-1
Sem plano de recuperação, Justiça de Santarém decreta a falência da Madesa
O caso tramita na 4ª Vara Empresarial do Fórum de Santarém

O juiz Cosme Ferreira Neto, da 4ª Vara Cível e Empresarial de Santarém, decretou a falência da Madesa (Madeireira Santarém Ltda), que tinha forte presença no setor florestal na região do oeste do Pará. A empresa pertencia ao empresário Luiz Fernando Ungeheuer.

Na decisão, proferida no último dia 18, o magistrado nomeou a advogada Idenilza Rufino como administradora judicial. Ela já exercia o caso na etapa de recuperação judicial.

 

“Deve a administradora judicial proceder à arrecadação dos bens e documentos e livros, bem como a avaliação dos bens, separadamente ou em bloco, no local em que se encontrem, para realização do ativo, sendo que ficarão eles ‘sob sua guarda e responsabilidade’, também do local onde se encontram os bens”, orientou Cosme Neto.

Também ordenou a intimação de “Luizinho da Madesa”, como o dono da madeireira é mais conhecido, para que preste declarações, assine os autos do termo de comparecimento à Justiça, encaminhe livros contábeis, “para salvaguardar os interesses das partes envolvidas”.

E advertiu o empresário: “verificado indício de crime previsto na Lei n.
11.101/2005 [Lei de Falência e Recuperação Judicial], poderá ter a prisão preventiva decretada”.

Insolvência da empresa

No ano passado, a Madesa ajuizou ação de recuperação judicial em Santarém alegando problemas financeiros que vinha sofrendo desde 2015. E que se agravou nos anos seguintes, “asfixiando sua capacidade produtiva”, levando-a à “insolvência”.

A Justiça acatou o pedido e, como determina a lei, foi estipulado prazo de 60 dias para que a empresa apresentasse o plano de recuperação. A Madesa não só não o fez como também não pagou as custas do processo. O Ministério Público e a advogada-administradora judicial, acionados, manifestaram-se pelo cancelamento da recuperação judicial.

 

Mais incisivo, o MP pediu a mudança da recuperação judicial para falência. As duas são distintas. A primeira é uma possibilidade de evitar a segunda. A falência é o último estágio, quando não há mais a possibilidade de recuperação judicial.

O pedido foi acatado pelo juiz Cosme Neto na semana passada.

— LEIA também: Madeireira e sócio são condenados por corte ilegal de floresta em Santarém

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *