Para leitor, criação do Tapajós está
Senador Siqueira Campos, do DEM de Tocantins

Contraponto do leitor Paulo Cidmil a propósito da matéria brasilia-diz-que-novo-projeto-que-cria-o-tapajos-nao-deve-prosperar.html">Ativista da divisão do PA em Brasília diz que novo projeto que cria o Tapajós “não deve prosperar”:

Agora que a região oeste é um território estratégico para a expansão e apropriação de terras pelo agronegócio, seguimento econômico que na região atua politicamente em parceria com o setor madeireiro e garimpeiro, avalio que essa iniciativa do senador [Siqueira Campos, do DEM], apesar do erro apontado pelo jornalista, não é um tiro isolado em busca de votos.

Desde 2006 o agronegócio muda sua postura no campo visando se desvencilhar dos massacres e mortes de lideranças que se tornaram escândalos internacionais e prejudicavam os negócios.

 

Então, passaram a trabalhar para ampliar a sua bancada no Congresso visando mudar a legislação ambiental para que atendam aos seus interesses.

Atuam em bloco. Nesse sentido, tem forte aliança com a bancada da bala e da bíblia. Essa atuação do setor agroexportador no Congresso é analisada por estudiosos como agroestratégias.

Hoje o Estado do Tapajós está na alça de mira de desejos do agronegócio. Já possuem os estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Tocantins, Goias, Oeste da Bahia e o Sul do Maranhão e Piauí. Agora esta em curso a tomada de posse do Tapajós.

A criação do estado pode ser o caminho mais curto. Para isso, possuem fortes alianças e votos suficientes na Câmara e no Senado.

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

6 Comentários em: Para leitor, criação do Tapajós está “na alça de mira dos desejos” do agronegócio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Breno disse:

    Ivaldo Serrão? Na região de Santarém não tem o poder público? Não tem órgãos públicos do estado? Não tem escolas públicas do estado, SEDUC, SESPA, Bombeiros, Polícia Civil, Polícia Militar, Susipe, Centro de perícias etc?! Abram os olhos, essa divisão só iria beneficiar os chefões do agronegócio e os políticos.

  • Ivaldo Serrao disse:

    E só o poder público olhar mais para as outras regiões e não só para a capital e região metropolitana … que as coisas mudam..

  • preseiro disse:

    Seria o agronegócio algum mal tão grande?
    Aviso aos apreciadores de uma gelada, um tira gosto de barata frita, um churrasco e até um chocolate, o agronegócio de comodities está em todas estas gostosuras.
    No chocolate!? Quem duvida procure a palavra mágica lecitina de soja,.
    Mas os veganos, naturebas e sua proteína vegetal texturizada e bifes de glúten também dependem do agrobusines, claro epadu e canabis, que alguns tanto apreciam, vem de outros agricultores.
    Mas qual o grande mal de conseguirmos o Tapajós com a turma do agrobusines? É muito pior estarmos a mercê dos barbalhos, maias e outros parasitas que não nos deixam desenvolver.

    1. Paulo Cidmil disse:

      O preseiro anda assistindo muito comercial da globo dizendo que o agro é pop. Só não sabe o que esta por tras dessa campanha do agronegocio

      1. Breno disse:

        Ivaldo Serrão? Na região de Santarém não tem o poder público? Não tem órgãos públicos do estado? Não tem escolas públicas do estado, SEDUC, SESPA, Bombeiros, Polícia Civil, Polícia Militar, Susipe, Centro de perícias etc?! Abram os olhos, essa divisão só iria beneficiar os chefões do agronegócio e os políticos.

  • Raimunda Monteiro disse:

    Muito apropriada e oportuna a análise do Paulo Cidmil. Estava desconfiada desse interesse, mas não tinha informações sobre as autorias. Não vi na comissão as lideranças da região. Seria a utilização de um desejo histórico da região como parte de um projeto endógeno. Mais um.