Jornalista e servidor do Judiciário, Jota Ninos faz contraponto à nota Caça às bruxas, da lavra de Milton Peloso:

Caro Milton,

Fiquei sem entender tua indignação. Apesar de compactuar com tua posição de ser contra a “caça às bruxas” (coisa que o próprio PT sempre usou, internamente, nos tempos da Corrente), creio que o momento não é de “caças bruxas” e sim de definir quem é quem no jogo político pela criação do Tapajós, para que depois de criado o estado, os que hoje ficam com posições dúbias não venham posar de bons moços e queiram se aproveitar do butim.

Se teu recado é uma forma de diminuir a pressão sobre o deputado petista Zé Geraldo, de Altamira, acho que seja uma postura equivocada, como também parece ser equivocada, ou no mínimo oportunista, a do Zé. Respeito a história de lutas dele, mas acho que ele deveria deixar claro, afinal de contas, qual é sua real posição sobre o tema já que sua base eleitoral mais forte está nesta região. E se é contra a criação do Estado que assuma essa postura de vez e explique o porquê.

O PT sempre viveu esse dilema sobre a criação do Tapajós, coisa hoje que é vivida pelo PSOL. Os partidos de esquerda fazem sempre uma leitura obtusa desse movimento, alegando sempre que trata-se de uma “aspiração das elites” (inclusive meu partido, o PCdoB, em nível de Belém, assim se posiciona, mas a direção local já deixou claro a nossa postura). Mas essas lideranças de esquerda são incapazes de enfrentar as elites em seu campo de batalha. Preferem manter uma postura mentirosa de “pureza de propósitos”, criando ações paralelas para defender suas pautas.

O Instituto Cidadão Pró Estado do Tapajós (ICPET), assim como o antigo Comitê são espaços abertos a todos. Se por erro estratégico ou por conveniência se reuniam no auditório da Associação Comercial, não implica que não tivessem espaço para os grupos populares. Agora teremos prédio próprio e espero que todos os líderes comunitários e de todos os partidos estejam lá, participem, invadam o ICPET e façam valer sua voz. Não basta ficar de longe dizendo que “isso é coisa da elite”.

O sentimento separatista já existe há 200 anos. Por algum tempo bebeu da fonte da cabanagem, que foi muito forte por aqui, mas em sua essência sempre foi elitista. Mas não é deixando de participar do movimento que mudaremos sua rota.

Eu estou participando e tentando ajudar, defendendo minhas ideia e discutindo com argumentos, sempre que acredito que alguma ideia não coaduna com a essência do que acredito. E tenho conseguido conviver com empresários e políticos com os quais tenho sérias diferenças ideológicas, pois acredito que o momento é de união de todos em torno da mesma causa: o SIM no plebiscito. As outras questões vêm depois.

O PT pouco tem participado dos debates (ainda não te vi em nenhum a reunião). Além do Everaldo, da Odete e do Pedro Peloso, poucos petistas têm comparecido aos encontros (se estivestes em algum e não te vi, me perdoa a vista “rombuda”…rsrssr).

Não vamos “caçar bruxas’, mas precisamos caçar talentos. E expurgar, sim, aqueles que são contra. Sejam do PT ou do PQP.

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

11 Comentários em: Tapajós, esquerda e leitura obtusa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • jorge moraes disse:

    EPA!! A GALERA SEPARATISTA JÁ ESTÁ BRIGANDO PELAS TETAS DA “FUTURA ” VAQUINHA ANTES DELA NASCER ! Ô RAÇA!!!!

  • João Paulo de Sousa Pinto disse:

    Tenho acompanhado o processo de discussão e mobilização para a criação do Estado do Tapajós e concordo com esse proposito que neste momento devemos estar acima das divergencias e fincar esforço no plebiscito para o SIM. Por outro lado, essa postura do Jota Ninos de se achar a última bolacha do saco na discussão me parece um imprópria no momento e vai de encontro ao proposito de juntar esforços. O debate externo, nos blogs e outras formas de midia são importantes canais para sensibilizar a população para o voto do SIM, mas ele não serve para esse tipo de prepotencia do Jona Ninos de entrar na intimidade das pessoas e das instituições para dizer o que é certo e o que é errado, cada um deve cuidar do seu e ter a capacidade de se juntar com outros quando as bandeiras de luta estiverem para além das suas fronteiras. Esses ataques que Jota Ninos tem quotidianamente feito ao PT demonstra a sua incapacidade de lidar com as diferenças e as divergencias; precisamos ter cuidado com isso sob pena desse tipo de postura prejudicar o nosso projeto de emancipação. Desta forma, sugiro que Jota Ninos tenha mais cuidado com essas suas posturas que as vezes beira a arrogancia; se realmente o momento agora é de união em torno da bandeira do Tapajós, vamos com responsabilidade cuidar disso e deixem que os mortos enterrem o seus mortos.

    1. Jota Ninos disse:

      Concordo com vc João Paulo. Desculpe se minha sinceridade soa como arrogância. A disputa política e ideológica vai continuar, mesmo depois de criado o Estado. Eu fiz um alerta à hipocrisia de alguns que se posicionam de um jeito e de outro neste momento. Eu não tenho medo de dar a cara à tapa e dizer o que acho, mesmo que isso possa parecer destempero. Mesmo que seja pra você me chamar de arrogante. Mas vou levar em conta seu puxão de orelha. SIM, TAPAJÓS!

  • tapajônico disse:

    Então, Milton, qual a sua posição (sim ou não) ao estado do Tapajós, não se deixe levar pelo Zé, em caso de sim, peça permissão para ele participar das reuniões, fins acabar de vez com o impasse……..

    1. Milton Peloso disse:

      Se vc quer uma resposta, faça como o Jota, se exponha, assine, dê algum tipo de contribuição ao debate. Entetanto se preferir o anonimato Leia o final do texto que postei e assinei:
      ” …e viva o ESTADO DO TAPAJÓS com a mais ampla e possível participação popular!”

      MiltonPeloso

  • Padre Sidney Canto disse:

    Jota,
    Gostei de sua posição e acho que é por esse caminho que devemos ir…

  • Nelson Vinencci disse:

    É o seguinte, os que são a favor devemos dar toda a atenção e tratar com carinho e respeito, agora os que forem contra, mas que se por um acaso este estado vir a ser realidade vão estar aqui gozando, talvez até mais dos que batalharam pelo acontecido, devemos desprezá-los, não dar importância, se quiser vir conosco, segure na nossa mão, se não permaneça onde está, com quem está, vejo assim. Não percam tempo, não são poucos os contrários e vamos ter que conviver com todos, é assim a democracia, é o único sistema que temos, pois não é o melhor, pois o sistema indígeno é mais evoluído, na humanidade e na fraternidade, mas também tem defeitos horríveis.
    Nelson Vinencci

    1. Nelson Vinencci disse:

      INDÍGENA

  • Santarena disse:

    Jota, gostei da sua posição. E agradeço ao Jeso por publicitar esta questão dos políticos que por algum motivo ficam em Cima do Muro ou são Traidores do Povo. Essa figurar não podem achar que o povo vai continuar sempre sem voz.
    No mínimo já que o povo do oeste do Pará votou nesses homens e mulheres candidatos que se propuseram a trabalhar pelo povo, deveriam no mínimo ter consultados esse povo que luta dia-a-dia com muita dignidade para manter sua sobrevivência e construir, desenvolver nossa região com muito trabalho para depois sim se pronunciar diante da decisão do povo que lhes elegeu.

  • Tiberio Alloggio disse:

    Jota,

    Em todo que é canto estão aparecendo nos meios de comunicação essas listas de políticos supostamente em cima do muro, a favor e/ou contra a re-divisão do Pará.
    Na maioria das vezes são listas compiladas de forma subjetivas e quase sempre contendo informações atrasadas e/ou erradas.

    O mundo gira, as conjunturas também., e os Políticos sabem como se adequar a elas.

    Eu estou achando no mínimo “pitoresco” entrar nesse tipo de polemicas promovidas pela mídia. E infelizmente são os “esquerdistas” que caem na armadilha desse tipo de “colunismo’, que além de “diminuir” o debate sobre a criação de novos estados, não acrescentam nada ao conjunto que luta para o Estado do Tapajós.

    Gente, vamos ao que interessa. SIM ao Estado do Tapajós

    Tiberio Alloggio

  • Torcedor Alvinegro ! disse:

    Boa Jota Ninos…é isso aí !