Por contas reprovadas no TCM, Podemos pode ter nome a prefeito impugnado em Curuá
Prédio do TCM em Belém: contas reprovadas de Gica. Foto: Divulgação/TCM

A candidatura a prefeito de Curuá (PA) de Givanildo Marinho, o Gica (Podemos), pode ser impugnada por contas reprovadas pelo TCM (Tribunal de Contas dos Municípios).

Uma ação de impugnação foi protocolada na segunda-feira (21). A Justiça Eleitoral ainda não se manifestou sobre o pedido, feito pela coligação Renova Curuá (PL e Republicanos).

 

Ex-presidente da Câmara, Gica é novamente candidato a prefeito depois de disputar o cargo em 2016 pelo então PTN. Ficou em 2º lugar, com 30,11% dos votos válidos, contra 46,3% de Zé da Marta (MDB), atual prefeito.

O ex-vereador neste ano, além do Podemos, costurou apoio do PSDB, PTB e PSD à sua candidatura.

De acordo com a Renova Curuá, o TCM reprovou as contas de 2011 de Gica quando ele esteve à frente da Câmara de Vereadores. Dentre as irregularidades detectadas pelo tribunal constam “a realização de despesas sem procedimento licitatório” e “infração às normas de licitação”.

 

As duas ilegalidades, segundo o advogado da coligação PL-Republicanos, Celso Furtado, são insanáveis e configuram “atos dolosos de improbidade administrativa”.

Curuá tem, conforme a Justiça Eleitoral, 9.391 eleitores. Há 5 postulantes ao cargo de prefeito nesta eleição. Eis:

① Zé da Marta, atual prefeito e candidato à reeleição. Vice: Ricardo (MDB);

② Xuxa (PT), atual vice-prefeito. Vice: Nicolau Cioff (PSC);

③ Gica (Podemos). Vice: Nelinho (PSDB).

④ Jair (PL). Vice: Lauro (Republicanos).

⑤ Áurea Nina (PCdoB). Vice: Zenilson (PCdoB).

LEIA também: PL processa prefeito por propaganda eleitoral criminosa no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *