-1
Arcebispado em Santarém: análise dos motivos. Por Renisson Vasconcelos
Dom Irineu Ronam, nomeado arcebispo de Santarém pelo papa Francisco

A condição arquidiocesana é o mais alto privilégio que o Pontífice Romano pode conceder a um território eclesiástico da Igreja Católica canonicamente erigido.

Dentre as milhares de dioceses espalhadas pelo mundo, apenas poucas centenas foram elevadas à categoria de arquidiocese. A Diocese de Santarém foi guindada ao grau arquidiocesano no dia 6 de novembro de 2019 por decreto do Papa Francisco.

O prefixo grego “arqui”/“arce” significa primeiro, mais importante, maior; evoca as ideias de primazia e superioridade hierárquica.

 

De fato, somente as dioceses que se destacam por seu tamanho, população, importância regional, antiguidade, cultura religiosa e razões históricas são efetivadas como arquidioceses.

Abaixo, em linhas breves, alguns dos motivos, a meu sentir, que podem ter favorecido o alteamento da Diocese de Santarém ao patamar de arquidiocese:

♰ 1) Antiguidade

A história da presença religiosa católica em Santarém remonta à fundação da cidade pelo missionário jesuíta Pe. João Felipe Bettendorf em 22 de junho de 1661. Antes desta data, alguns missionários já haviam visitado os indígenas, mas não fixaram residência entre eles.

Da chegada do Pe. Bettendorf para cá já se contam 358 anos de evangelização. Aos olhos da arqueologia, Santarém é considerada a povoação organizada mais antiga do Brasil. Há muitas evidências científicas que dão suporte às estimativas de que a região tenha sido ocupada desde 11 mil anos e seja reportada como uma das áreas de ocupação mais antigas de toda a América do Sul.

♰ 2) Extensão territorial

O território da Arquidiocese de Santarém é vasto e compreende outros seis municípios além da cidade-sede, a saber: Belterra, Mojuí dos Campos, Aveiro, Monte Alegre, Prainha e Almeirim. Toda essa área territorial equivale a 150.243,405 km², segundo os dados do IBGE.

Quando a então Prelazia de Santarém foi criada, em 21 de setembro de 1903, seu território era gigantesco, pois compreendia as atuais dioceses de Macapá, Óbidos e Xingu-Altamira, a Prelazia de Itaituba e parte da atual Prelazia do Alto Xingu-Tucumã. Posteriormente, todas essas Igrejas particulares foram desmembradas do território da Prelazia (e da Diocese) de Santarém.

Neste aspecto, a Igreja Particular de Santarém é, de fato, a “arqui”, a primeira dentre elas.

 

♰ 3) Densidade demográfica

A população dos sete municípios que formam a Arquidiocese de Santarém é de quase 480 mil habitantes, segundo a estimativa feita pelo IBGE para o ano de 2019 com base nos dados do último censo populacional (2010). Somente Santarém possui atualmente mais de 304 mil habitantes. Ocupa a 83ª posição dentre as cem cidades mais populosas do Brasil. É o terceiro maior município do Estado do Pará.

Considerando os padrões de povoamento da Região Norte, que possui a menor densidade demográfica do Brasil, essa população é bastante expressiva.

♰ 4) Região metropolitana

Via de regra, as sedes arquidiocesanas situam-se em regiões metropolitanas, em decorrência da grande extensão territorial e da considerável densidade demográfica. A região metropolitana de Santarém foi criada pela lei complementar estadual nº 79, de 17 de janeiro de 2012, sancionada pelo então governador Simão Jatene, e compreende os municípios de Santarém, sua sede, Belterra e Mojuí dos Campos.

♰ 5) Festa de Nossa Senhora da Conceição

A festa da Padroeira municipal confirma a antiguidade da presença católica em Santarém. Foi celebrada pela primeira vez pelo Pe. João Felipe Bettendorf no dia 8 de dezembro de 1661 na Aldeia dos Índios Tupaius. Em 1919 foi realizado o primeiro Círio, já no formato dos dias de hoje, cujo Centenário foi comemorado em 2019.

Trata-se da segunda maior romaria do Norte do Brasil. Também em 2019 se deu a celebração do bicentenário de dedicação da Catedral de Nossa Senhora da Conceição. A Catedral é a edificação mais antiga de Santarém, iniciada por volta de 1754, a mando do governador Francisco Xavier de Mendonça Furtado.

 

♰ 6) Importância regional

Santarém destaca-se no cenário regional como polo turístico, acadêmico, econômico, de saúde, cultural e religioso. A Aldeia dos Tapajós foi elevada à categoria de vila em 14 de março de 1758 pelo governador da Província do Grão-Pará, Francisco Xavier de Mendonça Furtado.

A elevação à categoria de cidade se deu em 24 de outubro de 1848. Pleiteia há décadas tornar-se a capital do Estado do Tapajós. Curiosamente, o mapa do futuro Estado coincide quase que totalmente com o território da Província Eclesiástica de Santarém.

♰ 7) Crescimento pastoral

O trabalho de evangelização realizado pelos bispos, religiosos, padres e leigos resultou em conquistas pastorais notáveis, especialmente a partir de 1903, quando foi criada a Prelazia de Santarém.

Foram construídas casas religiosas (conventos, seminários, centros de formação) e escolas católicas; foram erigidas paróquias e áreas pastorais, com seus templos, salões, casas paroquiais; foi formado o clero local, com sacerdotes autóctones, depois de longos anos de formação para seminaristas; foram fundadas obras de caridade; a estrutura administrativa foi organizada; os movimentos leigos floresceram com seu apostolado; os meios de comunicação chegaram e fizeram ecoar a obra evangelizadora; foram feitos investimentos na formação dos leigos; as assembleias diocesanas definiram os rumos da missão; as CEBs foram criadas e se fortaleceram, bem como as pastorais sociais, a catequese sacramental etc. Enfim, o resultado do esforço evangelizador produziu frutos expressivos em toda a região.

 

♰ 8) Reestruturação eclesiástica do Regional Norte 2

A CNBB está organizada em Regionais. O Regional Norte 2 compreende os Estados do Pará e Amapá. Todas as dioceses e prelazias deste Regional eram sufragâneas da Província Eclesiástica de Belém do Pará. Este imenso território precisava ser melhor reestruturado a fim de favorecer o trabalho de evangelização da Igreja.

Daí a necessidade de desmembrá-lo em novas circunscrições eclesiásticas. Assim, no dia 06 de novembro de 2019, o Papa Francisco criou a Arquidiocese de Santarém e a tornou sede da Província Eclesiástica de Santarém, cujas sufragâneas são as dioceses de Óbidos e Xingu-Altamira e as prelazias de Itaituba e Alto Xingu-Tucumã. O Regional Norte 2 agora compreende duas províncias eclesiásticas: a de Belém e a de Santarém.

— LEIA também: Papa Francisco eleva Santarém à categoria de arquidiocese, e nomeia 1º arcebispo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *