Alcoa é alvo de críticas por interferência indevida em questões sindicais no oeste do Pará
Trabalhadores da Alcoa em Juruti, oeste do Pará

Em nota enviada ao Blog do Jeso, a Alcoa é alvo de críticas por parte sindicato dos trabalhadores do setor mineral no oeste do Pará, o Stiemnfopa.

A categoria também cobra da mineradora que explora bauxita no município de Juruti que assine o acordo coletivo 2018/2019 que se arrasta sem o aval da empresa desde janeiro deste ano.

“Não há razões plausíveis para a Alcoa interferir na relação sindical entre o Stiemnfopa e a categoria”, diz a nota assinada por Jair Paranatinga, presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Extrativas de Minerais Não Ferrosos do Oeste do Pará.

Leia a íntegra:

NOTA DO STIEMNFOPA

O Sindicato vem esclarecer a categoria que não está criando nenhum empecilho para assinatura do ACORDO COLETIVO DE TRABALHO. Ocorre que a ALCOA retirou todos os itens de interesse sindical, assim, o Acordo foi retificado pelo nosso Jurídico e reenviado para a Empresa.

Acrescentamos os itens debatidos e deliberados pela Assembleia Geral:

1. Acesso aos quadros de avisos;
2. Desconto da Contribuição Assistencial com direito de oposição;
3. Desconto da mensalidade dos associados na folha de pagamento e
4. Que as homologações das rescisões para associados ou não, sejam feitas no sindicato.

Esses são os pontos inseridos no ACT, assim, vejam que nenhum desses itens traz qualquer problema com a ALCOA porque corresponde apenas na relação entre o STIEMNFOPA e a CATEGORIA.

 

Ademais o ACORDADO prevalece sobre o LEGISLADO, portanto, não compreendemos a s razões que causa tanta resistência da ALCOA em assinar de imediato o ACORDO COLETIVO DE TRABALHO.

Somos os primeiros interessados na assinatura do ACORDO. Explique-se ainda que o STIEMNFOPA tem que prezar sua independência e autonomia política e financeira.

Não há razões plausíveis para a ALCOA interferir na relação sindical entre o STIEMNFOPA e a CATEGORIAS DOS TRABALHADORES EXTRATIVOS DE MINERAIS NÃO FERROSOS.

Ademais todos os sindicatos do Brasil quando celebram as Convenções ou Acordos Coletivos de Trabalho inserem as cláusulas sindicais. A ALCOA não pode intrometer indevidamente nessa questão sindical, portanto, deixamos público e com muita lucidez que é a ALCOA que resiste em não assinar esse ACORDO COLETIVO 2019/2020.

Quanto ao tempo e morosidade, nossa data base é o mês de janeiro, assim, aguardamos que a ALCOA efetue o pagamento retroativo o mais rápido possível, uma vez que, depende apenas e tão somente do próprio interesse da Empresa, pois ela é a empregadora e tem o dever de efetuar os pagamentos em dia.

Porto Trombetas, 05 de julho de 2019.

JAIR COHEN PARANATINGA, presidente do STIEMNFOPA”

LEIA Também: Royalties da bauxita da Alcoa Juruti para Acorjuve rompe a marca de 55 milhões

CONTRAPONTO

O blog procurou a assessoria da Alcoa na manhã deste domingo (7) para que se manifestasse sobre o caso. Até a matéria ir ao ar, não recebeu o contraponto. O espaço continuará aberto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *