Publicado em por em Midiátic@s

Ele ganhou o título de Cidadão Santareno, concedido pela Câmara de Vereadores

Morre Gérson Gregório, o jurutiense que fez história no rádio em Santarém
Gerson Gregório, morreu na tarde desta quarta-feira em Santarém. Morre, mas deixa um legado no rádio santareno. Foto: Reprodução

Morreu no início da tarde desta quarta (27),na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) 24h de Santarém (PA),o radialista aposentado Gerson Gregório, 79 anos. Era natural de Juruti (PA).

OBITUÁRIO: Professor e parceirão, ensinou à família e amigos que na vida não cabe desistência.

Residente em Santarém há mais de 40 anos, marcou sua trajetória no rádio. Era mais conhecido como “Cumpadre Gerson”, pelo jeito simples e irreverente de cumprimentar os seus ouvintes, todas as manhãs.

O radialista pai do fotógrafo Silvagner e do professor e ator Silvert enfrentava há anos problemas de saúde por causa do diabetes, tendo, inclusive, perdido a visão direita. Nos últimos dias, teve uma queda brusca dos níveis de glicose e foi levado às pressas para a UPA 24h no domingo (24).

Hoje, no início da tarde, faleceu.

Gerson e Daleuson: juntos por 15 anos todas as manhãs na Rádio Rural. Foto: Arquivo pessoal

Por 43 anos, Gerson era presença diária nas manhã de milhares de ouvintes no rádio. Primeiro, trabalhou na Rádio Clube de Santarém e depois na Rádio Rural, onde passou a maior parte de sua vida profissional apresentando o programa “Alvorada Rural”, que ia ao ar das 4 às 6 da manhã, de segunda a sábado.

Era natural de Juruti, mas o trabalho no rádio como comunicador e formador de opinião renderam a ele o título de Cidadão Santareno, concedido pela Câmara de Vereadores.

O Sinjor-PA (Sindicato dos Jornalistas do Pará),Diretoria Regional do Tapajós, publicou nota de pesar sobre a morte do radialista. Leia no final da matéria.

Histórias

“Ainda criança, por causa da minha bisavó, ouvinte assídua dele, eu acordava com aquele galinho cantando e a vinheta “Cumpadre, Gerson!”. E na despedida eu sempre repetia com ele: ‘Bença, minha mãe, bença, meu pai. Aos amigos que perguntarem por mim, digam que estou bem. Aos inimigos que perguntarem por mim, digam que estou muito melhor'”, relembra a advogada e servidora pública Ana Charlene Negreiros Ninos.

“Trabalhei com o Cumpade Gerson uns 15 anos”, relembra o radialista Francisco Daleuson Carvalho Menezes, da Rádio Rural AM. “Era um homem simples, responsável e grande amigo. Passávamos o horário todo do programa rindo”.

“Uma vez quando a rádio passou a operar com computador, coloquei a hora errada no ar. Em vez de 5 horas da manhã, 5 horas da tarde, e ele, como sempre, não perdeu tempo para fazer graça. Pediu o som e disse: ‘Tu é doido, doido. Nem tomei café ainda’. O céu está mais alegre agora”.

Com informações do Blog do Carpê e da redação do BJ


Publicado por:

2 Comentários em Morre Gérson Gregório, o jurutiense que fez história no rádio em Santarém

  • Quantas lembranças dos tempos em que eu morava no sítio e quase sempre acordava com aquela vinheta: “Cumprade Gerson”. Tínhamos um rádio a pilha que só sintonizava a Rural e que era ligado todos os dias, religiosamente no horário em que começava o Alvorada Rural, apresentado pelo inesquecível Gerson Gregório. Eu, ainda criança, gostava das músicas (quase todas alegres) e da linguagem que o apresentador usava. Foi ouvindo o Alvorada Rural que conheci as músicas de Luiz Gonzaga, Teixeira de Manaus, Pinduca, da Guitarrada e tantos outros cantores. De segunda a sexta eu sabia que meu amanher seria alegre. A única vez que vi tristeza na voz de Gerson Gregório foi quando um acidente de carro ceifou a vida de um de seus filhos. Se não estou enganado, Sílvio Calmon Gregório. Hoje pai e filho sorriem felizes junto ao Criador. Enquanto isso, nós driblamos a saudade com as lembranças das manhãs algres do Alvorada Rural.
    Obrigado Cumpadre Gerson. Vá em paz…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *