Polícia Federal faz operação contra advogado mais caro da Lava Jato
Agentes da PF em ação na operação desta sexta-feira 23. Foto: Reprodução/O Globo

A Polícia Federal realiza, na manhã desta sexta-feira (23), uma operação de busca e apreensão em 5 endereços ligados a Nythalmar Dias Ferreira Filho, advogado de réus famosos da Lava-Jato.

Segundo O Globo, a operação contra Nythalmrar foi baseada em um inquérito aberto a partir de uma representação da OAB-RJ endereçada à força-tarefa da Lava-Jato no Rio, na qual o advogado é acusado de vender para seus clientes influência junto ao juiz Marcelo Bretas e aos procuradores da República.

 

O processo foi encaminhado para a área criminal do Ministério Público do Rio. As buscas aconteceram em Campo Grande, na Zona Oeste, no Centro, em Ipanema e no Catete, ambos na Zona Sul.

Nythalmar, conhecido como “o mais caro criminalista da Lava-Jato”,  já teve em sua lista de clientes nomes como Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara dos Deputados; Fernando Cavendish, ex-dono da Delta Construções; Arthur Soares, empresário conhecido como Rei Arthur; Júlio Lopes, ex-deputado federal; e José Mariano Beltrame, ex-secretário de Segurança do RJ.

Um perfil publicado pela revista Época mostrou que Nythalmar Dias Ferreira Filho chegou a receber um apartamento na Zona Sul do Rio de presente do empresário Fernando Cavendish.

O advogado atribuía seu sucesso a à sagacidade de entender que a Lava-Jato era um “caminho sem volta”, aposentando “o formalismo jurídico que recorria a manobras processuais para evitar o julgamento do mérito”.

 

Sua estratégia era partir direto para a negociação de colaborações premiadas com as autoridades, em troca da promessa de liberdade de seus clientes.

“O acordo é um meio de defesa mundial. É mais econômico e tem resultado imediato. O cliente ganha uma segunda chance na vida”, afirmou à revista semanal Época.

LEIA também: STJ libera da prisão guarda acusado de duplo homicídio em Parauapebas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *