STJ tranca inquérito por outdoors do pequi roído com críticas a Bolsonaro em Palmas
Outdoor: STJ trancou o inquérito aberto a pedido do ministro da Justiça. Foto: Reprodução

O Direito Penal, segundo o STJ, é uma importante ferramenta conferida à sociedade, mas que deve ser acionado situações extremas, que denotem grave violação aos valores mais importantes compartilhados socialmente. Não deve servir, jamais, de mordaça nem tampouco instrumento de perseguições políticas aos que pensam diversamente do governo eleito.

Com esse entendimento, a 3ª Seção do Superior Tribunal de Justiça deu provimento a Habeas Corpus para trancar o inquérito aberto a pedido do então ministro da Justiça, Andre Mendonça, contra o responsável por financiar outdoors na cidade de Palmas (TO) com mensagens contra o presidente Jair Bolsonaro.

— LEIA também: Jornalista não pode ser constrangido a revelar a fonte, diz em decisão ministro do STF

 

O investigado arrecadou verba através de vaquinha para instalar na capital do estado imagens do presidente com a mensagem “Cabra à toa não vale um pequi roído. Palmas quer impeachment já!”.

Relator na 3ª Seção, o ministro Ribeiro Dantas explicou que a proteção da honra do homem público não é idêntica àquela destinada ao particular, pois ao aceitar a militância política, resigna-se com maior exposição e escrutínio de sua vida e personalidade, bem como de seus atos.

Assim, nessa hipótese, não basta criticar o indivíduo o sua gestão da coisa pública para ocorrer o crime. É necessário ter a intenção de ofende-lo.

“No caso concreto, as críticas restringiram-se à analise politica e subjetiva da gestão empregada pelo presidente, que, da mesma forma que é objeto de elogios para alguns, é alvo de críticas para outros. Por isso não estão demonstradas nos autos todas elementares do delito, notadamente o especial fim de agir”, concluiu o ministro.

Uso desmedido da LSN

Em outubro de 2020, um simpatizante de Bolsonaro já havia apresentado queixa-crime que pedia a investigação pela Lei de Segurança Nacional também pelos outdoors. A Polícia Federal iniciou as apurações, mas a Corregedoria Regional da PF e o Ministério Público Federal arquivaram o caso em outubro. Foi então que Mendonça pediu o inquérito.

Essa foi uma das muitas oportunidades em que o hoje Advogado-Geral da União usou a Lei de Segurança Nacional para embasar pedido de investigação contra desafetos políticos do presidente Bolsonaro. Como mostrou a ConJur, o uso desmedido da LSN reacendeu o debate  sobre a reforma da mesma no Congresso, ações no Supremo Tribunal Federal e pedido para que a Procuradoria-Geral da República averigue abuso de autoridade.

Com informações do Conjur

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

6 Comentários em: STJ tranca inquérito do outdoors do pequi roído com críticas a Bolsonaro em Palmas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Marliandra disse:

    Na Europa ja morreram mais de 1 milhão de pessoas da covid. EUA caminha para 700 mil mortes. São paises onde foram milhares vacinados. India morreram quase 400 mil pessoas. No Brasil não é diferente. Tomara que vacinas sejam a solução. Deus cuide de nós

  • Carmelilton disse:

    Nos EUA já são mais de 600.000 mortos. Biden é genocida???
    Lamento que milhoes de pesdoas morreram na india, inglaterra, frança, alemanha. Milhoes de pesdoas morreram. Quem sao is genocidas???

  • Antônio Ribeiro disse:

    A ESQUERDA NÃO PRESTA, MAS TEM DINHEIRO PRA COMPRAR PERFUME…

  • Júlio Eduardo disse:

    Não sou artista, nem petista, mas o Bolsonaro é sim um genocida e a faca que ele levou não o inocenta e muito menos trás de volta às mais de 500 mil vidas que ele ajudou a ceifar.

  • Ateildo disse:

    Justiça brasileira inocentou o esfaqueador de Bolsonaro. Considerou-o uma vitima que tentou matar Bolsonaro. A justiça brasileira considerou que a tentativa de assassinato cometida por Adélio Bispo não foi crime.
    artistas petistas o chamam de genocida e assassino e são autorizados e aplaudidos pela justiça brasileira.
    STF considera Sérgio moro culpado e Lula inocente
    Aplausos a justiça. Mas que linda justiça brasileira.

    1. Júlio Eduardo disse:

      Não sou artista, nem petista, mas o Bolsonaro é sim um genocida e a faca que ele levou não o inocenta e muito menos trás de volta às mais de 500 mil vidas que ele ajudou a ceifar.