De Rafael Nascimento de Macedo Brito, trombonista da Filarmônica Municipal Professor José Agostinho:

É com profundo PESAR que comunicamos a notícia do falecimento do Professor e Maestro Wilde Dias da Fonseca, o nosso querido tio Dó.

Assim como a familia Fonseca está de luto, nós, músicos da Filarmônica Municipal Professor José Agostinho nos sentimos extremamente enlutados pela perda do nosso querido maestro Wilde Fonseca, verdadeiro exemplo de humildade e dedicação, que dedicou grande parte de sua vida à música santarena e à sua amada Filarmônica.

Que descanse em paz nosso querido maestro Wilde!

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

15 Comentários em: Morre o maestro Wilde Fonseca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Sandra Lúcia Macedo disse:

    Eu, me sinto muito triste por essa perda… Seu Dororó e seus filhos juntamente com Dna.Madalena foram os incentivadores para que meu filho Rafael fosse o músico que é, e pra mim é como se tivesse perdendo alguém da família, mais DEUS deve ter planos melhores para êle lá em cima… conforto e muita serenidade para toda familia de DORORÓ, VÁ COM DEUS!

  • Fabrício disse:

    Um homem que merece honras por tudo que fez em prol do município de Santarém. Que Deus console a todos nós que perdemos uma figura muito ilustre.

  • JOÃO PORTELA disse:

    quando cheguei em Santarém (de Itaituba), por volta de 1989, o historiador Wilde Fonseca apresentava um programa na Televisão Tapajós que valorizava as nossas coisas, a nossa gente e a nossa história. esta foi uma das formas que encontrou para demosntrar o imenso amor que sentia por Santarém. Como aprendi sobre Santarém, aprendi principalmente a amar esta cidade.
    meus pêsames à familia.

  • DINDÃO disse:

    À DORORÓ, DEDICO:

    MINHA PRECE – A MÚSICA.

    A DOR FAZ PARTE DA VIDA…

    SANTARÉM EM DOR, ADORA ESSE MESTRE : ” O TIO DÓ ” ENTRE MUITOS FÁ’s, SOL’s,

    LÁ’s..)

    Meus sentimentos à família…

  • Jarson Joel disse:

    Com muito pesar recebo esta triste notícia. Fui aluno do Prof. Dororó a quem sempre admirei. Que Deus conforte o coração da Família. Força, Tia Madalena, Wilde, João Paulo e Benedito.

  • Alma Cabocla disse:

    Eu me minha familia, (ALIEL, LUCAS E FRANCIELI), nos solidarizamos a dor dos muitos familiares, dos inumeros amigos, e dos mocorongos, tanto amados, pelo “TIO DÓ” SANTAREM ESTA MAIS POBRE. Mas, fica o legado do grande homem, do legitmo Santareno, de um mocorongo, que sempre primou em honrar sua terra e seu povo, e seus custumes. “OBRIGADO SENHOR PELA LONGEVIDADE QUE ME DESTE, PELOS FRUTOS QUE PODUZI, E POR FAZERES NASCER E VIVER NESSE PARAISO QUE É SANTAREM DO MEU CORAÇÃO” – WILDE DIAS DA FONSECA.
    …………..!

  • André Cavalcante disse:

    Jeso

    Gostaria de manifestar meu pesar pelo falecimento do Maestro Wilde Fonseca. Que Deus em sua imensa sabedoria possa confortar e orientar seus familiares neste momento.
    Santarém e o Pará perdem um grande apaixonado pela música. Fica o legado.

  • Roberto Vinholte disse:

    Vida DORORÓ,
    Vida pela arte musical,
    Vida por nossa terra…
    Exemplar,
    Eterno…

    Com Deus sempre!

  • Ednaldo Rodrigues disse:

    Em meu nome, em nome de minha família (Lucilene e Ândrea Laís) e na condição de Secretário Geral da Academia de Letras a Artes de Santarém (ALAS) lemento com profundo pesar a morte do maestro, historiador, professor e titular da Cadeira Nº 22, Wilde Fonseca.
    Um cidadão com todos os predicativos positivos, algo difaícil de manter por tanto tempo com dignidade, honra e personalidade. Wilde Fonseca é dono de um patromônio moral e ético inabalável e que engrandecia o nome de nossa cidade e de nosso estado.
    Santarém, o Pará e Brasil perde, portanto, um de seus mais ilustres filhos e nós que tivemos a felicidade de desfrutar de sua amizade, mais uma vez lamentamos a morte dele com profundo pesar.

    Ednaldo Rodrigues e femília.

  • Cláudia Godinho disse:

    Fui aluna do Tio Dó no Colégio Dom Amando, e como muitos aprendi gostar de música com ele. Sem dúvida é uma grande perda para nossa cidade. Um grande homen, que soube fazer de sua vida uma história de Santarém. Que sua família tenha o conforto de Deus neste momento de luto.

  • Macélio Petrônio disse:

    Forasteiro que sou, há quatro anos quando cheguei aqui teve a primeira feira do livro. Como se tivesse um estoque velho de um órgão público pra desovar comprei o livrinho de capa vermelha sobre os cabanos, aquele sobre os logradouros e o do Fonseca: Momentos Históricos.
    Verdadeira obra-prima literária do Brasil, nada deve aos do Laurentino Gomes de agora, e é uma obra sem tempo, serve até hoje como a maior referência histórica daqui. Não raro convidados meus passam horas em Alter do Chão a ler esta obra.

  • Elis Lucien disse:

    Jeso, me ainda criança, quando meu pai José Luiz Barbosa (palhaço Pimentinha), levava eu e minha irmã pra ouvir os ensaios da Banda Municipal Profª José Agostinho naquela época, nas depêndencias do correto na praça da Matriz, ouvindo as marchas pelos poucos instrumentos musicais. E ficamos até o final, quando a banda guardava todos os instrumentos logo abaixo do correto, que lembrança boa…
    Meus pêsames à família.

    Elis Lucien Rodrigues Barbosa

  • junior disse:

    wilde fonseca era uma lenda viva na cultura do nosso tapajos

  • Anônimo disse:

    Jeso, estou em Belém e fiquei profundamente consternado em ler esta notícia logo cedo de manhã. Meus pêsames a famíla. Com certeza uma grande perda para a cultura e história de nosso município. Mas também é importante registrarmos os frutos do trabalho do grande maestro que está enraizado no coração do povo santareno
    Luís Alípio Gomes

  • Alma Cabocla disse:

    SANTAREM, ficou mais pobre…!