CPI da Covid: senador do AM descarta negociata para aliviar barra do governo
Omar Aziz, senador do Amazonas: não tem como fazer negociata. Foto: Agência Senado

Em entrevista à Globo News neste domingo (18), o senador Omar Aziz (PSD-AM) avisou que não está disposto a fazer qualquer tipo de “negociata” com o governo Bolsonaro para mudar o escopo da investigação. Aziz tem a preferência do Palácio do Planalto para comandar a CPI da Covid no Senado.

“A CPI vai ter início, meio e fim. Não dá para uma pessoa como eu, do estado do Amazonas, que foi um dos estados que mais sofreram com a pandemia, fazer de conta que não aconteceu nada. O Brasil tem em torno de 2,5% da população mundial, e nós representamos 26% de óbitos”, declarou, segundo matéria publicada hoje (19) em O Globo.

 

“Vamos chegar em uma semana a mais de 400 mil óbitos. Em outubro de 2019, todos os cientistas, as pessoas que trabalhavam no Ministério da Saúde já sabiam que a pandemia ia chegar no Brasil O Brasil não fez absolutamente nada para impedir a entrada do vírus no início. E eu vou ficar pensando em negociata com o governo? Com pessoas morrendo de oxigênio no meu estado? Não tem como. Não tem a menor possibilidade disso”.

O senador amazonense disse que tem postura independente e que suas ações mostrarão isso na condução dos trabalhos da CPI. Também afirmou que tem interesse de ouvir explicações do ex-chanceler Ernesto Araújo sobre as tratativas internacionais e integrantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre a demora para atestar a segurança da vacina Sputnik.

— LEIA também: Pressão do “tratamento precoce”: médico denuncia distribuição de kit covid em Santarém

“Não queremos crucificar ninguém antecipadamente, e sim investigar os fatos. Por que não teve oxigênio pro povo do Amazonas? Por que não fizemos acordo para comprar vacina? Nós temos relações comerciais com o mundo todo, o Brasil não tem inimigos, e nós temos dificuldade de trazer insumos para produzir vacinas”, questionou.

“Eu sei, eu perdi um irmão, há 40 dias atrás, mas eu não culpo ninguém, porque essa doença é fatal para qualquer pessoa. Eu não posso dizer que o presidente foi responsável pela morte do meu irmão, que o governador fez isso, eu quero é que mais vidas sejam salvas. E aí, não tem cargo no governo, não tem recurso para o estado que faça eu mudar um centímetro dessa nossa linha de investigação”.


📹 Assine o canal do Blog do Jeso no Youtube, e assista a dezenas e dezenas de vídeos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *