A vacina contra a gripe suína (H1N1), que teve campanha iniciada ontem, 8, (fase para trabalhadores de saúde e população indígena), impede a doação de sangue por 48 horas.

É o que revela a nota técnica 006/2009 e orientações prestadas pela Secretaria de Vigilância em Saúde/Programa Nacional de Imunização e Coordenação Geral de Sangue e Hemoderivados.

A nota técnica e a orientação estão sendo divulgadas por que parte da população alvo a ser vacinada no país durante a campanha, que se estenderá até o dia 21 de maio, se concentra no grupo de grande importância entre os doadores de sangue no Brasil, ou seja, de idade entre 20 a 39 anos (população adulta jovem).

A recomendação do período de inaptidão para doadores de sangue por no mínimo 48 horas é por existir, nesse intervalo, grande possibilidade de exames falsos positivos para HIV, hepatite C e HTLV, induzidos pela vacina para H1N1.

Fonte: Hemoam

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

5 Comentários em: H1N1: vacina impede doação de sangue

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Ministério da Saúde disse:

    Elenita Rodrigues,

    Eslaceremos que a vacina não atrapalha a doação de sangue, As pessoas que atendam aos requisitos podem doar sangue apenas depois de 48 horas contadas a partir do dia da vacinação.

    Mais informações:
    comunicacao@saude.gov.br

    Atenciosamente,
    Ministério da Saúde

  • Ministério da Saúde disse:

    Emerson Cardoso,

    Foram mais de 300 milhões de pessoas vacinadas nos países do Hemisfério Norte, e 81 milhões de pessoas no Brasil, não podemos de maneira alguma ir contra esses dados. A vacina é segura e tem se confirmado isso de maneira continua e permanente. Não temos no Brasil nenhum caso de complica grave ou morte provocada pela vacina. O que existe são teorias e boatos irresponsáveis que estão colocando a vida das pessoas que acreditam nessas especulações em risco. Já tivemos casos de pessoas que estavam no grupo de risco, ou seja, que deveriam ser vacinas e não foram, infelizmente essas pessoas que deveriam estar imunizadas não estava e foram atacadas pelo vírus, e o resultado foi lamentável, essas pessoas morreram. O Ministério da Saúde tem feito um trabalho sério e dedicado aajudar as pessoas a se protegerem do vírus que já matou milhares de pessoas no mundo, não iríamos de maneira alguma, colocar em risco a saúde do brasileiro com um vacina que não oferecesse a devida segurança. A vacina é SEGURA, o que existe na internet são especulações que não são verdadeiras.

    A campanha de vacinação comprova a eficiência e segura da vacina.

    Mais informações:
    comunicacao@saude.gov.br

    Atenciosamente,
    Ministério da Saúde

  • Olá, me permita compartilhar estas informacoes, que sao veementemente ignoradas pela mídia.
    Segundo, vários especialistas no assunto, epidemiologistas com PhD, médicos experientes e experts em vírus dizem que a vacina não foi testada o suficientemente para fazer uma vacinação em massa deste tipo, e que esse pânico todo não é justificado.

    Veja o que alguns especialistas disseram (por favor verifique as fontes originais):

    ————————————–…

    Philip Alcabes, PhD

    Qualificações: PhD em epidemiologia de doenças infecciosas pela Universidade Johns Hopkins Mestrados em bioquímica e saúde pública. Professor na Universidade de Yale e na Universidade da Cidade de Nova York.

    “Houve um tremendo exagero com a ameaça representada pelo vírus H1N1 que acabou como uma espécie de galinha dos ovos de ouro para os fabricantes de vacinas e as empresas farmacêuticas”.
    ————————————–…
    Tom Jefferson, médico e epidemiologista

    Qualificações: Formado pela Universidade de Pisa na Itália. Professor de Medicina Preventiva no Royal Defence Medical College em Gosport, Inglaterra. Foi diretor da Unidade de Saúde do Exército em Aldershot, Inglaterra. É atualmente coordenador do instituto Cochrane Vaccines Field. É também mestre em Saúde Pública.

    “Há toda uma indústria esperando por uma pandemia ocorrer. Desta indústria fazem parte a OMS, os oficiais de saúde pública, virologistas e as companhias farmacêuticas. Eles contruiram esta máquina ao redor das pandemias iminentes. E há muito dinheiro envolvido, e influência, e carreiras, e instituições inteiras. E bastou apenas um destes vírus de gripe sofrer mutação para este maquinário todo começar a funcionar.”

    “A definição de pandemia foi alterada em Maio de 2009, retirando a parte que se referia a alta mobilidade, grande número de casos graves e mortalidade, de forma que esta nova definição poderia muito bem se encaixar com a gripe sazonal”

    ————————————–…

    Wolfgang Wodarg, chefe de saúde do Conselho da Europa

    Qualificações: Chefe de saúde do Conselho da Europa. Médico formado pela Universidade de Hamburgo. Pós-graduado em medicina interna e pneumologia, em saúde pública, medicina social, medicina de higiene e ambiental na Alemanha. Formado em epidemiologia pela Universidade Johns Hopkins University em Baltimore, EUA. Professor na Universidade de Flensburg . Presidente do Rheuma-Liga de Schleswig-Holstein.

    “O que tivemos foi uma gripe leve – e uma falsa pandemia.”

    “Para continuar a avançar os seus interesses, as principais fabricantes de medicamentos colocaram ‘seu pessoal’ nas “engrenagens” da OMS e outras organizações influentes. Essa influência poderia ter conduzido a OMS a suavizar a sua definição de pandemia – levando à declaração de um surto mundial em junho passado.”

    “A fim de promover os seus medicamentos patenteados e de vacinas contra a gripe, as empresas farmacêuticas influenciaram os cientistas e os órgãos oficiais, responsáveis pelas normas de saúde pública, para alardear os governos pelo mundo inteiro.”

    ————————————–…

    Verifique a fontes de todas estas declaracoes aqui:
    https://www.anovaordemmundial.com/2010/03/opiniao-de-profissionais-altamente.html
    Fonte(s):
    CBC Canada: https://www.cbc.ca/health/story/2010/03/19/h1n1-fear.html
    Spiegel Alemanha: https://www.spiegel.de/international/world/0,1518,637119,00.html
    Daily Mail Inglaterra: https://www.dailymail.co.uk/news/article-1242147/The-false-pandemic-Drug-firms-cashed-scare-swine-flu-claims-Euro-health-chief.html

    Entre outras…

  • Elenita Rodrigues disse:

    A vacina contra gripe comum (Influenza) tem exclusão de 30 dias (4 semanas) para doação de sangue. Por que a vacina contra H1N1 voces falam que a exclusão é de 48 h sendo que o site da prefeitura de SP diz que é de 45 dias?

    1. Jeso Carneiro disse:

      Cara Elenita, o post é linkado do Hemocentro do Amazonas.