Contraponto do leitor Nazareno Lima ao post Igrereja Católica e energia renovável, da lavra de Tiberio Alloggio:

Caro Tibério,

Sou católico e acredito fervorosamente em Deus e tenho como intermediário sua Mãe Maria. Não tenho compromisso nenhum com padres, bispos, cardeis ou diáconos, porém estou rigorosamente de acordo com o bispo Dom Esmeraldo e com quem pensa igual a ele.

Você ser ateu, não gostar da igreja católica e de seus ministros (padres, bispos etc.) é um direito e problema seu, isso porém, não lhe autoriza fazer considerações generalizadas só porque pensam e age diferente de você.

A Igreja católica em geral e a brasileira em particular produziram pessoas que diferentemente de você, que só escreve, expuseram suas vidas em prol dos injustiçados, torturados e assinados ao longo dos governos ditatoriais do Brasil e da AL e hoje continuam se arriscando em prol dos menos favorecidos.

Então, meu caro, antes de emitir suas passionais observações é bom ter o cuidado para não cair na perigosa vala da leviandade.

Com esta observação em forma de texto, não tiro um só milímetro da admiração que dispenso por sua pessoa quando aqui neste blog se coloca ao lado da verdade.

Um forte abraço.

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

6 Comentários em: O bispo está certo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Nonato Sousa disse:

    Assustadora afirmação vinda duma pessoa culta, onde hodiernamente além da obrigação moral se prega uma Moral Ecológica. Foram afrimações desta natureza que levaram a crer, na Idade Média, que negros e índios não tinham alma, e, portanto, passíveis de serem utilizados como objetos, explorados, logo, não havia obrigação moral alguma para com eles. E a Religião? Esta os batizava, aldeava, ensinava, protegia. Vamos, portanto, considerar uma parte da humanidade que ainda respeita a natureza; essa parcela da humanidade que não ameaça o ecossistema nem a vida do planeta, é religiosa. “E belo que um animal tão débil como o homem tenha se elevado ao conhecimento do senhor da natureza; mas isso não me servirá mais do que a ciência da álgebra se eu não tirar daí alguma regra para a conduta da minha vida.” (Voltaire).Quem vai ganhar e quem vai perder? Alguns apostam que a Fé perde, e outra pergunta: ganhar ou perder o quê? Essa disputa intelectual do “eu estou certo e você está errado”, há muito foi superada, não, porém para alguns conservadores fundamentalistas e ateus, que ainda devem ser “donos” da Verdade ou detentores destas. Nem a Igreja se considera mais “dona” da verdade, quando muito, porta Verdades Teológicas, Morais, não, necessariamente, verdades técnico-científicas. Hoje o mal entendido é conseqüência da intolerância, gerado pela arrogância e prepotência de homens investidos de poder e ciência. Contudo, é na área econômica que reside esta disputa, onde alguns senhores com suas produções “intelectuais” (vide Dan Brown, com seu Código da Vince e anjos e Demônios e muitos outros) vendem e enriquecem e, assim, resolvem suas dificuldades pecuniárias, no mais das vezes, criticando ferozmente a religião. Quem critica a Fé e a Religião com pertinacidade leva a melhor, ganha mais dinheiro, isto já se constitui num tipo de mercadoria valiosa para estes néscios. São jornalistas, biólogos, produtores de cinema, escritores, e de tantas outras áreas que, aparentemente, não domina o assunto. “Para melhor libertar o que é, o homem se livra cada vez mais do que parece; e o englobante de um período faz o englobado do seguinte.”(Régis Debray). É comum na mídia e na (pseudo)política de hoje dar notícias boas aos seus interesses, e atribuir aos outros as que lhes desagradam, é prática corriqueira nos escalões do poder e da mídia contemporânea. Esta última distorcendo, exagerando ou omitindo determinada notícia. Barry Glassner, articulista norte-americano diz que “Tão importante quanto o que se diz na mídia eletrônica são os silêncios, o que não se diz”.
    Nonato Sousa

  • EVERALDO PORTELA disse:

    Continuando…
    Mas também é preciso reconhecer que é muito fácil aceitar uma hidrelétrica desde que ela não inunde o nosso quintal e a nossa casa, a casa dos outros, pode até ser…
    Meus caros, a questão aí é muito séria. O que está em jogo é a vontade da sociedade capitalista envolvente contra a vontade dos verdadeiros e autênticos donos da terra, os povos indígenas do Xingu, a tribo daquela índia que encostou o terçado na cara do representante da ELETRONORTE.
    Entre estes dois interesses, fico com os direitos dos índios!
    A briga já é velha e o povo conseguiu resistir até agora! Enfrentou e venceu os interesses de todos os governos de direita e, certamente, vai conseguir atravessar a correnteza do PT.
    Considerem como se eu também estivesse de arco e flexa nas mãos impedindo as primeiras explosões!!!
    Como diz a velha música: não sou contra o progresso, mas apelo pro bom senso…
    Parabéns Dom Esmeraldo, continue lutando por aqueles que pouco podem se defender e Deus continuará derramando suas bênçãos!

  • EVERALDO PORTELA disse:

    Parabéns Dom Esmeraldo!
    Só um homem de Deus é capaz de perceber que nem o conjunto de todas as razões humanas, sobretudo o racionalismo econômico com sua lógica do desenvolvimentismo predatório, são suficientes para justificar a agressão aos direitos dos povos primitivos da Amazônia que terão suas terras inundadas, seus costumes e cultura agredidas e sua história destruída com a instalação das hidrelétricas em suas terras.
    Nossos rios são fontes de energia sem fim, nosso brisa, os ventos que sopram o dia inteiro, o sol escaldante, enfim, estamos cheio de energia renovável… Bem que o governo brasileiro poderia investir nestas alternativas energéticas, pois do jeito que estão fazendo, simplesmente estão dando razão para o que os governos militares fizeram…
    É verdade que todos queremos energia elétrica. É verdade também que e é muito mais preferível uma hidrelétrica que a energia gerada pela queima de combustível fóssil.
    Mas também é preciso reconhecer que é muito fácil aceitar uma hidrelétrica desde que ela não inunde o nosso quintal e a n

  • Tatiana disse:

    No passado a igreja católica vendia indulgência pra ir para o céu. Hoje o mercado está maior, ela tem inúmeras concorrentes. Compra quem quer!
    O fato dela não apoiar a construção da hidrelétrica não pode ser justificativa para transforma-la em “Geni” dessa história.

  • Gil Serique disse:

    Se posso: ser catolico e nao ter compromisso como clero é meio insacavel e sacavel.(nao saco e é um saco); escrever não é so escrever, tanto que houve preocupaçao em responder um outro escrito!;
    As cagadas da igreja catolica(principalmente) nao vao parar de feder tao cedo; sou tambem contra a porra da hidreletrica mas se o tiberio defende eu vou começar a pensar melhor, afinal alagar terras, ecossistemas com uma puta biodiversidade e populações indigenas e ainda produzir energia pra destruir ainda mais o meio-ambiente nao parece ser tao ruim.

  • Prof disse:

    Nazareno,

    De fato, alguns religiosos da Igreja Católica tiveram comportamento exemplar na ditadura, particularmente os dominicanos. Por outro lado, a instituição que defendes tão ferrenhamente organizou a “Marcha da Família por Deus” para derrubar o Jango, o “perigoso comunista”. E o papa João Paulo II beijou as mãos do Pinochet e excomungou o Boff nos anos 80. Este papa que aí está é um dos pivôs do escândalo do Banco Ambrosiano e pilar dos pensamentos mais retrógrados. Só para concluir, quem quiser ser católico, que o seja, mas não venha dar pitacos improcedentes em assuntos como uso da camisinha, pesquisa em células-tronco ou aborto. A sua Igreja só tem prejudicado a humanidade com posições equivocadas nestas questões.