Apenas 4 deputados do Pará votaram contra o fundão de R$ 5,7 bi; Ferrari entre eles
Júnior Ferrari (PSD): voto contrário ao aumento do fundo eleitoral para R$ 5,7 bilhões. Foto: Reprodução/PSD

A maior novidade da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), aprovada nesta quinta (15) pelo Congresso Nacional para o próximo ano, é aumento de R$ 2 bilhões para R$ 5,7 bilhões no repasse de recursos ao fundo eleitoral. O texto, também aprovado nesta quinta, vai a sanção presidencial.

Da bancada de 17 deputados federais do Pará, apenas 4 votaram contra o “fundão”, entre os quais Júnior Ferrari (PSD), para quem o aumento não se justifica pelo momento de grave crise econômica e de pandemia que o país atravessa.

 

“Inadmissível, absurdo e inoportuno esse aumento do fundão por conta do cenário econômico que o Brasil atravessa, de taxas de desemprego elevadas, de empresas fechando e economia em ponto morto em decorrência da pandemia que abateu o país violentamente”, justificou o parlamentar paraense, muito embora defenda o financiamento público de campanha.

“Por isso, meu voto contrário. Não existe clima econômico, social e político que justifique esse aumento”.

O texto foi relatado pelo deputado Juscelino Filho (DEM-BA), que incluiu a mudança nas regras que determinam o financiamento público de campanhas eleitorais.

Segundo o democrata, o piso para o fundo será de 25% dos recursos destinados à Justiça Eleitoral em 2021 e 2022 acrescido de emendas de bancadas estaduais. Técnicos da Câmara e parlamentares apontam que essa mudança foi que permitiu o aumento de quase o triplo do registrado em 2018 e 2020.

— LEIA também: Candidatura ao Senado de empresário de Santarém começa a ser articulada.

Os partidos têm, atualmente, duas fontes de recursos públicos para financiar as campanhas e as atividades cotidianas: o fundo eleitoral e o fundo partidário. O primeiro é uma criação das Leis 13.487 e 13.488, de 2017, e é a principal fonte para a realização das campanhas eleitorais; o segundo, distribuído anualmente, foi instituído em 1995 pela Lei 9.096 e visa cobrir as atividades frequentes das legendas.

Os 4 parlamentares da Câmara dos Deputados que votaram contra foram: Júnior Ferrari (PSD), Airton Faleiro (PT), Cássio Andrade (PSB) e Vivi Reis (PSOL).

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

5 Comentários em: Apenas 4 deputados do Pará votaram contra o fundão de R$ 5,7 bi; Ferrari entre eles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Tapajônica disse:

    Esse dep. fed. , Ferrari, é nota 1000 ! Por isso que o Hélder está de olho nele pra ser vice governador . Cara é honesto e atuante ! Tem voto e muito ! Estou com a forte sensação de meu grupo conseguirá NO MÍNIMO de 4 a 5 mil votos para ele no próximo pleito que ele participar . Por que estou com ele? Porque político como ele, que é honesto, atuante e que trabalha por Santarém e oeste paraense temos que ter . Ele é um . Falta outros , do mesmo naipe para Brasília e para a Alepa . Quem vive aqui ou tem negócios nesta região se votar em político pilantra ou é membro da organização criminosa ou é muito mas muito retardado . Como que Santarém e Baixo Amazonas vai crescer e desenvolver estupidamente se eleger gatuno ?! #FerrariemBrasíliacomodeputadoousenador #Bolsonaro2022

  • edson naiff disse:

    Parabéns deputado! representa com respeito e dignidade o povo que lhe elegeu! vc é meu representante!

  • Adriano disse:

    Jeso, Como está na matéria, porque a ênfase apenas no Ferrari?

  • Bíblia do Bolsonarismo disse:

    Ainda é pouco. Para evitar corrupção teria que ser 1000 vezes isso

  • Alvaro Gurgges disse:

    Cadê a lista?