por Sidney Canto

Dia 19 de maio de 1835

O padre Prudêncio José das Mercês Tavares, em carta dirigida ao presidente da Câmara e demais Vereadores da então benemérita Vila do Tapajós (hoje Santarém), conclama à edilidade a reagir contra o governo cabano, se expressando nestes termos: “Cumpre-me portanto comunicar quanto antes estas notícias a V. Sas. a fim de que esse território se ponha em atitude de defesa para se fortificarem; e é por isso justo que V. Sas. coligados com as mais Autoridades desse benemérito território não deixem ser surpreendidos esses habitantes, não consentindo que aquelas feras por modo nenhum tomem esse ponto tão útil”.

Leia também:
Cametá se defende dos cabanos.
Cidades voltam a ter nomes indígenas.
Curuai elevada à categoria de “povoação”.
Água encanada para Esperança.
Ministro recebe título de Cidadão de Santarém.
Cabanos desmobilizam a Guarda Nacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *