Publicado em por em Internet

Flávio Bolsonaro compartilhou um vídeo no Twitter fora do contexto

Twitter apaga post de filho de Bolsonaro com vídeo do médico Drauzio Varella
Drauzio Varella, vídeo descontextualizado

 

O Twitter apagou tuítes do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e do senador [e filho do presidente Jair Bolsonaro] Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ),que utilizavam fora de contexto um vídeo do médico Drauzio Varella sobre a crise do coronavírus.

A empresa, segundo a coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo, considerou que as postagens violavam as regras de uso da rede ao potencialmente colocar as pessoas em maior risco de transmitir o vírus.

O vídeo foi gravado por Drauzio Varella em janeiro e tecia comentários sobre aquele momento da crise, quando ainda não existiam casos de contaminação no Brasil.

Sem contexto

No vídeo de janeiro, o médico dizia que estava levando a vida normalmente e que não havia motivo para pânico.

No entanto, Flávio Bolsonaro e Salles compartilharam o vídeo nos últimos dias, sem contexto, levando seus seguidores a acreditarem que Varella estava comentando a situação atual da crise no país, com mais de 1.500 casos confirmados e 25 mortos.

O médico escreveu ao ministro Salles pelo Twitter e pediu responsabilidade.

“Na posição de ministro, esperamos que o senhor, no mínimo, tenha a responsabilidade de se atentar à data em que esse vídeo foi publicado (30.jan),uma vez que a situação em torno do coronavírus muda rapidamente”, disse, por meio de seu perfil.

 

“Estão fazendo uso político e divulgando um vídeo antigo produzido por nós sobre coronavírus, publicado em 30 de janeiro. Não sabemos por qual motivo ou qual a intenção, mas isso é desserviço”, escreveu a equipe do médico, também no Twitter.

Neste domingo (22),em quadro no Fantástico, da TV Globo, ele disse que “gente mal-intencionada” estava compartilhando o vídeo gravado em janeiro.

“Vale o que eu digo agora e o que direi nas próximas semanas: fique em casa o máximo possível“, afirmou.

Novas regras

Em nota ao Painel, o Twitter afirmou sobre o caso que “anunciou recentemente em todo o mundo a expansão de suas regras para abranger conteúdos que forem eventualmente contra informações de saúde pública orientadas por fontes oficiais e possam colocar as pessoas em maior risco de transmitir Covid-19”.

Entre as novas regras do Twitter estão a proibição de posts que neguem recomendações de saúde de autoridades locais ou globais ou que façam afirmações específicas em torno das informações do Covid-19 que têm como objetivo manipular as pessoas.

— LEIA também: Funcionário da MRN em Porto Trombetas testa negativo para o novo coronavírus


Publicado por:

Uma comentário para

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *