-1
Governo Bolsonaro: um ano de mandato
Presidente Jair Bolsonaro, 1 ano de governo

por Ricardo Moreira

Recentemente Jair Bolsonaro completou um ano como presidente do Brasil. Seu governo neste primeiro ano foi recheado de debates e controvérsias. O político é o 38º presidente do país. Antes dele, alguns escândalos e acusações de corrupção deixaram o cenário tumultuado levando ainda mais descrédito à classe política brasileira.

Passeatas, manifestações e um maior envolvimento popular parecem ser uma realidade nos últimos anos no Brasil. A parte positiva é que a política vai cada vez mais se disseminando entre os assuntos mais debatidos nas rodas de conversa. Ao contrários de ditados populares que pregam que “sobre política, futebol e religião não se discute”, este novo momento do Brasil marcado pela intensa participação dos cidadãos nas ruas e em busca de seus direitos, demonstra que algo está mudando.

Pelo menos parece estar. Em busca dessa mudança, grande parte dos brasileiros escolheu o lado de Bolsonaro, o elegendo presidente da nação. Mas será que o primeiro ano de governo surtiu o efeito desejado pelos eleitores? O presidente conseguiu implementar alguma de suas promessas de campanha? Mais detalhes poderão ser encontrados a seguir.

O final de 2019 marcou o primeiro ano de mandato do governo de Jair Bolsonaro. Por isso, já é possível realizar uma análise sobre as principais realizações do novo presidente, assim como o impacto dessas atividades no país.

A reforma da aposentadoria, o projeto de lei excludente de ilicitude, a reafirmação do patriotismo e a redução do número de ministérios foram algumas das questões que marcaram o ano inicial de Bolsonaro na presidência. O envolvimento com grupos evangélicos, as polêmicas envolvendo seus filhos e as declarações impactantes do presidente causaram bastante controvérsia.

A luta para fortalecer a economia brasileira é um assunto que sempre esteve à tona, em alguns governos com maior ênfase e em outros nem tanto. No caso de Bolsonaro, algumas medidas foram realizadas na tentativa de aquecer a economia, como a liberação dos saques do FGTS e a isenção da multa de 10% por parte das empresa em demissões com base em justa causa.

Outras pautas em torno desta temática soaram como possível incremento. Uma delas foi a implementação de cassinos e a legalização dos jogos de azar. Como esta atividade apresenta alto índice de arrecadação, existe toda uma discussão diante deste tema. É que casas de jogos e cassinos acabam gerando um faturamento bem considerável. Diante disso, a própria atividade do poker e, atualmente, podendo aceder ao jogo poker grátis, pode se beneficiar, uma vez que estes ambientes são propícios para a prática do jogo.

Independente da aprovação da pauta dos jogos de azar e da instalação de cassinos em terras brasileiras não dá para negar a ascensão desta atividade ao redor do mundo. O poker online, por exemplo é uma das principais explicações para o crescimento e popularização deste que é considerado um esporte da mente.

O jogo tem apresentado tamanha inovação que inclusive já é possível encontrar modernas tecnologias como a Realidade Virtual e o Blockchain integradas à esta atividade. O resultado tem sido mais pessoas interagindo com o jogo ao redor do mundo, seja para aprender a jogar ou mesmo para treinar para campeonatos que irão disputar presencialmente.

Sobre as demais ações realizadas pelo presidente, algumas merecem destaque. O discurso de campanha que Bolsonaro utilizou em prol do armamento, por exemplo, voltou a ter foco durante seu primeiro ano de governo.

Isto porque uma série de decretos a favor do porte de armas foram assinados. Na mesma linha, outro ponto que gerou muita polêmica foi o excludente de ilicitude. Trata-se de um projeto de lei com o objetivo de isentar policias e militares que cometerem crime durante situações que envolvessem a chamada Garantia da Lei e da Ordem (GLOs). Vale dizer que este tipo de intervenção é realizada a pedido presidencial e coloca os militares, neste caso as forças armadas em poder de polícia, por tempo determinado.

O desmatamento e as queimadas na Amazônia são pontos que não podem passar despercebidos durante 2019. Esta é uma questão que Bolsonaro teve bastante dificuldade de gerenciar. A política ambiental foi bastante criticada uma vez que o presidente defende o progresso mediante crescimento da produção agrícola.

Demarcações de terras indígenas e o protecionismo de zonas de proteção ambiental foram fortemente combatidos por Bolsonaro, que já demonstrava ser contrário mesmo antes de assumir o cargo mais alto do país. Quando o assunto se refere às pautas internacionais, a aproximação com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e a visita à China, com encontros realizados com o presidente chinês Xi Jinping demonstraram o interesse em acelerar as relações exteriores.

A saída do partido PSL para o Aliança Pelo Brasil foi outro ponto que também gerou bastante repercussão por parte da mídia, dos críticos e também da população. Inclusive, uma das lutas internas do novo partido e também do presidente é angariar assinaturas para se inscrever junto ao Tribunal Superior Eleitoral e assim poder concorrer nas próximas eleições presidenciais.

Bolsonaro vai encarar um segundo ano complicado no cargo e no total ainda deve encarar três anos pela frente.


LEIA também: Principais pontos do projeto dos jogos de azar. Por Marcos de Souza

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

Um comentário em: Governo Jair Bolsonaro: um ano de mandato. Por Ricardo Moreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *