Justiça autoriza saque de R$ 250 mil de espólio para compra de veículos para TV Tapajós, TV Tapajós
Prédio da rádio e TV Tapajós em Santaré

A Justiça autorizou o saque de 255 mil reais do espólio do empresário Joaquim da Costa Pereira, de Santarém, oeste do Pará, a ser investido na compra de veículos para rádio FM e TV Tapajós (afiliada da Rede Globo).

O pedido foi feito por Vânia e Vera Ilma Pereira, que dirigem a emissora, com manifestação contrária de Joaquim Cardoso, Donaldo e Nivaldo Pereira. O sexto irmão da família, Joaquim Filho, não se manifestou sobre o caso.

Os 6 irmãos são os herdeiros do milionário empresário morto há 9 anos.

“Verifico que, de fato, o tempo de uso por si só já justifica a substituição dos veículos usados por outros novos, sendo imprescindível à manutenção da qualidade da prestação de serviços da empresa”, escreveu o juiz Valdeir Salviano da Costa, da 1ª Vara Cível e Empresarial de Santarém, em decisão na segunda-feira (25).

 

Os R$ 255.654,90 sairão da conta judicial do inventário do empresário para compra de 4 veículos, “conforme orçamento de veículos novos” apresentado pelas irmãs ao juiz.

“Os novos veículos a serem adquiridos devem ser incluídos nas primeiras declarações, mediante emenda, como bens do espólio”, ressaltou o magistrado.

“Após a realização do ato de compra dos veículos, deve haver regular prestação de contas a este Juízo, no prazo de 30 dias.”

No final do ano passado, em decisão também de Valdeir Salviano Costa, Vânia Pereira foi mantida como inventariante do espólio, negando pedido de destituição dela feito pelo seu irmão Joaquim da Costa Pereira Filho.

decisão2 vania
  • 109
    Shares

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

Um comentário em: Justiça autoriza saque de R$ 255 mil de espólio para compra de veículos para TV Tapajós

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Maurio disse:

    mesmo tendo tanto tempo para resolver ..pelo fato de ser uma empresa …não 3nt4ndo como demoram 10 anos pra resolver isso a justiça teria que intervir a mais tempo e com eficiência .. Brasil aiai