Supremo abre inquérito para apurar acusações de Sérgio Moro a Bolsonaro

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), acolheu, na noite desta segunda-feira (27/04), o pedido da Procuradoria-geral da República (PGR), para abrir investigações sobre as acusações feitas pelo ex-ministro da Justiça Sergio Moro ao presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido).

Celso de Mello deu 60 dias para a PF ouvir o depoimento de Moro.

 

O objetivo do inquérito aberto pelo Supremo é apurar se foram cometidos os crimes de falsidade ideológica, coação no curso do processo, advocacia administrativa, prevaricação, obstrução de Justiça, corrupção passiva privilegiada, denunciação caluniosa e crime contra a honra.

Como Celso de Mello aceitou a investigação também sobre possíveis denunciação caluniosa e crime contra a honra, a investigação também abrange o próprio Moro. Caso ele não consiga provar as acusações, poderá ver as denúncias voltarem-se contra ele.

Ao pedir demissão do cargo, Moro revelou uma série de atos ilícitos que teriam sido cometidos por Bolsonaro. Segundo o ex-juiz da Lava Jato, o chefe do Executivo insistiu na troca do comando da Polícia Federal para fazer uma “interferência política”.

Leia a integra da decisão de Celso de Mello.

LEIA também: TRF1 convoca relatora com nome Maria do Carmo para processo de Lira Maia

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

6 Comentários em: Supremo abre inquérito para apurar acusações de Sérgio Moro a Bolsonaro

  • Muita decepção esse Moro, ele não teve competência para mostrar quem está por detrás da tentativa de assassinato do chefe do executivo, agora fica aí inventando histórias.

  • Quando o então juiz Moro vazou para a imprensa, as conversas da ex. Pres. Dilma com o ex. Pres. Lula, ele foi “aclamado” pelos Bovinos como “herói nacional”, agora que ele revelou uma parte do lado podre da famiglia de milicianos, aí ele é taxado de traidor, ou seja, tratamento distinto para crimes idênticos.

    • Caro Manuel, vice falou crimes idênticos. Pergunta: Qual foi o crime do Bolsonaro. Qual foi o crime do Lula? O Moro foi sim covarde, o passado não justifica o presente, são momentos diferentes da história. O Lula recebeu o devido processo legal, é um condenado de segunda instância.

  • Sérgio Moro, de herói a covarde nacional. Fim trágico.

  • Muito justa a abertura do processo pelo STF. Mostra que nossas instituições devem estar acima de qualquer interesse que não seja republicano.
    Teremos a oportunidade de esclarecer quem esta mentindo. Qual biografia prevalecerá?
    Uma coisa parece certa.
    Bolsonaro quer usar as prerrogativas do cargo de presidente para blindar seus filhos.
    Enquanto Moro declinou do cargo de ministro por não compactuar com isso. Não passou a mão na cabeça nem de sua afilhada.
    Quem mente?
    O político ou o técnico?

  • Será que o bicho vai mesmo pegar para o lado do BolsoNero? Para que toda essa briga de “comadres” seja esclarecida e colocada em pratos limpos, basta o STF pedir a quebra do sigilo telefônico do ex-ministro e do ex-presidente em exercício, e saberá quem é quem nessa pocilga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *