jovem William Santos foi mantida na audiência de custódia realizada nesta sexta-feira, por videoconferência pelo juiz substituto Felipe José Ferreira, da 3ª Vara Criminal de Santarém.

“Tendo em vista a gravidade do fato, demostrando a periculosidade do custodiado [William Santos] e da intranquilidade causada no meio social pelo delito a ser apurado, bem como não subsistindo qualquer motivo que se justifique a revogação da custódia cautelar, mantenho a prisão preventiva do custodiado, nos termos da decisão”, justificou o magistrado.

Os advogados Fabrício Lages e Felipe Trindade, do escritório Fabrício Lages, é que fazem a defesa do suposto traficante.

Faculdade

William Santos está matriculado no turno noturno do curso de engenharia civil da Unama (Faculdade da Amazônia). Cursa o primeiro ano.

A Lei de Drogas (nº 11.343/2006) estabelece que a pena para o tráfico de drogas pode variar de 5 a 15 anos de reclusão e pagamento de multa, dependendo da quantidade e do tipo de droga. Além disso, se o crime for praticado por organização criminosa, a pena pode ser aumentada em até dois terços.


Publicado por:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *