Publicado em por em Justiça

De 62 anos, a doméstica foi inicialmente contratada em 1979

Doméstica no PA com 40 anos sem carteira assinada será indenizada em R$ 100 mil
A idosa trabalhou mais de 40 anos como domestica numa residência em Belém. Foto: Ilustração

Um acordo celebrado na 4ª vara do Trabalho de Belém (PA) determinou que uma idosa de 62 anos, que trabalhou por mais de 40 como empregada doméstica na casa de uma família na capital paraense, receba R$ 100 mil reais, a título de indenização.

— Meu pirão primeiro: Mojuí não paga gratificação para servidores; prefeito aumentou seu salário e diária.

A conciliação é fruto de uma ação civil pública de autoria do Ministério Público do Trabalho PA-AP e coautoria da Defensoria Pública da União (DPU). Em 2021, o MPT abriu inquérito para investigar denúncia sobre a existência de trabalhadora doméstica submetida a condições degradantes.

Em abril do ano passado, o MPT foi informado de que uma mulher que trabalhava como empregada doméstica há vários anos em uma casa, sem qualquer registro oficial, estava com sintomas de covid-19 e não foi levada pelo empregador para realizar a vacinação ou encaminhada a locais de assistência de saúde, embora estivesse cuidando de uma pessoa que veio a falecer da doença.

Diante da gravidade dos fatos, o Ministério Público do Trabalho ajuizou ação cautelar visando obter autorização judicial para ingresso na residência.

Além do MPT,  a Superintendência Regional do Trabalho (SRTE/PA) e a Polícia Federal (PF) participaram da ação fiscal.

Doméstica desde 1979

A idosa foi inicialmente contratada em 1979 e desde então vinha realizando os afazeres domésticos todos os dias da semana, inclusive sábados e domingos, recebendo salário mínimo, mas sem nunca ter tirado um só dia de férias.

Mesmo sem ter sido caracterizada violência física ou trabalho forçado, os fiscais concluíram que estava configurado trabalho degradante, especialmente considerando a jornada exaustiva de trabalho à qual a trabalhadora estava submetida; a falta total de documentos, que a impediram de ter acesso a vários direitos trabalhistas e previdenciários, inclusive ao Sistema Único de Saúde – SUS.

Além das condições precárias de alojamento, uma vez que os aposentos reservados à idosa, que ficava na laje da residência, apresentava acesso inadequado, com degraus irregulares e diminutos, sem local para banho e com muita umidade.

Com informações do MPT/PA-AP


Publicado por:

2 Comentários em Doméstica no PA com 40 anos sem carteira assinada será indenizada em R$ 100 mil

  • Nesse caso específico, parabéns para a Justiça pela justa ação, e que fique como exemplo aos exploradores inescrupulosos.

  • lamentável isso,quando vem á tona esses tipos de situações,ficamos estarrecidos,como o ser humano é capaz de submeter outro á situações como esta ? sim,é sempre chocante,mas infelizmente não se trata de uma situação inédita,ainda existem muitos casos parecidos,e até piores do que este ainda ocultos em nossa sociedade,trabalhadores anônimos que se sujeitam á situações humilhantes e deploráveis,muitos deles sem orientação,sem apoio,que se sujeitam á exploração por pura necessidade,lamentável,mais um caso que veio á tona.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.