Socorro Pena, professora da UFOPA e ex-titular da pasta de Pesca no governo Ana Júlia Carepa (2007-2010), se encontra neste momento no Rio de Janeiro.

Amanhã, às 10h, ela tem gravação agendada para o Canal Futura, mantido pela Rede Globo.

Vai fazer a defesa da criação do estado do Tapajós.

Leia também:
O juiz é tapajônico?.

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

6 Comentários em: Tapajós no Canal Futura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Ciro disse:

    Quem diria, caiu a máscara do governador Simão Jatene, que como uma raposa em silência faz campanha contra a criação do Estado do Tapajós.
    Ultimamente o que o governador só sabe fazer é pegar seu jatinho e viajar para essas regiões.
    E o vice governador Helenilsom Pontes, porque não deixa deixa o governo. O próprio governador Jatene já tratou de engessa-lo e dando mais uma secretaria, da Promoção Social, para que ele não tenha tempo para se dedicar a campanha.
    O povo está atento, olho clínico neles

  • Luiz Carlos disse:

    Cartórios Eleitorais funcionarão em horário especial para que o eleitor regularize seu título.
    PRAZO TERMINA DIA 11 DESTE MÊS.

    Os cartórios eleitorais funcionarão
    no horário de 08 às 15 horas para que o eleitor esteja apto a votar no plebiscito.

    Semana que vem última semana será das 8 h. às 18 h., neste final de semana também estarão atendendo até
    meio dia.

    Os cartórios eleitorais do Pará começam, a partir de hoje, a funcionar em horário diferenciado em função do plebiscito sobre a divisão do Pará.
    Até a sexta-feira o atendimento ao eleitor será das 8 às 15 horas.
    Três horas a mais que o habitual.
    O prazo para alistamento eleitoral e transferência de títulos termina no dia 11 de setembro.
    No próximo sábado, 3 de setembro,
    o funcionamento dos cartórios e centrais de atendimento ao eleitor será
    das 8h às 12h.
    No período de 8 a 11 de setembro, última semana de cadastramento, o atendimento ao público será prolongado até as 18 horas.
    “O importante é que o eleitor não deixe de votar de forma consciente no plebiscito porque esta é uma consulta muito importante para todo Pará”, afirmou o presidente da Justiça Eleitoral, desembargador Ricardo Nunes.
    Ele ressalta que após o prazo, os serviços continuarão sendo prestados pelos cartórios eleitorais no horário normal de atendimento, no entanto o eleitor com pendências junto à Justiça Eleitoral não poderá participar do plebiscito.
    Por lei, a inscrição e o voto são obrigatórios para os maiores de 18 anos
    e facultativos para os analfabetos, jovens entre 16 e 18 anos e maiores de 70.
    Aqueles que completarem 16 anos até 11 de dezembro poderão votar
    desde que solicitem seu título dentro do prazo previsto pela legislação.
    Como obter o título eleitoral
    Para obter o título pela primeira vez, a pessoa residente no Pará deve procurar o cartório eleitoral correspondente ao seu bairro,
    com o RG ou outro documento que o identifique, comprovante de quitação do serviço militar e comprovante de residência.
    Quem mora no interior deve procurar o cartório eleitoral de sua cidade.
    Em caso de transferência, o eleitor deve apresentar RG,
    comprovante de residência, título eleitoral e ainda um comprovante de que mora no domicílio eleitoral há pelo menos três meses.

    O eleitor portador de deficiência física que não está inscrito em uma
    Seção Especial deve solicitar transferência para uma delas,
    a fim de evitar aborrecimentos no dia da votação.

    O plebiscito é uma oportunidade única para definir a história da região do Pará.
    O eleitor deve dizer se é a favor da criação do Estado do Tapajós e se é a favor da criação do Estado do Carajás.

  • Silva disse:

    CAIU A MÁSCARA DO GOVERNADOR .
    Blog Parsifal 5.0

    Campanha oficial

    Jornal o Liberal.
    Belém, quinta-feira,
    1 de setembro de 2011-09-01

    Repórter 70
    Em poucas linhas

    • Convites enviados pelo governo do Estado para a Feira do Livro trazem no selo impresso no envelope a frase, “Ser paraense é somar”,
    • É um sinal que o govvernador Simão Jatene está fazendo campanha como uma raposa em silêncio contra o Estado do Tapajós e Carajás.

    Pela frase do selo o governo do Estado inaugura a vereda pela campanha do “Não”, usando para tal uma interface oficial, a máquina do governo.
    O passo tem peso específico considerável, se somado à poderosa investida flexionada em desfavor dos emancipacionistas pela imprensa da capital.
    Os movimentos de redefinição geopolítica nacional,
    desde as capitanias hereditárias,
    só lograram êxito quando os governos e as elites políticas confluíram.
    Mais recentemente, Mato Grosso e Goiás conseguiram a mitose, depois de mais de 30 anos de escaramuças, quando os respectivos governadores, aquiesceram.
    No ritmo que se dá à campanha, com motes pejorativos , o eleitor plebiscitário chegará a um dezembro carregado de reservas e preconceitos, sem condições formais de avaliar o que poderia, em um espaço de tempo a ser considerado, prover ou não, a divisão do Pará, a sua qualidade de vida.
    Fazer o que? Campanhas, e esta é uma, não passam de lendas da paixão. Acabará vencendo, como sói sempre ser, quem conseguir fazer do seu sofisma a mais convincente verdade.
    O vice governador , Helenilson Pontes, também já foi engessado pelo governador. Com acumulo de função na Secretaria de Promoção Social para que não tenha tempo para se dedicar a campanha.

    Restam apenas 3 meses para converncer o eleitor.

  • João Sarmento disse:

    A Professora Socorro Pena é a mais indicada para este debate. Conhece a região, faz parte do movimento e comanda estudos de viabilidade econômica para a criação dos três estados. Parabéns O Tapajós está bem representado.

  • joao do senhor Jesus disse:

    Porque ela? teve algum critério para escolha?
    ( Ha, eu nao tenho nada cntra ela nao, é só curiosidade)

  • Carlos Pereira disse:

    SIM À CRIAÇÃO DO ESTADO DO TAPAJÓS.

    “Sou do oeste. Quero o Estado do Tapajós!
    Não é uma solução mágica, mas um projeto a longo prazo.
    É para quem enxerga longe. A distância entre os municípios os 27 municípios e a capital do Pará já sinaliza que na prática o Estado do Tapajós já possui vida própria.
    Acordem amigos que são contra a criação dos novos estados.
    Há muita gente sofrendo por falta de quase tudo.
    Quem vive em Itaituba, por exemplo, e quer fazer uma universidade pública, possui apenas três opções de cursos em condições super precárias.
    Chega disso!
    Queremos a universidade federal do Estado do Tapajós: novas oportunidades.
    Deixem-nos em paz!
    Queremos contar a nossa história e não somente ver a nossa história contada por quem não nos conhece.
    Chega de lançar sobre a velha estratégia da “Pax Romana” de que tudo está bem assim: uma farsa!
    A Pax Paraense é um terror para quem vive o esquecimento e o descaso na periferia deste estado. ”
    Viva o Estado do Tapajós, viva o Novo Pará, todos irão se desenvolver.