Pará atinge a menor taxa de ocupação de UTIs desde o pico da 2ª onda de covid-19
Novos leitos de UTI forma instalados neste ano pelo governo do Pará. Foto: Reprodução/Agência Pará

Desde o final de dezembro de 2020, quando o número de casos de covid-19 voltou a aumentar em diferentes regiões do Pará, o governo estadual vem acompanhando a evolução da pandemia e adotando medidas necessárias para garantir atendimento hospitalar à população.

O secretário estadual de Saúde Pública, Rômulo Rodovalho, afirma que equipes técnicas monitoram diariamente os 144 municípios, a fim de se saber quais regiões precisam de mais suporte.

 

“Abrimos muitos leitos por todo o Pará desde o início do ano. Foi necessário que mais hospitais se voltassem ao atendimento de casos de Covid”, destaca.

Essa prioridade ao combate à pandemia vem dando resultados. Segundo o Comitê Científico Assessor ao Enfrentamento da Pandemia da Covid-19 do Pará, o estado apresenta estabilidade nos casos da doença, e já com tendência de queda.

Neste domingo (2), o estado registrou ocupação de 76,1% dos leitos de tratamento intensivo, o menor percentual de ocupação de leitos de UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) desde 1º de março, data do pico da segunda onda da pandemia no estado.

Novos leitos no Pará

Entre as estratégias adotadas, o Governo do Pará abriu mais de 2.150 leitos, entre clínicos e de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), destinados exclusivamente ao tratamento da doença.

De acordo com o informe técnico produzido pelo Comitê Científico Assessor ao Enfrentamento da Pandemia da Covid-19 do Estado do Pará, o número de pessoas infectadas e a quantidade de óbitos pela doença estão em um patamar de estabilidade com tendência de queda.

A Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), membro do comitê, aponta que o estado atravessa a segunda onda da pandemia de forma menos agressiva que a média nacional, e também do Reino Unido e Estados Unidos.

— LEIA também: Mãe de promotor de Justiça morre por complicações da covid-19 em Santarém

Com informações da AP


Assine e participe, comente no canal do Blog do Jeso no Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *