Perfuga pediu a prisão do presidente e do diretor da Câmara, mas juiz negou , Antônio Rocha, presidente da Câmara de Santarém
Antônio Rocha, presidente afastado da Câmara. Foto: TV Tapajós/Globo

O Ministério Público do Pará pediu a prisão preventiva do presidente da Câmara de Vereadores de Santarém, Antônio Rocha (MDB), e do diretor geral da Casa, Sandro Lopes, no âmbito da Perfuga.

O pedido, feito pelos 3 promotores à frente da operação — Maria Raimunda Tavares, Rodrigo Aquino e Bruno Fernandes —  não foi acolhido pelo juiz Alexandre Rizzi, da 1ª Vara Criminal de Santarém.

“Há fortes indícios que os acusados, Antonio Rocha e Sandro Tárcito, tenham participado da imbricada criminosa. Todavia a prisão antes do processo penal ser instruído, com base no contraditório e ampla defesa, deve atender as requisitos de cautelaridade que não verifico presentes neste momento”, justificou o magistrado.

Rizzi concordou em afastar os dois do cargo público que ocupam arualmente, por entender que, “com poderes de mando”, eles poderiam influenciar no desenrolar do caso.

E lembrou:

“Pelos depoimentos colhidos, [os dois] tentaram, mesmo que de forma transversa, influenciar depoimentos testemunhais na fase inquisitorial”.

Em decisão na sexta-feira (14), Rizzi acatou denúncia ajuizada pelo Ministério Público no ano passado, e tornou réus, pelo crime de peculato continuado, Antônio Rocha e Sandro Lopes, além de Bruna Figueira Torselli, Esequiel Aquino de Azevedo e Pedro Gilson Valério de Oliveira.

CONTRAPONTO

Sandro Lopes não quis se manifestar sobre o caso. “Não fui intimado ainda, por isso desconheço o teor do processo”, alegou. Também procurado, Esequiel Aquino nada declarou.

O blog aguarda o contraponto de Antônio Rocha, via assessoria de imprensa, contactada. Não conseguimos localizar Pedro Oliveira e Bruna Torselli. O espaço para a manifestação de todos, a qualquer tempo, está aberto.

  • 535
    Shares

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

10 Comentários em: Perfuga pediu a prisão do presidente e do diretor da Câmara, mas juiz negou

  • Canalhas! Estamos no mínimo reféns desses abutres que usam do poder de legislar e fiscalizar em nome da população pra cometer CRIMES e humilhar a sociedade que lhe confiou a missão. Essa semana por exemplo sai depois de “revisado” por esses urubus, O PLANO DIRETOR MUNICIPAL que foi alterado naquele “ninho” e torna o Lago do Maicá uma área para construção de portos, a revelia da população que aprovou por A MPLA maioria que outras áreas fossem estudadas para esse fim.
    Não há o que justifique a atitude desses vereadores que foram unânimes na decisão, mesmo que hajam entre eles um do Partido Verde que deveria no mínimo defender o meio ambiente e outro que se diz indicado pela colônia de pescadores, classe mais afetada inicialmente por esse tipo de empreendimento. Ao meu ver COVARDES! Que não tiveram coragem de participar de nenhuma das plenárias que debateram esse ou qualquer outro assunto que diz respeito à cidade. Na ocasião em que o assunto foi VOTADO e finalizados os argumentos, depois de perder para uma massacrante maioria, inclusive professores, mestres, doutores e acadêmicos de diversos cursos da UFOPA, os SOJEIROS deixaram o ambiente arrotando que na câmara “iriam reverter”, depois de algum tempo a população através da operação perfuga descobre um mar de lama, aí é só fazer uma conta simples…
    A coisa piora e muito quando o prefeito sanciona o projeto EM NOME DO “DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL” e também por que vai acabar SE TORNANDO UMA ÁREA DESORDENADA, então é melhor que seja entregue aos empresários, impossível ser mais medíocre, parece um pesadelo ouvir um gestor municipal se declarar incapaz.
    O lago do Maicá é um berçário de várias espécies além da fonte de sobrevivência de muitos, território de quilombos e outros povos fragilizados por esse sistema cruel e cretino, é um berço de cultura e um dos lugares pra onde vão os que são apartados do meio sem direito a nenhuma política pública, apenas relegados ao esquecimento e ao abandono.
    Por fim, aquela área tem potenciais muito mais nobres e rentáveis, aquele povo merece muito mais que devastação, poluição, enganação e esculhambação política…merecem RESPEITO.

    COVARDES! Não menos.

  • Nós queremos saber porque Henderson Pinto ainda está solto se o mesmo foi delatado na operação perfuga…
    Será que não temos nenhum vereador corajcorajoso ara pedir seu afastamento ??

    • Jeso, verdade que Henderson Pinto, sobrinho do multiprocessado Lira, será no governo de Hélder o número 01 em Santarém ? Em substituição ao Olavo . Se isso for verdade , começara em Santarém muito mal esse governo estadual, que até agora tava escolhendo bem seus secretários . Responde aí quem souber.

  • Jeso, bem sugestiva essa pintura do Apolinário, retratando no desenho como alguns iniciam na política.

  • A justiça de Deus tarda mas nunca FALHA!!!!

  • Corretíssimo o magistrado. O MP exerce uma importante atribuição constitucional que é PROMOVER A JUSTIÇA.
    E justiça se faz dentro da lei. Nada de atropelos e excessos.
    Prisão, neste momento, para tornar a operação mais midiática? Holofotes pros doutos?

    VIDE:
    https://www.jesocarneiro.com.br/justica/promotores-da-perfuga-recebem-a-mais-alta-condecoracao-do-ministerio-publico.html

    • Certo os promotores, afinal até o juiz reconheceu que eles tentaram influenciar testemunhas na fase inquisitorial , então, pq não prender? Atrapalhar investigação não pode, nem ao rico ou pobre . Os tempos estão mudando, continuem no trabalho da Perfuga, senhores promotores e senhor delegado da polícia civil.

  • Não entendo então por que que o Reginaldo campos está preso? Há acho que o senhor juiz não vê que é a mesma situação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *