Macron, da França: Espero que os brasileiros tenham logo um presidente à altura do cargo
Emannuel Macron, presidente da França: críticas a Bolsonaro

O presidente francês, Emmanuel Macron, voltou a subir o tom contra Jair Bolsonaro nesta segunda-feira (26), dizendo esperar que “os brasileiros tenham logo um presidente que se comporte à altura” do cargo.

Em entrevista ao lado do presidente chileno Sebastián Piñera, no âmbito da cúpula do G7 (clube dos países ricos), o chefe de Estado francês afirmou que “é triste” ver ministros brasileiros insultarem líderes estrangeiros, segundo noticiou brasileiros-tenham-logo-um-presidente-a-altura-do-cargo-diz-macron.shtml" target="_blank" rel="noreferrer noopener" aria-label="a Folha de S. Paulo (abre numa nova aba)">a Folha de S. Paulo.

No último fim de semana, o titular da Educação, Abraham Weintraub, disse que Macron “é apenas um calhorda oportunista buscando apoio do lobby agrícola francês”.

 

“Os franceses elegeram esse Macron, porém, nós já elegemos Le Ladrón, que hoje está enjauladón…Ferro no cretino do Macron, não nos franceses…”, publicou Weintraub, na sequência.

já Bolsonaro mundo/2019/08/perfil-de-bolsonaro-em-rede-social-sinaliza-apoio-a-comentario-que-ofende-primeira-dama-da-franca.shtml">zombou da mulher do francês, Brigitte Macron, em comentário na internet.

“Penso que as mulheres brasileiras sentem vergonha ao ler isso, vindo de seu presidente, além das pessoas que esperam que ele represente bem seu país”, afirmou o líder europeu, classificando as palavras do brasileiro como “extremamente desrespeitosas”.

“Como tenho uma grande amizade e respeito pelo povo brasileiro, espero que tenham logo um presidente que se comporte à altura do cargo”, disse Macron. 

Mão no peito

Ao lado de Macron durante a declaração, o chileno Piñera se manteve em silêncio e não comentou a briga entre Paris e Brasília —​ele é considerado um aliado regional de Bolsonaro. 

Macron descreveu os últimos lances da crise diplomática com o Brasil como um “grande mal-entendido”.

“Bolsonaro me prometeu, com a mão no peito [na cúpula do G20, em julho, no Japão], fazer tudo pelo reflorestamento e respeitar os engajamentos do Acordo de Paris [sobre a mudança climática] para podermos fechar o pacto comercial [entre União Europeia e Mercosul). Devo dizer que ele não falou a verdade”, acrescentou.

“Dias depois, o presidente demitiu cientistas de seu governo”, lamentou o francês, referindo-se ao afastamento do presidente do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), Ricardo Galvão, após a divulgação de estatísticas sobre o desmatamento que desagradaram ao governo.

 

Macron lembrou ainda a saia justa a que foi submetido o chanceler francês, Jean-Yves Le Drian, em recente passagem pelo Brasil. Na ocasião, Bolsonaro desmarcou uma audiência com o visitante e, no horário marcado para ela, fez uma transmissão ao vivo na internet enquanto tinha o cabelo cortado.

Curiosamente, na segunda, a resposta do presidente francês à pergunta de um jornalista sobre as rusgas com o governo brasileiro começou com um “sem comentários”.

Mais cedo, em participação num programa televisivo, a ministra da Justiça, Nicole Belloubet, havia qualificado como “baixezas” os insultos de políticos brasileiros a Macron e sua mulher.

Vulgaridade

Comentaristas na mídia francesa também falaram em “vulgaridades no limite da decência”.

Bolsonaro respondeu às críticas na manhã desta segunda.

“Não podemos aceitar que um presidente, Macron, dispare ataques descabidos e gratuitos à Amazônia, nem que disfarce suas intenções atrás da ideia de uma ‘aliança’ dos países do G7 para ‘salvar’ a Amazônia, como se fôssemos uma colônia ou uma terra de ninguém”, publicou o presidente, em uma rede social.

Brasil e França vivem a mais séria crise diplomática desde a década de 1960, na opinião de diplomatas europeus e brasileiros ouvidos pela Folha.

Os desentendimentos entre os dois líderes se acirraram desde que o brasileiro ameaçou deixar o Acordo de Paris sobre o Clima e o francês reagiu prometendo barrar o acordo comercial entre União Europeia e Mercosul.

Na quinta-feira (22), Macron disse que as queimadas na Amazônia geraram uma crise internacional e convocou os membros do G7 a discutir soluções para o tema.

 

Bolsonaro reagiu às críticas. “A sugestão do presidente francês, de que assuntos amazônicos sejam discutidos no G7 sem a participação dos países da região, evoca mentalidade colonialista descabida no século 21”, reagiu Bolsonaro no Twitter. 

Também na quinta, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), deputado federal e filho do presidente, compartilhou um vídeo com o título “mundo/2019/08/eduardo-bolsonaro-republica-video-em-que-youtuber-diz-que-macron-e-um-idiota.shtml">Macron é um idiota“.

Na sexta-feira (23),  Bolsonaro voltou a criticar o presidente francês, Emannuel Macron, e o acusou de tentar potencializar o ódio contra o Brasil.

O tuíte de Eduardo, cotado para assumir a embaixada do Brasil em Washington, foi considerado uma grosseria sem precedentes. A troca de farpas foi antecedida por uma campanha do Itamaraty nas redes sociais em que o ministério fazia comparações pouco elogiosas à França.

Tensões graves

Diplomatas ouvidos pela Folha na sexta consideram que as tensões são graves o suficiente para reduzir muito as chances de o acordo entre União Europeia e Mercosul ser aprovado no congresso francês. 

Segundo diplomatas europeus, o governo não vai lutar por um acordo que é impopular entre vários setores, como agricultores e ambientalistas, e ainda por cima beneficiaria um presidente que os insulta.

Com informações da Folha de S. Paulo

— LEIA também: Zequinha Marinho pede retirada de sua assinatura do projeto que cria o Estado do Tapajós

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

8 Comentários em: Macron, da França: ‘Espero que os brasileiros tenham logo um presidente à altura do cargo’

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Batista disse:

    Moro é o melhor de todo esse governo atual. E essa verdade é clara e límpida, como a luz do Sol em um dia de verão, ao meio-dia de um céu límpido. E tem histórico ROBUSTO. Enquanto o PT é brega, barango, cafona, Ersatz, picareta, vigarista e Kitsch: nada disso, típico do PT, que o Sr. Sérgio MORO nunca o é ou será.

  • jorge moraes costa disse:

    mais abestado e estupido que ele são os que votaram nele…

  • Manuel disse:

    Definitivamente o Brasil tem um JUMENTO na presidência, indivíduo rústico, sarcástico, um moleque mal ouvido, brincando de ser presidente, até o Mundo já percebeu.

  • J. Pau nos políticos incompetentes disse:

    Só acho que esse Bolsonaro deveria parar de dar coices e ofender as pessoas a todo momento, isso não ajuda em nada o Brasil. Um Presidente de verdade passa longe dessas suas atitudes e rejeição estratosféricas, mais de 58%, incompetência e falta de educação pra dar e vender. Quem votou, engula com bem farinha e banana, não esqueça do copão de água😀

  • Antonio Ribeiro disse:

    Jeso, olha o que o presidente vai fazer com o abusado do Macron: https://g1.globo.com/politica/blog/gerson-camarotti/post/2019/08/26/onyx-diz-que-governo-vai-rejeitar-ajuda-financeira-do-g7-anunciada-por-macron.ghtml, espero que mande ele enfiar no orifício reto e rugoso dele.

    1. Mario disse:

      Esse teu guru covarde e mesquinho não tem palavra, ele agora vai aceitar o dinheiro do Macron, são um bando de destrambelhados que acham que comandam um buteco fulero.

  • Antonio Ribeiro disse:

    Macron, teu país tá uma merda e tu queres cuidar do país dos outros? O Brasil tem um presidente que não é corrupto e é macho do culhão roxo. Aqui não é a casa da mãe joana e nem dos comunistas corruptos. Vai procurar o que fazer FDP!!!

    1. Jeso Carneiro disse:

      Deve ser esquerdopata né não, Ribeiro? rsrsrs