Movimento Livres vai iniciar campanha contra o serviço militar obrigatório no país

O movimento liberal Livres , segundo a jornalista Mônica Bergamo, da edição desta segunda-feira (14) da Folha de S. Paulo, vai iniciar uma campanha contra o serviço militar obrigatório baseada no caso de um associado seu que foi dispensado de servir às Forças Armadas por se dizer filosoficamente contra a atividade.

Emerqui da Cruz Aguiar, 20, de Juara (MT), citou “imperativo de consciência” para ser liberado.

 

A medida é prevista na Constituição, que atribui “serviço alternativo” a alistados que aleguem “imperativo de consciência [para exercer atividade militar]” como crença religiosa, convicção filosófica ou política. 

Uma lei de 1991 estipula como serviço alternativo atividades de caráter administrativo, assistencial, filantrópico ou produtivo. Mas ele nunca foi implementado. Aguiar recebeu dispensa do serviço alternativo.

Os sem-farda 

O Ministério da Defesa registrou 2.851 solicitações de imperativo de consciência em 2017. Em 2018, foram 2.028. Em 2019, 1,7 milhões de jovens se alistaram no serviço militar, e 90 mil deles serão incorporados às Forças Armadas. 

— LEIA também: Juiz em Santarém abre ação contra ex-prefeito que pagava R$ 10 mil por dia a médico

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

2 Comentários em: Movimento Livres vai iniciar campanha contra o serviço militar obrigatório no país

  • Sem sentido esse movimento, na prática, na seleção dos reservistas só ficam pra servir o Exército quem quer

  • A muito tempo que não serve ao exército quem não deseja. Na entrevista isso já é avaliado. Acredito q a demanda do jovem q deseja servir seja muuuito maior. 1.7mi se escrevem e somente 90 mil são enganjados nas FA. Acredito q nem houvesse essa necessidade de usar o artifício. As forças armadas precisam de jovens com aspiração a atividade . Quem Não quer não fica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *