-1
IPG não paga insalubridade a enfermeiros da linha de frente contra covid-19 na UPA

Enfermeiros que estão na linha de frente contra a covid-19 na UPA 24h, em Santarém (PA), ainda não receberam, desde o início da pandemia, o adicional de insalubridade a que têm direito da OS (Organização Social) responsável pela gestão da unidade de saúde.

A denúncia foi feita ao Blog do Jeso por integrantes da categoria nesta quinta-feira (28), à noite. Pediram sigilo temendo represálias do IPG (Instituto Panamericano de Gestão).

O adicional de insalubridade, no valor de 40% sobre o salário, também é devido aos técnicos de enfermagem.

 

A situação na UPA é bem diferente, por exemplo, dos enfermeiros e técnicos que trabalham na HRBA (Hospital Regional do Baixo Amazonas), onde o benefício vem sendo pago regularmente.

Procurada, a assessoria do IPG disse que o pagamento “já está em andamento” e que “será disponibilizado”, sem, no entanto, estipular hora, dia e mês.

“A direção [do IPG] entende que é um direito desses colaboradores e reforça que atua com recursos repassados pela prefeitura”, justificou em nota.

LEIA também: Covid-19: médico infectado é levado de Belterra para Cuiabá em UTI aérea

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

3 Comentários em: IPG não paga insalubridade a enfermeiros na luta contra covid-19 da UPA

  • Duvido que vão investigar esses desmandos. ESSE IPG foi dado prazo de 6 meses para ela se retirar da direção do HMS e UPA é o que vemos ela contratualizar com mais serviços. Até quando esses descasos continuarão. Até respiradores que não funcionam foram alocados para o HDC.

  • Independentemente da situação de pandemia ou não, o valor da insalubridade de 40% sobre o salário, tem que ser pago ao profissional de enfermagem, uma vez que estão expostos a doenças infectocontagiosas. Essa empresa precisa respeitar a classe de enfermagem que é tão massacrada nos dias de hoje, seja pelo poder publico, seja pela administração privada.

  • É muita CONFUSÃO com ESTE IPG interessante ele não deu conta do hospital MUNICÍPAL AGORA já pegou o hospital de campanha e já pegou o hospital regional de ITAITUBA como pode isso Arnaldo ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *