Conselho de Odontologia do Pará sofre intervenção federal após reunião em Brasília
Carla Hermes, interventora do CRO no Pará

O CRO (Conselho Regional de Odontologia) do Pará está sob intervenção. A decisão foi tomada na segunda-feira (15) em reunião extraordinária, através de videoconferência, do Conselho Federal de Odontologia (CFO), em Brasília (DF).

12 dos 13 presentes na reunião votaram favoráveis à medida, adotada diante da “situação de instabilidade institucional [do CRO Pará] comprovadas pelas graves denúncias e documentos” de “ordem administrativa, financeira e trabalhista”.

 

Toda a diretoria atual, formada por 8 integrantes, foi destituída e designados os nomes do comando provisório do CRO, encabeçado pela dentista Carla Maria Hermes. E que tem ainda os dentistas Carlos Marcelo Folha (secretário) e Sônia Mendonça (tesoureira).

Eles terão 180 dias para, segundo o CFO, para “sanar as irregularidades encontradas”. Presidente do CRO destituído do cargo, Sandro Ferreira foi quem fez as denúncias contra 3 conselheiros estaduais: Ednayra Carvalho, Rebeca Siqueira e Jonilson Pantoja.

“As irregularidades vão desde usurpação de poder, prevaricação até tentativa de golpe”, disse Ferreira ao Blog do Jeso nesta manhã se sábado.

Contraponto

“Uma das denúncias foi o não pagamento de funcionários pela tesoureira Rebeca, que queria, inclusive, que fosse incluído o advogado particular dela na folha de pagamento do CRO”.

O blog não conseguiu localizar os 3 acusados. O espaço para o contraponto deles está aberto a qualquer tempo.

A previsão é de nova eleição para o CRO deve ocorrer no prazo máximo de 6 meses.

Leia o documento que nomeia a nova diretória provisória do CRO/PA

LEIA também: Conselho de Odontologia do Pará planeja abrir delegacia regional em Santarém

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *